03outubro2014

[Resenha]: Champion – Legend – Livro 03 – Marie Lu

Sinopse – No emocionante desfecho da trilogia Legend, June ocupa uma posição privilegiada no governo e Day trocou a alcunha de criminoso mais procurado do país pela de herói nacional. Mas quando tudo parece conspirar a favor da paz, a ameaça da guerra ressurge na forma de um vírus mortal que começa a espalhar o pânico entre as colônias. Em Champion, a vida de milhares de pessoas está novamente nas mãos de June, a menina-prodígio da República. Mas salvá-las significa também enfrentar novos desafios e exigir novos sacrifícios de seu amor.
Minha opinião – “Champion” é o último livro da trilogia Legend, onde os leitores finalmente irão descobrir o destino de June e Day. O livro é narrado em primeira pessoa por Day e June.
Day se encontra em São Francisco, Califórnia há oito meses com seu irmão Éden. São oito meses sem ter contato com June. Oito meses realizando tratamentos em consequência ao que aconteceu no livro 02. Oito meses que Day é considerado um ícone pela população e não mais um bandido.

“- Mamãe costumava dizer que ter três filhos homens era mais ou menos como ter um tornado de estimação que retruca tudo que ela diz”. (p.58)

Em paralelo June está trabalhando como primeira cidadã, um cargo de respeito e que precisa ter contato direto com Anden, o Eleitor.
Acontece que um tratado de paz entre a República e as Colônias está sendo realizado, mas um inesperado surto causado por um suposto vírus criado pela República pode colocar tudo em risco. Então June, Day e Anden terão que juntar forças e trabalhar pelo bem maior.
Os três juntos suscitam conflitos, mas também romance. Enquanto Day é mais esquivo, não consegue ser direto quando o assunto são os seus sentimentos, Anden é direto, honesto e até mesmo galanteador. 
Éden demonstra uma maturidade muito maior do que seus onze anos. É com ele que o leitor percebe o impacto que tanto sofrimento, guerra e perdas causam em alguém. Ao mesmo tempo Éden é otimista, generoso e altruísta.

“- Com sua perna de metal e meio cérebro, e eu, com os quatro sentidos que me restam, nós quase formamos uma pessoa inteira.” (p.56)

O livro é repleto de ação, emoção e encerramentos. O leitor ficará frente a frente com Thomas Bryant e a Comandante Jameson e iremos descobrir o que aconteceu exatamente com o irmão de June. 
Claro que Marie Lu não poderia deixar de apresentar um arqui-inimigo à altura: Comandante Jameson. Da primeira até a última aparição dela no livro, desafio a qualquer leitor não ter um surto de raiva com essa personagem.
Teremos também o retorno de Tess e Pascao que irão ter um papel imenso no livro. Conheceremos também Ros City, na Antártida e como são governados pelo presidente Ikari. 
São tantas informações nesse último livro, tantas emoções que transbordam das páginas que é impossível largar até chegar ao ponto final. E que final!!! Imprevisível, agridoce e uma despedida perfeita. “Champion” finaliza uma trilogia incrível de forma espetacular. 

“- Certa vez você me contou por que escolheu “Day” como seu nome de guerra – diz ela com firmeza. …  – A cada novo dia, tudo volta a ser possível, certo?” (p. 89)

Edição: 1
Editora: Rocco
ISBN: 9788579802089
Ano: 2014
Páginas: 304
Tradutor: Ebréia de Castro Alves
Avaliação: 4/5
Skoob: aqui
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

22setembro2014

[Resenha]: “Um Motim No Tempo” – Série Infinity Ring – Livro 01 – James Dashner

Sinopse – “Furacões, terremotos e outros desastres naturais estão destruindo cidades, estados e países inteiros. E a organização SQ, apesar de ser responsável por controlar o planeta, parece não se esforçar para evitar a chegada do cataclismo que acabaria de vez com toda a humanidade. Dak Smyth assiste a tudo isso de dentro de casa, fazendo aquilo de que mais gosta: estudar história e comer queijo. Até o dia em que seus pais saem para uma viagem curta e ele e sua melhor amiga Sera Froste, uma garota totalmente fascinada por física quântica, resolvem matar a curiosidade e se aventurar no laboratório de ciências dos pais dele. Lá, encontram nada mais nada menos que um dispositivo que, assim que for finalizado, possibilitará a viagem no tempo – o Anel do Infinito. Sera, craque da matemática, consegue preencher a última lacuna nos cálculos e, quando os pais de Dak retornam, o mecanismo está pronto para ser usado. Na primeira tentativa, porém, os dois adultos desaparecem. Quando tudo parece estar perdido, Dak e Sera são recrutados pelos Guardiões da História, uma sociedade secreta criada há muitos séculos. Eles então descobrem que os agentes da SQ estavam alterando eventos históricos importantes para conseguir mais poder para a organização, gerando as Grandes Fraturas, que em breve levarão ao fim do mundo. Assim, de posse do Anel, Dak e Sera viajarão pela história com a missão nada fácil de encontrar os pais de Dak, corrigir as fraturas e salvar o planeta. Neste primeiro volume da série, eles voltarão à Espanha de 1492, onde está a Primeira Fratura, com o objetivo de embarcar em uma das naus da expedição de Cristóvão Colombo e garantir que seja ele o responsável pela chegada dos europeus à América”.

Minha opinião – A série Infinity Ring é o tipo de leitura que engana o leitor…. Da melhor maneira possível!!!

Narrado em terceira pessoa, o livro tem como protagonistas Dak Smyth e Sera Froste, dois alunos da quinta série da Escola Ginasial Benedict Arnold. Os dois tem onze anos de idade, são muito inteligentes e possuem dificuldades de se relacionar com os demais alunos, mas são melhores amigos e entendem perfeitamente as peculiaridades que possuem.

Dak é fanático por história, do tipo que sempre quer explicar algum evento histórico nos momentos mais inapropriados (como em um velório!) e tem uma séria compulsão por queijo. Seu pais são cientistas que possuem um laboratório em casa. Tem algo mais incrível do que isso?

Sera é fã de física quântica, consegue resolver as mais complexas equações e atura Dak.

Conforme a sinopse explica, o mundo onde esses dois vivem está passando por diversas alterações climáticas críticas, que aparentemente não tem explicação. A organização SQ é quem está no poder e afirma que a população pode ficar despreocupada.

Mas e se os dois descobrissem que a SQ, representada pela maligna Tilda, a Dama de Vermelho, está alterando eventos históricos importantes e mexendo com a linha tempo/espaço?

Sera e Dak vão conhecer os Guardiões da História, uma sociedade que existe desde o tempo de Aristóteles e que vem percebendo algumas Fraturas no tempo. Essas Fraturas estão causando Reminiscências, que são sensações de que “algo” está faltando em sua memória, mas por mais que a pessoa se esforce, ela não consegue descobrir o que é.

Um dos Guardiões mais novos é Riq, um adolescente de 16 anos poliglota que acaba sendo enviado pelo Tempo junto com Dak e Sera. A dinâmica entre os três, principalmente as implicâncias de Dak e Riq são hilárias e trazem uma certa leveza à história.

A primeira missão deles é utilizar o Anel do Infinito (dispositivo de viagem no tempo) até Palos de la Frontera, no dia 03 de agosto de 1492 e “arrumar” o descobrimento da América. A série é voltada para o público jovem e tem todos os elementos necessários para ser um sucesso: personagens cativantes e divertidos, diversas aventuras e em cada livro o leitor conhece novos personagens, locais diferentes e situações inusitadas.

Com a ajuda da açogueira Gloria, Olho Grande, Ricardo, Francisco e Daniel, os três protagonistas precisam descobrir qual é a Fratura no descobrimento da América que precisa ser corrigido. O livro contêm enigmas, imagens e outros detalhes que não apenas enriquecem o livro, como permitem o leitor ter uma participação mais ativa da missão desse trio.

(Editora Seguinte, 2013. 1ª Edição.)
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

20setembro2014

[Resenha]: “Fragmentos” – Partials Sequence – Livro 02 – Dan Wells

Sinopse – “O que significava a Verdade? Quem era responsável pelo fatal vírus RM? Por que os Partials morriam aos 20 anos? E afinal, o que era ela, humana ou Partial? Kira Walker sabia que todas essas perguntas sem respostas eram fragmentos de um grande segredo. Só não imaginava o quanto ela era a peça-chave nessa história. Volume dois da trilogia Partials”.

Minha opinião – “Fragmentos” é narrado em terceira pessoa e dividido em quatro partes. Após as descobertas e reviravoltas do final do primeiro livro, Kira decide ir embora.

Dois meses se passaram quando a história recomeça no segundo livro e Kira ainda está atrás de respostas da ParaGen.

O livro alterna os capítulos apresentando algumas visões de pontos diferentes: Kira e a busca por informações, Marcus ficou na cidade com Madison, Haru e Arwen, o bebê milagre. Acontece que ele também está percebendo não apenas o interesse do Senado, mas que existe algo de diferente em Kira, já que os Partials estão procurando por ela.

Uma das personagens que quase não apareceu em “Fragmentos”, mas que teve um papel fundamental da primeira à última página foi a Nandita Merchant. A senhorinha esconde diversos segredos que envolvem mais de um personagem.

Os acontecimentos desse livro são marcantes: temos a invasão dos Partials em Long Island, Kira desvendando os segredos sobre seu pai, a ParaGen, a data de validade dos Partials, o vírus e um novo componente, o dispositivo Falha Segura (FS).

Novos personagens vão aparecer no livro como Asher Woolf, um novo senador e Afa Demoux, um homem que passou anos demais sozinho e que tem informações valiosas. Também temos um maior desenvolvimento de personagens que fizeram aparições rápidas no primeiro livro, como Heron e a Dra Morgan McKenna.

A batalha entre Partials e Humanos só está esquentando. Conforme todos começam a entender o que aconteceu, há mudanças de lados, desavenças e interesses pessoais guiando os personagens.

Alguns detalhes são simplesmente incríveis nesse livro. Há cães modificados (aterrorizantes!) e as respostas dadas aos enigmas levantados só deixam claro que os seres humanos possuem a capacidade de se auto destruir pelos motivos mais ridículos. As descrições desse mundo em ruínas são detalhadas, permitindo ao leitor sentir-se no meio desse caos.

Como no primeiro livro, “Fragmentos” nos mostra em muitos momentos que nem sempre os Humanos são aqueles que possuem uma maior capacidade de realizar ações pensando no coletivo, na paz ou em ajudar alguém ao invés de prejudicar. A presença quase constante dos Partials nesse livro deixa bem claro essa situação.

E o que falar do final? Simplesmente eletrizante!

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Foram encontrados alguns errinhos, como por exemplo na página 300, mas nada que interferisse na leitura.

“- Desculpa – disse ele. – Mas Heron tem razão. Você vai ter de descobrir quem você é.
Kira lançou os braços no ar gritando e sem olhar para trás.
– Assim posso “escolher um lado”? – Ela chorava e as lágrimas rolavam quentes sobre o rosto.
– Assim poderá ser feliz – respondeu Samm . – Está dividida ao meio”. (p. 244)

Partials Sequence

  1. Partials
  2. Fragmentos
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

08setembro2014

[Resenha] “Partials” – Série Partials Sequence – Livro 01 – Dan Wells

Sinopse – “A raça humana está quase extinta após a guerra com os Partials – seres criados em laboratório, idênticos aos humanos. Eles liberaram o vírus RM, ao qual apenas uma pequena parte da população é imune. Os sobreviventes da América do Norte se reuniram em Long Island ao mesmo tempo que os Partials se retiraram da guerra misteriosamente. Kira é uma médica em treinamento que vê, dia após dia, todos os bebês morrerem, pouco tempo após o nascimento. Há mais de uma década nenhum nasce imune ao RM. O tempo está se esgotando e, com ele, a esperança. Decidida a encontrar a cura, Kira descobrirá que a sobrevivência dos humanos tem muito mais a ver com as ligações entre eles e os Partials do que se imagina. Ligações das quais a humanidade se esqueceu, ou simplesmente não sabia que existiam…”

Minha opinião – “Partials” é o primeiro livro da série e é dividido em três partes. Narrado em terceira pessoa, explica que a humanidade está a caminho da extinção. Houve uma grande guerra, chamada de Guerra do Isolamento, onde os humanos criaram máquinas biológicas, chamadas de Partials. Após a Guerra, houve discordâncias sobre o que fazer com os Partials, e com isso uma nova guerra se instalou: Humanos Vs Partials. E um vírus, chamado de RM matou milhares de pessoas e os bebês não sobrevivem, o que significa que há mais de uma década não nasce uma nova vida.

A humanidade agora tem menos de 50 mil vidas e não conseguiram a cura para o vírus. Poucos são os adultos que tem mais de 18 anos e o Senado impôs uma Lei, chamada “Lei da Esperança” onde todas as jovens com 18 anos ou mais devem engravidar. Meses após meses, anos após anos para darem à luz a crianças que morrem em questão de horas, no máximo dias. Mesmo entendendo a necessidade de tentar procriar, existe um grupo, chamado A Voz, que são considerados rebeldes e não concordam com o Senado e as restrições impostas por eles.

Em meio a esse universo, conhecemos Kira Walker, uma garota de 16 anos que estagia na maternidade do hospital. Inconformada com a desolação das mães e a morte dos bebês, essa garota mega inteligente decide assumir a responsabilidade de descobrir uma cura, principalmente agora que sua irmã adotiva Madison está grávida do marido Haru. Para encontrar a cura, Kira decide que precisa encontrar um Partial para estudá-lo. Assim, precisa sair da segurança da cidade e encarar uma jornada mortal.

O primeiro livro da série trouxe diversos elementos que prendem a atenção do leitor: um enredo extraordinário e diferente, personagens não apenas cativantes, alguns ambíguos e todos com um objetivo em comum – sobreviver.

Uma das discussões constantes do livro é a necessidade desses jovens em crescer tão precocemente. Crianças sendo obrigadas a gerar crianças, jovens soldados que precisam aprender a reagir rapidamente para sobreviver e ao mesmo tempo, o Senado os trata como crianças, sendo em alguns momentos relembrados que fazem parte da “geração babylândia”.

Apesar do foco ser na protagonista, existem diversos personagens que ganham destaque na história. Madison e Haru, o namorado de Kira, Marcus Valencio, Jayden, o irmão de Madison e sargento, Ariel e Isolde, as outras jovens que cresceram com Kira aos cuidados de Nandia (que é como uma avó) e Xochi, uma outra jovem que mora com elas e tem um ar mais rebelde. Sem contar o Senado, a Inteligência, representada por Mkele e outros personagens que vão aparecendo durante a aventura.

O enredo é muito bem desenvolvido, com direito a descobertas e revelações chocantes. A escrita é concisa e fluida, os personagens são memoráveis e o final é eletrizante.

“- A felicidade é a coisa mais natural do mundo quando você a possui, e a mais incerta, esquisita e impossível quando não…. – É como aprender uma língua estrangeira: você pode pensar em todas as palavras que quiser, mas nunca será capaz de falar se não criar coragem para pronunciá-las em voz alta”. (p. 83)

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: