06junho2013

A Elite – Kiera Cass

 Classificação

Sinopse:

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos. America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.

A Elite era um dos lançamentos mais esperados por mim, desde que li A Seleção, fiquei na expectativa dos próximos eventos, ansiosa pelas próximas eliminações e ainda mais, para ver quem America escolheria!
Ainda vivenciando o triângulo amoroso, America vê-se em constante batalha interior, não sabe até quando ficará na Seleção, não sabe se ama Aspen ou Maxon, ela já nem sabe o que ela mesma deseja…
Em uma trama marcada pela presença de conflitos entre a realeza e os rebeldes, ela verá sua amiga Marlee passar por escândalos e ela mesma quase coloca tudo a perder, mas como poderia suportar a dor, da sua única amiga no palácio? Muitas revelações marcam o enredo, alguns segredos o próprio Maxon revela à America, que infelizmente marca esta narrativa pela impetuosidade e maneira impensada de agir, nesse romance quem mais conquista o leitor é sem dúvida alguma Maxon, que mesmo sendo pressionado pelo pai é corajoso e leal. Já America está perdendo momentos com o príncipe, que passou a requisitar mais a companhia de Kriss…
Confesso que esperava mais, A Seleção foi uma leitura maravilhosa, já A Elite foi boa, pois a protagonista se mostrou muito precipitada em várias situações e até mesmo em relação à Maxon, ao contrário do que esperava dela, Maxon me surpreendeu e cativou, um verdadeiro príncipe! A Elite é marcada por questões de intrigas entre a realeza e os rebeldes, a curiosidade que o leitor fica em saber qual a relação entre os livros proibidos e o interesse dos rebeldes. Marcado por algumas perdas, o livro traz sugestões de fechar a trilogia com chave de ouro, aguardo ansiosamente o último volume!

Adquira seu exemplar

Trilogia A Seleção

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

18maio2013

Entre o Agora e o Nunca – J. A. Redmerski

Classificação

Sinopse:

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre o agora e o nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

Como existem cenas mais íntimas, recomendo a leitura para maiores de dezoito anos. 

“Entre o Agora e o Nunca” trouxe-me tantas surpresas! Começando pela Editora Suma de Letras que antes do lançamento já nos mandou brindes exclusivos do livro que nos traziam expectativas e suposições, como: Quem seria louco por música? Qual personagem escutaria com os fones de ouvido? Porque necéssaire com itens básicos de higiene? Barrinha de Cereais?
Quando finalmente o livro chegou já estava tão ansiosa que larguei tudo e iniciei a leitura, que durou dois dias, acredito que se não fosse pelas expectativas que criei na espera a leitura seria ainda melhor, mas fico feliz em ter tido uma leitura agradável e emocionante.
Camryn é uma personagem audaciosa e marcante, ela sofreu perdas terríveis e nega-se em aceitar viver com alegria e determinação, no início da leitura temos uma garota amadurecida pela dor, pelas perdas e que não se conforma com a rotina, para ela, viver tem que ser mais arriscado e sem medir as consequências, ela precisa estar livre e ninguém concorda e nem compartilha do seu desejo.


“Acho que tive medo de ser eu mesma a maior parte da minha vida”

A melhor amiga de Cam é Nat, é uma garota bissexual meio pirada, impossível não imaginar uma amiga assim, quem nunca teve uma amiga descabeçada e inconsequente? Ela não mede suas ações e nem palavras, e não aceita Cam estar sozinha, sem um namorado. Mas ela namora há cinco anos com Damon, que é louco por Cam, ela não sabia, até que a verdade vem à tona por sua melhor amiga, mas como iria acreditar?
Deprimida e cansada, Camryn sai com o básico para uma jornada de ônibus para um lugar qualquer, sem pensar no amanhã, ela encara com ousadia e determinação uma vida sem regras e sem rotina, ela só não esperava amar de novo…
Andrew preferiu a viagem de ônibus (mais longa) para tentar suplantar a dor, seu pai estava morrendo e ele precisava pensar, já havia prometido ao pai que não iria chorar. Encontrar Camryn no ônibus foi tudo o que a vida precisava lhe dar, ele não imaginava o quanto a vida podia mudar, inesperadamente…
Alternando a narrativa com a visão de Cam e de Andrew, temos uma leitura dinâmica e prazerosa, imaginando nossos personagens, seus gostos e suas visões de forma mais nítida e pessoal, a dupla narrativa revela nuances e sentimentos, desejos e pensamentos, tornando a leitura incrível!
No meio do livro, a leitura ficou mais tranquila e até mais lenta, mas o final inusitado e arrebatador compensou toda a história. Sem ser previsível, a autora nos brinda com um romance peculiar, incrível e audacioso!

Book Trailer


Compre no Submarino:
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

11maio2013

A Sociedade Cinderela – Kay Cassidy

Classificação

Sinopse:

Aos 16 dezesseis anos, Jess Parker se acostumou a ser invisível. Depois
de mudar de escola várias vezes por conta do trabalho do pai, ela se
conformou com o status de eterna garota nova. Mas agora Jess tem a
chance de uma vida: um convite para participar da Sociedade Cinderela,
um clube secreto das garotas mais populares da escola, onde makeovers
fazem parte do pacote. Mas há mais a ser uma Cindy que apenas reinventar
o visual. E Jess está prestes a descobrir.

Quando a Galera Record anunciou o lançamento de “A Sociedade Cinderela” fiquei empolgadíssima, primeiramente pela capa que é muito fofa (certo, típico de contos de fadas, mas eu amo), a sinopse atraente e a premissa parecia interessante, mas…

A leitura foi extremamente cansativa inicialmente, demorou demais a engrenar, as páginas se arrastavam e eu não conseguia me identificar com nenhum personagem, os acontecimentos eram chatos e entediantes, salvo pelo final um pouco menos desgastante. Jess, protagonista desse livro, após ser a garota normal, estilo “invisível” na maioria das vezes em todos os lugares por onde passou, tem a oportunidade de se tornar parte da torcida no lugar da sua mais nova arquiinimiga Lexy. O que ela não esperava inesperadamente aconteceu, descobriu ser parte de uma sociedade secreta onde ela era um Cindy (resumo da palavra Cinderela?) e que faria parte de um projeto extraordinário e grandiosíssimo! Enfim, não rolou! Acredito em finais felizes, gosto de “tudo vai dar certo” e acredito que a leitura poderia ser muito melhor, mas a achei forçada e insípida.

Ryan Steele é um “Encantado” e é irmão da malvada Lexie, que vive praticando bullying com a pobre Jessy, que a princípio não notou ela, até o dia em que se transformou…

O mote parecia bacana, um universo cheio de Cindy’s, Joviais, Encantados, Malvadas e Vilões. Mas não foi bem elaborado e a narrativa tornou-se demasiadamente cansativa, dei uma chance ao livro e me esforcei pra chegar ao final, não sei quantos livros terá a série, mas não tenho desejo de continuar a mesma, espero que leitoras jovens identifiquem-se com o livro, mas infelizmente para mim, não funcionou as cenas forçadas desmerecedoras de crédito onde tudo podia acontecer…

” — A Regra dos Cinco — disse Audrey. — Toda vez que alguma coisa embaraçosa, horrível ou estressante acontece, pare e respire fundo cinco vezes lentamente. Então faça a si mesma estas cinco perguntas: Isso terá importância dentro de cinco horas? Isso terá importância dentro de cinco semanas?Isso terá importãncia dentro de cinco anos? Você ficará surpresa como eventos que parecem terríveis na hora não passam nem pelo teste de cinco semanas. Isso coloca as coisas em perspectiva… ”

Como afirmei, três estrelinhas pela capa, premissa e trama. Se alguém leu e curtiu, ou não, compartilha conosco nos comentários!

Quer conhecer mais o livro? Aprecie o 1º Capítulo.

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

22abril2013

Resenha 2×1: A probabilidade estatística do amor à primeira vista – Jennifer E. Smith

Sinopse:

Às vezes a gente tem um clic
e percebe que tudo mudou. Por uma coincidência. Uma fatalidade. Ou algo
trivial. Nada será como antes.  É exatamente o que acontece com Hadley.
Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o
seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na
viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o
tempo é, sim, muito, muito relativo. E quatro minutos podem MESMO mudar
tudo…
 Resenha por Lipe Ralf
“O problema
éaquele dia estranho e surpreendente. Nunca um dia parecera tão
infinito. Apesarde saber que não de uma coleção de minutos, um após
outro, nunca percebeu, comohoje, o fato que minutos viram horas, de que
meses poderia rapidamente tervirado anos, o quão perto esteve de perder
uma coisa muito importante para omovimento incessante do tempo”  Página
178

Uma leitura de 1 dia, sobre uma trama que ocorre em 1 dia. Com uma narrativa cheia de diálogos e uma história cativante, a autora soube conduzir o conflito de sentimentos e emoções sentidos pela nossa protagonista.

4 minutos podem mudar a vida de alguém. Essa é a premissa do livro. Hadley perde o avião que a levaria para o casamento do pai e na espera do próximo vôo conhece Oliver, um garoto britânico que está no mesmo voo com ela. A dinâmica dos dois foi muito interessante de se ler, parecem melhores amigos de tão bem que se lidavam.

Hadley acha injusto que seu pai case-se novamente. Ela se recorda de algumas boas memórias antes de seu pai trabalhar em Londres. Como eram tão felizes, e como se amavam tanto. Seu pai, sua mãe e ela, como devia ser para sempre. Com esse pensamento temos a impressão da personagem ser mesquinha e orgulhosa. Ela é apenas uma garota que amava muitos família e não esperava tudo acontecer da maneira que ocorreu. Com a notícia do casamento juntamente o fato de não ver o pai a tantos anos fica um conflito emocional pelo abandono e pela saudade involuntária do pai em sua vida.

Conhecemos mais sobre o motivo de Oliver estar no voo no final do livro. Foi um tanto diferente do que esperava. Imaginei algumas hipóteses e nenhuma delas foi certeira, mas o motivo não foi nada que viesse a comprometer o decorrer da história. Ele é um garoto legal que tenta ajudar uma até então desconhecida com sua claustrofobia durante o voo.

Declaro-o como um livro leve e fofo. Fofo pela razão da autora não forçar a leitura em nenhum momento, pelo motivo da autora focar-se mais no relacionamento filha-pai do que no novo relacionamento filha-madrasta, e principalmente pelos personagens serem pessoas normais. Nada de “ela é ruiva de olhos azuis”, nada “exótico”. Personagens reais, dúvidas reais e uma trama que supostamente pode/poderia/poderá ser real.

Muitos reclamaram que a editora não manteve a capa original. Concordo que ela era bonita, só que a nossa contém uma das cenas de que mais gostei. A diagramação é acolhedora, prendendo mais ainda sua atenção para este livro.

Resenha por Thaís

“Estava dando para a filha a coisa mais importante que podia dar, a única que conhecia. Era um professor, um amante das histórias, e estava construindo uma biblioteca para a filha, da mesma forma que os outros pais construíam casas.”  Página 146

4 minutos mudaram a vida de Hadley para sempre. Perder um voo por 4 minutos parecia tão improvável quanto o mesmo sair no horário, quando mesmo que um voo sai no horário? Nunca. Mas naquel fatídico dia ele saiu, e como pegaria o próximo voo ele chegaria em cima da hora em Londres, quase na hora do casamento do seu pai.
Conheceremos neste livro jovem e espirituoso uma garota de dezessete anos que, está angustiada com o casamento do pai, levando boas e más lembranças de outra vida, ela se vê em um dilema complicado e tenebroso, pela lógica não deveria estar no casamento do pai, mas a mãe insistiu tanto que no fim ela cedeu, mas toda a sua angústia e revolta e todo o conceito da sua situação atual está prestes a mudar.
Oliver é um garoto divertido e inteligente que se ofereceu para ajudá-la com as malas, mas terminou por sentar-se ao lado de Hadley e distrai-la contra sua claustrofobia. Ninguém espera a proximidade dos dois, ambos indo para um casamento em Londres, ela lhe revelando toda a sua história e ele encobrindo a sua. Duas histórias distintas. Dois mundos se encontrando.
— O que você estuda de verdade?
Ele se afasta para olhar para ela.
— A probabilidade estatística do amor à primeira vista.
— Que engraçadinho — diz ela. — Fale a verdade.
— Estou falando sério.
— Não acredito em você.
A probabilidade estatística do amor à primeira vista é um romance juvenil arrebatador. Adoro romances clichês, fofos e enigmáticos, Este livro possui todas estas qualidades e ainda o fato de nos surpreender com um fato a respeito de Oliver. Emocionante e perfeito! Ao contrário de muitos, eu me identifiquei com o livro todo, o único ponto negativo são as páginas, um romance como esse, deveria ter uma série inteirinha, tanto quanto merece ser lido e apreciado por amantes de lindas histórias de amor. Prepare-se para se surpreender, porque além do clichê água-com-açúcar, há uma reflexão elaborada e premeditada, que leva o leitor a pensar: Qual o tamanho do meu problema?
Cativante e emocionante! Recomendadíssimo!
Aprecie o primeiro capítulo aqui e assista ao booktrailer:

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: