03dezembro2014

[Resenha] Está Tudo Bem – Louise L. Hay, Mona Lisa Schulz

Está tudo bem: Use o poder da medicina, das afirmações positivas e da intuição para curar seu corpo

Está tudo bem (Best Seller, 2014) é um livro de desenvolvimento pessoal, diferente de todos os que li no gênero, ele possui uma proposta diferenciada e muito interessante.
 

Sinopse
Há mais de trinta anos, Louise L. Hay tem respondido, com suas incríveis técnicas de autocura, a diversas perguntas de leitores do mundo inteiro, como por exemplo: “Como posso me curar?” ou “Como posso criar meu próprio poder de cura?”. Milhões de pessoas desenvolveram seu próprio método a partir das informações da autora e conseguiram se recuperar, mas apenas agora temos a possibilidade de entender a ciência por trás dessa técnica. Em Está tudo bem, a neuropsiquiatra e médica intuitiva Mona Lisa Schulz analisa a prática das afirmações utilizando métodos que levam a cura a um novo nível. Com este livro, o leitor aprenderá a sintonizar-se à voz de sua intuição; utilizar incríveis novas afirmações para curar problemas de saúde; identificar os bloqueios emocionais e combatê-los para eliminar suas manifestações físicas e muito mais.

  • Louise L. Hay é autora do best-seller internacional Você pode curar sua vida, e tem mais de 40 milhões de livros vendidos em todo o mundo, sendo 1 milhão somente no Brasil.
  • A Dra. Mona Lisa Schulz é autora do livro Despertando a intuição e trabalha como médica intuitiva há 25 anos.
Li o livro há algum tempo, tinha me esquecido de resenhar ele e vendo aqui na minha lista de tarefas, achei importante opinar sobre a minha experiência com a leitura.
Não é um livro sensacional e nem ele promete mudar a sua vida, o que atraiu minha atenção para a leitura foi a curiosidade em descobrir quais teses a autora defendia e em que embasamentos. Surpreendi-me ao constatar durante a leitura que a mesma não idealizou um modelo pré-definido e nem faz com que seus leitores crie expectativas em curas milagrosas e impossíveis, ela, com base científica utiliza técnicas e métodos comprovados, aliando a descoberta “do motivo de” encontrar-se com determinada doença/pensamento/problema e quais ações podem ser feitas a partir desta descoberta. 
 
Utilizando de histórias de seus pacientes, ambas autoras promovem a saúde embasada na fé, na autoconfiança e na medicina alternativa. Acredita-se que ao descobrirmos as causas emocionais, as físicas tornarão a normalidade, sendo a maioria das doenças, baixa autoestima e carência associadas ao emocional desestruturado.
É uma leitura curiosa e intrigante, no final do livro o leitor encontra uma tabela com as doenças que se apresentam e com as alternativas emocionais a ela, como por exemplo:
Olhos – Se você possui qualquer tipo de problema, doença ou desconforto com ele. Eles representam a capacidade de ver com clareza o passado, o presente e o futuro. Você deve refletir e dizer em voz alta ou mentalmente: Vejo com amor e alegria.
Dor – Culpa, a culpa sempre procura punição. Você deve refletir e dizer em voz alta ou mentalmente: Com amor, deixo o passado que se vá. Eles são livres e eu sou livre. Agora está tudo bem em meu coração.
 
Esses, são exemplos de centenas de situações que as autoras expõem ao leitor, algumas fazem sentido e são coerentes, outras não parecem estarem relacionadas a algo que esteja em nosso controle, mas em uma força maior.
 
Recomendo a leitora a todos os curiosos (como eu =P), para aqueles que buscam uma melhor qualidade de vida, uma maneira diferente de encarar as situações adversas ou para interessados em bem estar físico e emocional.
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

27outubro2014

[Resenha] Os Segredos de Colin Bridgerton – Os Bridgertons – Livro 04 – Julia Quinn

 Sinopse

Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres.

Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade.

Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum.

Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente.

No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.

Em Os segredos de Colin Bridgerton, quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.

 
Incrível! O melhor da série até agora!

“E como se isso não bastasse, 1813 foi o ano em que a misteriosa (e fictícia) Lady Whistledown começou a publicar suas Crônicas da Sociedade, três vezes por semana. O jornal da página única se transformou numa sensação instantânea. Ninguém sabia quem era a autora. Durante semanas – não, meses -, Londres não conseguia falar se outra coisa. O jornal foi distribuído foi gratuitamente por duas semanas – tempo suficiente para viciar os mais sedentos por novidades -, e de repente não chegou mais – para adquiri-lo, era necessário comprá-lo das mãos dos entregadores ao preço exorbitante de cinco pennies por exemplar.”
Quem acompanha a série Os Bridgertons já deve, assim como eu, se perguntar quando é que o grande segredo seria revelado e quem seria a famosíssima Lady Whistledown, e é nesse livro! Incrível! E eu achando que demoraria mais… Após a descoberta, só aumentou meu apreço pela pessoa em questão, desde os volumes anteriores eu me questionava de como seria esse descoberta e claro, esperava apenas no último volume, fui totalmente surpreendida com esse segredo revelado.
Este romance é da história de Colin Bridgerton, um dos irmãos que mais ansiávamos por conhecer, porque ele era sempre cortês, doce e querido. Quanto ao seu interesse repentino por Penelope que há anos conhecera é o ponto alto da trama, uma amizade duradoura que transformou a mesma em uma linda, inteligente e brilhante mulher.
A forma como o segredo é revelado foi muito bem escrita, acrescentando especulações e curiosidade ao leitor na medida certa. Um romance de segredos e de revelações.
A escrita fluente e deliciosa de Julia Quinn por si só basta para tornar um romance encantador, mas ela continua a se superar!
“- Não quero morrer sem ter sido beijada – concluiu ela.
Colin podia pensar em cem razões pelas quais beijar Penelope Featherington era uma péssima ideia, e a primeira delas era o fato de que ele queria beijá-la.”

Encantador! Estão esperando o quê para ler?

Série Os Bridgertons
  1.  O Duque e eu
  2.  O Visconde que me amava
  3.  Um Perfeito Cavalheiro
  4.  Os Segredos de Colin Bridgerton
  5.  To Sir Phillip, With Love *
  6.  When He Was Wicked *
  7.  It’s in His Kiss  *
  8. On the Way to the Wedding*

* Não lançados ainda.

Fonte: Goodreads

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

24agosto2014

[Resenha] O Irresistível Café de Cupcakes – Mary Simses

Sinopse

Ellen é uma advogada de Manhattan e seu noivo está prestes a se tornar um importante político. Tudo em sua vida parece estar perfeito e no caminho certo. Até que ela decide realizar o último desejo de sua avó e entregar em mãos uma carta. Para isso, ela precisa ir para Beacon, uma charmosa cidadezinha do interior. Entre cupcakes de blueberry e deliciosas rosquinhas, Ellen desvenda os mistérios da vida de sua avó. Aos poucos, ela descobre os simples prazeres da vida e que “perfeito” nem sempre é o que parece.

Minha Opinião:

Resistível.  É um romance fluente e conciso, mas nada de uma “leitura irresistível”, ou seja, cabe ao leitor decidir o que realmente vale a pena nesta obra. A premissa me atraiu bastante, li a sinopse e imaginei um chick-lit ou quem sabe um romance adocicado e fofo. A escrita da autora é um dos pontos positivos da obra, que tem uma premissa pouco desenvolvida, quem lê o título por exemplo, pode pensar que se trata de um romance que se passa em sua maior parte em uma padaria ou doceria, lendo a sinopse observaremos que o mesmo poderá falar realmente de “cupcakes” e “blueberries”, mas não engane-se, temos sim cupcakes e blueberries, mas nada que pudesse ter feito com que o título e sinopse fosse o que lemos.

A “nadadora” é Ellen, uma advogada da cidade grande que faz uma viagem à terra da avó, uma cidadezinha pacata e com poucos recursos (acredito que os maiores recursos sejam os deliciosos cupcakes de blueberries rsrs) para cumprir um último desejo da falecida avó: entregar uma carta para um antigo namorado da avó, o que seria uma tarefa simples e rápida acaba por tornar-se uns dias de férias prolongadas, afinal, ela quase morreu por causa de uma simples foto, foi fotografar e simplesmente caiu na água…

Mas, seu herói foi nada mais e nada menos que Roy, um charmoso carpinteiro. Após esse fatídico dia ela acaba por “forças maiores” ficando na cidade, deixando uma mãe neurótica preocupada e um noivo político ainda mais enlouquecido. A ideia geral tinha grande potencial se fosse melhor trabalhada, como as blueberries que mesmo citadas na obra não fizeram jus ao enredo, poderiam ter sido acrescentadas cenas na fazenda, com as frutas famosas da região e maiores detalhes como sabor, aparência entre outros.  As descobertas em relação ao passado da avó também deixaram a desejar, nós leitores, ficamos tentando compreender o que a levou agir como agiu e por quais motivos.

O epílogo é a melhor parte do livro, ao menos nisso a autora atentou por deixá-lo agradável e sucinto, os acontecimentos tomaram forma e tudo finalmente se encaixou, nos surpreendemos com a atitude inesperada de Ellen e os leitores ficarão animados com a verdadeira identidade de Roy, em síntese: nada é o que aparenta ser, as pessoas podem guardar passados injustificáveis fazendo com que questionamentos sejam apresentados espontaneamente e sem maiores justificativas, como a avó de Ellen, que dá a entender ao leitor, para que o mesmo faça a pergunta: Poderei me arrepender de ter feito algo diferente na vida? A protagonista Ellen deixa através da sua última escolha a resposta para a nossa curiosidade.

Três estrelas! Livro com grande potencial, que pouco foi explorado. Ainda assim, recomendo para quem quer uma leitura leve e fluente, sem nada complexo.

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

08agosto2014

[Resenha] Fingindo ter 19 anos – Alyson Noël


Sinopse – À primeira vista, Alex tinha tudo: é linda, inteligente e melhor amiga de M, a garota mais popular da escola. Entendiadas com a vida luxuosa em Orange County, Alex e M decidem conhecer os badalados clubes de Los Angeles. Fingindo ter dezenove anos, Alex e M conhecem Connor e Trevor, dois garotos mais velhos e ricos. Alex não acredita como é sortuda! Elas são VIP em todas as festas particulares de Hollywood e nas baladas de Los Angeles. Essas escapadinhas são a distração perfeita para Alex que está secretamente encrencada com suas notas, seu pai ausente e sua mãe incompreensível. Mas Alex é forçada a reavaliar sua amizade com M, que esconde por trás de sua carinha de anjo alguns segredos.


Minha opinião – Comprei “Fingindo ter 19 anos” em uma promoção no ano passado, e indo atrás de algo mais leve, resolvi começar ele. Já vi a autora Alyson Noël pessoalmente em uma tarde de autógrafos na livraria perto da minha cidade e ela é uma fofura sem fim. Li alguns livros da série “Os Imortais” e até gosto da escrita dela, apesar das minhas implicâncias com a protagonista.

Alex – diferente do que fala a sinopse – tem dificuldades vivendo em Orange Country, já que não tem dinheiro para poder bancar uma vida glamourosa, seu pai não lhe dá atenção e suas notas na escola estão de mal a pior. Sem ver um futuro brilhante pela frente, correndo até o risco de não se formar no ensino médio, encontra nas idas para Los Angeles com M, sua melhor amiga muito rica, uma chance de esquecer os seus problemas.

Em uma dessas saídas ela conhece Connor, um produtor musical britânico que a convida para uma festa achando que ela e sua amiga M são mais velhas. Alex acaba sustentado a visão dele, contando que possui 19 anos, quando na verdade tem 17.

O livro não me empolgou, mas até gostei do final. Acompanhamos o amadurecimento de Alex que precisa fazer escolhas difíceis para o seu futuro e no início, por não acreditar nela mesma, acaba se prejudicando. A história também dá uma pequena lição sobre amizade, mostrando que às vezes pensamos que algumas pessoas querem nosso bem, mas na verdade elas acabam nos prejudicando.

Eu me identifiquei com alguns momentos que Alex passa com os pais que são divorciados, assim como os meus, e me vi em algumas cenas reagindo da mesma forma que ela.

O título chega a ser algo bobo e aumenta a importância dessa mentira, como se fosse o foco do livro, porém a trama principal não gira em torno disso, a mentira apenas desencadeia alguns eventos. A capa também não é uma das melhores, mas não chegou a ser um incômodo.

Se você já não gosta de livros infantojuvenis, a leitura não é uma das mais indicadas. Alex é uma adolescente por vezes irritantes, mas com tudo que ela passou e pela ausência do pai, podemos até compreender algumas atitudes que ela toma, porém algumas situações chegam a ser bobas e sem sentido, desestimulando a leitura.

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados: