12Janeiro2015

[Resenha] A Libélula no Âmbar – Outlander – Livro 02 Outlander # 2 – Diana Gabaldon

Sinopse“Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII. O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?



Minha opinião – “A Libélula no Âmbar” é o segundo livro da série Outlander escrito pela autora Diana Gabaldon. Após o final eletrizante de “A Viajante do Tempo” somos transportados para um início totalmente diferente.
O livro é dividido em dois tempos, onde primeiro temos Claire em pleno século XX, mais precisamente no ano de 1968 e a segunda parte se passa no século XVIII, inicialmente na França e depois na Escócia.
A autora consegue despertar o interesse do leitor logo no início. Ficamos sem saber o que aconteceu e observamos que Claire e sua filha Brianna estão vivendo nos Estados Unidos. Em uma viagem, Claire decide levar a filha para a Escócia e contar toda a história para Brianna, que se encontra com 20 anos de idade.
Com a ajuda de um historiador local as duas vão mergulhar mais uma vez no passado…

“Acordei três vezes de madrugada. Na primeira, de tristeza, depois de alegria e, finalmente, de solidão. As lágrimas de uma profunda perda acordaram-me devagar, banhando meu rosto como o toque reconfortante de um pano úmido em mãos tranquilizadoras. Virei o rosto no travesseiro molhado e naveguei por um rio salgado para dentro das cavernas da dor relembrada, para as profundezas subterrâneas do sono.” (p. 08)


Após o que aconteceu com Jaime, ele e Claire decidem sair da Escócia e vão para a França. Claire sabe do massacre que irá acontecer e como Jaime ainda está lutando contra os seus próprios fantasmas ela tentará fazer de tudo para mantê-lo seguro. Através de um primo, os dois vão parar na corte francesa. Não é difícil de imaginar que existem muitas intrigas e manipulações no local e os dois precisam ficar atentos.


“— Eu vou encontrar você. — ele sussurrou em meu ouvido. -— Eu prometo. Mesmo que eu tenha de suportar duzentos anos de purgatório, duzentos anos sem você — então essa é a minha punição, que eu mereci por meus crimes. Porque eu menti, matei, roubei; trai e quebrei confiança. Mas tem uma coisa que deverá estar na balança. Quando eu estiver na frente de Deus, eu terei uma coisa para dizer, para pegar contra todo o resto. — sua voz caiu. — Deus, você me deu uma mulher rara, e Deus! Eu a amei da maneira certa.”



Ainda nesse livro acabamos descobrindo algumas respostas para as perguntas que ficaram no ar em “A Viajante do Tempo”. Sem dúvida “Outlander” é uma série poderosa que tira o fôlego do leitor.
Toda vez que acreditamos que conseguimos compreender a situação, Diana Gabaldon muda tudo!

“- Eu sei – Disse ele serenamente. – Eu realmente sei, querida. Deixe que eu lhe diga em seu sono o quanto eu a amo. Porque as palavras que lhe digo quando está acordada são sempre as mesmas, não são suficientes. Enquanto você dormir em meus braços, posso dizer-lhes coisas que soariam tolas e loucas, e seus sonhos entenderão a verdade delas. Volte a dormir, mo duinne.” (p. 854).

Resenha Livro 1 – Thaís Turesso – clique aqui
Resenha Livro 2 – Thaís Turesso – clique aqui


Edição: 1
Editora: Saída de Emergência Brasil
ISBN: 9788567296272
Ano: 2014
Páginas: 944
Tradutor: Geni Hirata
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

27novembro2014

[Resenha] Garota Tempestade – O Estranho Mundo de Jane True – Livro 01 – Nicole Peeler

Sinopse“Mesmo tendo passado a vida inteira na pequena e conservadora cidade de Rockabill, Jane True, 26 anos, sempre soube que não se encaixava numa sociedade pretensamente normal. Durante um de seus clandestinos nados noturnos no mar congelante, desafiando um perigosíssimo redemoinho, uma descoberta terrível leva Jane a revelações surpreendentes sobre sua herança genética: ela é apenas meio-humana. Agora, Jane precisa penetrar um mundo de mitos e lendas, povoado por criaturas sobrenaturais, aterrorizantes, belas e até mortais. Características que também descrevem perfeitamente Ryu, seu novo “amigo” — um vampiro poderoso, deslumbrante e hummm, aiii… muuuito SEXY. Nesse mundo, onde há um goblin advogado, um espírito de árvore maquiador, um súcubo dona de boutique, elfos diabólicos, homens inflamáveis, seres híbridos que se transformam em animais selvagens, nada é presumível. Que dirá um romance ao molho pardo. Mas atenção, nunca, nunca mesmo, esfregue a lâmpada do gênio. Entretanto, alguém está matando meio-humanos como Jane. A pergunta que não quer calar é: os assassinatos são fruto de uma mente doentia ou há um plano macabro para exterminá-los? Se você é fã de Sookie Stackhouse, meio-humanos, vampiros sedutores e criaturas sobrenaturais, então se prepare para mergulhar de cabeça nessa deliciosa série de urban fantasy. “

Minha opinião – “Garota Tempestade” surpreendeu de maneira muito positiva. Ao olhar para a capa, imaginei um livro mais voltado para o público juvenil e não poderia estar mais enganada. 
A protagonista é Jane True, uma garota de 26 anos que vive em uma cidadezinha pesqueira muito pequena, onde graças a história do relacionamento de seus pais, é vista como esquisita. Como se não bastasse isso, um acidente envolvendo seu ex-namorado Jason e muitas fofocas, a tornam a pária de Rockabill.
Acontece que um crime hediondo ocorre na cidade e Jane é quem encontra o corpo. Curiosa e desconfiada, ela vai acabar descobrindo que as criaturas fantásticas como vampiros, goblins e tantos outros seres são reais.
Além de se tratar de uma série sobrenatural, a autora Nicole Peeler criou um cenário pitoresco, que ganha vida e se torna um personagem. Por exemplo, Jane trabalha na livraria/café “Morrer de rir”. A proprietária é Tracy Gregory e sua namorada Grizelda é uma atriz de filmes adultos aposentadas. Essas duas personagens são um dos poucos amigos que Jane tem na cidade, mas valem por mil. Grizelda é expansiva, hilária e fala tudo o que pensa.  O bar local se chama “Pocilga” e é administrado pelo casal Marcus e Sarah, que também são amigos de Jane. 
E é claro que Jane precisa de um pretendente: Ryu, um sobrenatural escandalosamente sexy e sensual, que conduz várias cenas calientes no livro. Sim, isso mesmo! O livro tem cenas hots, palavrões, humor ácido, personagens divertidos e muito mais.
Alguns leitores podem encontrar semelhanças com a Sookie Stackhouse (a própria sinopse sugere isso). Concordo que o enredo é semelhante, uma jovem em meio a seres sobrenaturais que não sabe sobre sua própria origem, mas Jane é mais bem resolvida, engraçada e tem uma personalidade mordaz.
É o tipo de livro que conquista o leitor e o torna fã absoluto da série.

“- Na verdade, gosto de você porque toca minha periquita como Jimmy Hendrix tocava guitarra. – Ri com lascívia ao ver a expressão chocada com que me olhou…” (p. 195)

Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859035
Ano: 2013
Páginas: 280
Tradutor: Ana Beatriz Manier
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

23novembro2014

[Resenha] Private Londres – Outros Oficiais da Private – Livro 02 – James Patterson, Mark Pearson

Sinopse – Quando os ricos e famosos estão em apuros, a primeira ligação deles não é para os serviços de emergência. Eles ligam para a Private. Um minuto foi suficiente para Jack Morgan falhar em salvar a mãe de Hannah Shapiro. Impotente e com medo, a jovem de 13 anos viu a mãe ser morta quando o pai não pagou o resgate aos sequestradores. Mas isso foi antes da Private. Antes de Jack Morgan ter recursos. A agência se expandiu, abrindo filiais no mundo inteiro. Com um seleto time de investigadores e equipamentos de última geração, a Private é uma rede bem-estruturada e Jack saberá usá-la para a proteção de Hannah. Para isso, ele convoca Dan Carter, responsável pelo escritório da Private em Londres, como guardião de Hannah, agora uma mulher de 20 anos, estudante de psicologia. O plano não podia dar errado – até Hannah e as amigas, incluindo a afilhada de Carter, serem atacadas em frente à universidade. Quando Hannah é mais uma vez sequestrada e sua afilhada entra em coma, Dan Carter descobre que os sequestradores são profissionais, alguém está vazando informações e a questão é pesssoal. O pesadelo recomeçou.
Minha opinião – O livro é dividido em Introdução + Quatro partes. Na introdução, que é narrada em primeira pessoa pelo próprio Jack Morgan, é contado como ele conheceu a jovem Hannah, de apenas 13 anos de idade na época.
Na parte 1, a história se inicia em 09 de abril de 2003 em Los Angeles com a narrativa em terceira pessoa, onde acompanhamos Hannah e sua mãe Jessica Shapiro nos preparativos do aniversário da jovem. Ambas são sequestradas e Hannah presencia cenas terríveis que deixam marcas para o resto de sua vida.
A história dá um pulo de sete anos e Dan Carter narra alguns capítulos, Ele administra o escritório da Private em Londres. Tem quase 40 anos de idade, é divorciado, extremamente inteligente e charmoso.
O livro alterna capítulos em praticamente três histórias diferentes: a de Hannah, o passado de Dan e as mortes que vem acontecendo em Londres.
Hannah agora tem 20 anos de idade, e vai estudar psiquiatria na Chancellors em Londres por três anos e a pedido pessoal de Jack Morgan, Dan precisa mantê-la segura.
Temos também alguns flashbacks da vida de Dan, principalmente da missão em Bagdá, no Iraque, quando executava a Operação Telic com outros quatro oficiais. E por último e não menos importante, estão ocorrendo algumas mortes com jovens em seus 20 e poucos anos que tem o seu dedo anelar decepado. Uma das investigadoras desse caso é a ex do Dan, a detetive Kirsty Webb.
Kirsty e Dan são personagens carismáticos e percebe-se que ainda se amam, mas os fantasmas do passado ainda pairam entre os dois. Kirsty é forte, perspicaz e determinada. Ela também se emociona bastante (apesar de tentar parecer durona).
Outros personagens também marcam presença no livro, como a equipe da Private Londres, a advogada Alison Chambers, o detetive Ken Harman e a professora Annabelle Weston.
A primeira vista, pode parecer estranho e difícil de imaginar como esses três temas se entrelaçam, mas os autores conseguem criar uma teia complexa de acontecimentos que tem início com um segundo sequestro de Hannah.
Os capítulos são curtos, a narração é dinâmica e os diálogos são sucintos. Para os fãs do autor James Patterson e de livros policiais, Private Londres não decepciona.
É claro que se o livro fosse mais longo ele poderia ter alguns pontos mais desenvolvidos, mas como se trata de uma série, é possível que essas lacunas vão sendo preenchidas nos próximos livros.
Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um bom trabalho. Existem alguns errinhos de digitação, mas nada que interfira na leitura e compreensão do texto.
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413038
Ano: 2014
Páginas: 224
Avaliação: 4/5
Skoob: clique aqui
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

15novembro2014

[Resenha]: “A Maldição dos Ancestrais” – Série Infinity Ring – Livro 04 – Matt de La Peña

Sinopse“Quando Dak, Sera e Riq chegam ao próximo destino em sua jornada para consertar falhas históricas, são recebidos por uma tempestade. Eles estão na península de Yucatán, lar dos antigos maias, na época da chegada dos colonizadores espanhóis -ou pelo menos deveria ser assim. Sera tem certeza de que programou o Anel do Infinito corretamente, mas eles parecem estar séculos adiantados. Enquanto tentam descobrir o que aconteceu, os três jovens desconfiam que talvez exista um motivo para estarem ali: bem naquele momento os anciãos da aldeia estão escrevendo um códice importantíssimo, que travaria o destino daquele povo para sempre. Na escola, Dak e Sera haviam aprendido que os maias eram uma civilização violenta e cruel, mas talvez a história e a cultura daquela sociedade tenham sido mal interpretadas…”
Minha opinião –  Após os acontecimentos de “O Alçapão”, Sera vem tendo pesadelos relacionados a sua viagem do tempo individual e o cataclismo que poderá acontecer no futuro. Assustada e extremamente sensibilizada, ela irá guardar para si essa informação na tentativa de manter seus amigos seguros. 
A próxima missão estava programada para o ano de 1562, onde o trio teria que auxiliar os Maias, mas quando o Anel é programado eles acabam parando no século VII, em Izamal, conhecendo assim os mais liderados por Itchik.
Em “A maldição dos ancestrais” Sera, Dak e Riq vão conhecer os escribas da aldeia: Cocom, Kan Boar e Pacal, as mentes brilhantes que escreveram um códice que pode alterar todo o futuro da humanidade.
A principal lição desse quarto livro é a aceitação de suas origens e o desenvolvimento do orgulho de uma nação.
Os maias são representados por personagens cativantes e inteligentes, com figuras femininas fortes e destemidas como a Kisa e líderes justos como o Itchik. A apresentação de uma sociedade que ajuda a todos, sempre disponível ao seu vizinho é muito bem delineada nessa aldeia. Infelizmente, nem todos os povos pensam igual e teremos assim os homens do rei Yuknoom, de Calakmul representando a força bruta.
Um dos detalhes que se destacam nesse livro é o amadurecimento individual dos protagonistas. Os três, de maneiras diferentes, demonstram imensa preocupação com o próximo como pessoa e não apenas como um fato da história e começam a criar laços com aqueles que vão conhecendo nessa incrível missão.
Outro detalhe que merece uma atenção especial é a capacidade dos autores em manter o perfil dos personagens, mas ao mesmo tempo ir adicionando novas características que vão moldando a personalidade. A inserção de um ou outro “defeito” ou “qualidade” é feita de maneira sutil e o leitor não percebe que cada livro é escrito por uma pessoa diferente.
Uma deliciosa aventura com direito a enigmas e um Dak mais calado.

“Sera concordou com a cabeça, mas era difícil estabelecer um paralelo entre aqueles maias e os que ela conhecera nos livros. Itchik não se achava superior a ninguém, e Sera imaginava que todos os reis faziam isso. Ela ficou comovida ao vê-lo participar dos trabalhos de resgate”. (p. 57)

Edição: 1
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765381
Ano: 2014
Páginas: 208
Tradutor: Alexandre Boide
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: