23novembro2014

[Resenha] Private Londres – Outros Oficiais da Private – Livro 02 – James Patterson, Mark Pearson

Sinopse – Quando os ricos e famosos estão em apuros, a primeira ligação deles não é para os serviços de emergência. Eles ligam para a Private. Um minuto foi suficiente para Jack Morgan falhar em salvar a mãe de Hannah Shapiro. Impotente e com medo, a jovem de 13 anos viu a mãe ser morta quando o pai não pagou o resgate aos sequestradores. Mas isso foi antes da Private. Antes de Jack Morgan ter recursos. A agência se expandiu, abrindo filiais no mundo inteiro. Com um seleto time de investigadores e equipamentos de última geração, a Private é uma rede bem-estruturada e Jack saberá usá-la para a proteção de Hannah. Para isso, ele convoca Dan Carter, responsável pelo escritório da Private em Londres, como guardião de Hannah, agora uma mulher de 20 anos, estudante de psicologia. O plano não podia dar errado – até Hannah e as amigas, incluindo a afilhada de Carter, serem atacadas em frente à universidade. Quando Hannah é mais uma vez sequestrada e sua afilhada entra em coma, Dan Carter descobre que os sequestradores são profissionais, alguém está vazando informações e a questão é pesssoal. O pesadelo recomeçou.
Minha opinião – O livro é dividido em Introdução + Quatro partes. Na introdução, que é narrada em primeira pessoa pelo próprio Jack Morgan, é contado como ele conheceu a jovem Hannah, de apenas 13 anos de idade na época.
Na parte 1, a história se inicia em 09 de abril de 2003 em Los Angeles com a narrativa em terceira pessoa, onde acompanhamos Hannah e sua mãe Jessica Shapiro nos preparativos do aniversário da jovem. Ambas são sequestradas e Hannah presencia cenas terríveis que deixam marcas para o resto de sua vida.
A história dá um pulo de sete anos e Dan Carter narra alguns capítulos, Ele administra o escritório da Private em Londres. Tem quase 40 anos de idade, é divorciado, extremamente inteligente e charmoso.
O livro alterna capítulos em praticamente três histórias diferentes: a de Hannah, o passado de Dan e as mortes que vem acontecendo em Londres.
Hannah agora tem 20 anos de idade, e vai estudar psiquiatria na Chancellors em Londres por três anos e a pedido pessoal de Jack Morgan, Dan precisa mantê-la segura.
Temos também alguns flashbacks da vida de Dan, principalmente da missão em Bagdá, no Iraque, quando executava a Operação Telic com outros quatro oficiais. E por último e não menos importante, estão ocorrendo algumas mortes com jovens em seus 20 e poucos anos que tem o seu dedo anelar decepado. Uma das investigadoras desse caso é a ex do Dan, a detetive Kirsty Webb.
Kirsty e Dan são personagens carismáticos e percebe-se que ainda se amam, mas os fantasmas do passado ainda pairam entre os dois. Kirsty é forte, perspicaz e determinada. Ela também se emociona bastante (apesar de tentar parecer durona).
Outros personagens também marcam presença no livro, como a equipe da Private Londres, a advogada Alison Chambers, o detetive Ken Harman e a professora Annabelle Weston.
A primeira vista, pode parecer estranho e difícil de imaginar como esses três temas se entrelaçam, mas os autores conseguem criar uma teia complexa de acontecimentos que tem início com um segundo sequestro de Hannah.
Os capítulos são curtos, a narração é dinâmica e os diálogos são sucintos. Para os fãs do autor James Patterson e de livros policiais, Private Londres não decepciona.
É claro que se o livro fosse mais longo ele poderia ter alguns pontos mais desenvolvidos, mas como se trata de uma série, é possível que essas lacunas vão sendo preenchidas nos próximos livros.
Em relação à revisão, diagramação e layout foi realizado um bom trabalho. Existem alguns errinhos de digitação, mas nada que interfira na leitura e compreensão do texto.
Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413038
Ano: 2014
Páginas: 224
Avaliação: 4/5
Skoob: clique aqui
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

09novembro2014

[Resenha] Supernatural – Guerra Dos Filhos – Rebecca Dessertine, David Reed

Sinopse – Uma história de Supernatural que revela uma nova aventura para os irmãos Winchester. Vinte e três anos atrás, Sam e Dean Winchester perderam sua mãe para uma demoníaca força sobrenatural. Após a tragédia, seu pai os ensinou tudo sobre as coisas paranormais e ruins que vivem nas esquinas escuras da América e como matá-las. Caçando Lúcifer, os garotos se encontram em uma cidade pequena na Dakota do Sul aonde encontram Don, um anjo com uma proposta. O quão longe irão os rapazes para descobrir o segredo que Satan nunca quis que eles descobrissem?


Minha opinião – Para os leitores que são fãs da série “Supernatural”, os livros da série publicados pela Gryphus são um complemento maravilhoso. Em “Guerra dos Filhos” o leitor irá acompanhar os acontecimentos após Sam quebrar o Selo do Inferno e os irmãos Winchester descobrirem que eles são os receptáculos de uma guerra milenar entre irmãos.
Quem conhece os Winchester sabe que eles não gostam de aceitar ordens, muito menos vindas do céu e do inferno. 
Os dois entram em uma jornada em busca de uma alternativa. Essa alternativa leva os dois à uma viagem no tempo, onde eles regressam para Nova York, no ano de 1954.
Narrado em terceira pessoa, mas apresentando os pensamentos e sentimentos dos dois irmãos, o livro traz elementos que são presentes no seriado de televisão: piadas sarcásticas, muita música, palavrão e um carro clássico para levá-los.
Sam e Dean precisam lidar com anjos na terra, um Bobby ranzinza por estar na cadeira de rodas, Castiel, demônios e dois caçadores da década de 50.
Em relação à revisão, diagramação e layout, a editora realizou um ótimo trabalho. A fonte poderia ser um pouco maior, mas é questão de gosto pessoal. 

” Você sabe alguma coisa sobre esse livro? Chama-se A guerra dos Filhos da Luz contra os Filhos das Trevas.– Todo mundo ouviu falar dele – replicou Bobby, soando mais natural. – É um segmento dos Pergaminhos do Mar Morto, e um dos textos apócrifos mais lidos da Cristandade. O problema é que ninguém leu o final.” (p. 24)

Edição: 1
Editora: Gryphus
ISBN: 9788583110149
Ano: 2014
Páginas: 245
Tradutor: Gilson B. Soares
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

05novembro2014

[Resenha] Amaldiçoadas – As Crônicas das Irmãs Bruxas – Livro 02 – Jessica Spotswood

Sinopse – Cate Cahill tomou a decisão mais difícil de sua vida e resolveu largar tudo para proteger aqueles a quem amava, mas não poderia imaginar os obstáculos que ainda teria pela frente. Agora, vivendo disfarçada entre as outras moças da Irmandade, ela precisa se manter a salvo dos implacáveis caçadores de bruxas e lidar com grandes dilemas pessoais, como a distância de seu grande amor e os conflitos que envolvem suas irmãs Tess, uma menina doce e ingênua que guarda um grande segredo, e Maura, a jovem bela e ambiciosa que pretende fazer de tudo para se tornar o centro das atenções. Será que Cate está pronta para liderar as bruxas de sua geração e ganhar o respeito de uma sociedade que condena a feitiçaria? E seria ela a bruxa da profecia, a mulher mais poderosa já nascida em muitos séculos e capaz de revolucionar a história do mundo? Envolva-se ainda mais na história de Cate e de todas as mulheres fortes que a cercam e segure seu coração para torcer pelo amor de Cate e Finn neste volume que traz revelações imperdíveis antes da conclusão da saga das irmãs Cahill.
Minha opinião – “Amaldiçoadas” começa onde “Enfeitiçadas” terminou. Cate renunciou seu amor por Finn e agora faz parte da Irmandade. Morando em Nova Londres e agora é conhecida como Irmã Catherine. Ela é constantemente observada por suas novas irmãs, graças a profecia que pode mudar o mundo.

“…. pouco antes do Terror, um oráculo fez uma profecia: três irmãs, todas bruxas, que chegariam à maioridade antes da virada do século XX, seriam motivo de esperança. Uma delas, dotada de magia mental, iria ser a bruxa mais poderosa em séculos. Ela suscitaria o ressurgimento da magia; ou, caso fosse capturada pelos Irmãos, seria a causa de um segundo Terror.” (p. 20)

Infelizmente nem todos as irmãs são agradáveis: Alice Arclair tem um ar de sabichona e tem como objetivo de vida importunar a todos. 
Em contrapartida, Cate consegue fazer boas amigas como Mei Zhang e Rilla, que entendem as dificuldades da protagonista em aceitar sua nova vida.
A Fraternidade está apertando o cerco. As mudanças ocorridas na França, como o direito de voto da mulher, fazem com que eles se tornem mais intransigentes e punitivos.

” – A primeira medida, que tem validade imediata, proíbe as mulheres de trabalhar fora…..A segunda medida, que também entra em vigor imediatamente, proíbe que meninas sejam ensinadas a ler.” (p. 35)

Muitos dos personagens do primeiro livro retornam: Irmão Ishida, Rory e Sachi, Paul e Zara Roth.
Cate está tentando encontrar seu lugar na Irmandade, mas a vinda de suas irmãs pode mudar tudo. Na verdade, a chegada de Maura é que complica tudo, pois a garota parece não ter aprendido nada após os acontecimentos do primeiro livro. Ela chega tentando cativar todos com o seu jeitinho meigo (até parece Maura!), mas pelas costas destila veneno e apronta demais. 
Para aqueles que estavam preocupados com Finn, podem suspirar aliviado. Ele aparece nesse livro e está mais fofo do que nunca!
O livro tem muita ação e revelações. O leitor acompanha a verdadeira índole da Fraternidade e o modo como eles tratam as suspeitas é repugnante. 
O final desse livro desperta indignação no leitor. É impossível não ficar frustrado e ao mesmo tempo triste.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é linda e combina com a capa do livro anterior.

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413373
Ano: 2014
Páginas: 288
Tradutor: Ana Ban
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

25outubro2014

[Resenha] Filha da Ilusão – Série Herdeiros da Magia – Livro 01 – Teri Brown

Sinopse“Ilusionista talentosa, Anna é assistente de sua mãe, a famosa médium Marguerite Van Housen, em seus shows e sessões espíritas, transitando livremente pelo mundo clandestino dos mágicos e mentalistas da Nova York dos anos 1920. Como filha ilegítima de Harry Houdini – ou pelo menos, é o que Marguerite alega – os passes de mágica não representam um grande desafio para a garota de 16 anos: o truque mais difícil é esconder seus verdadeiros dons da mãe oportunista. Afinal, enquanto os poderes de Marguerite não passam de uma fraude, Anna consegue realmente se comunicar com os mortos, captar os sentimentos das pessoas e prever o futuro. Porém, à medida que os poderes de Anna vão se intensificando, ela começa a experimentar visões apavorantes que a levam a explorar as habilidades por tanto tempo escondidas. E, quando um jovem enigmático chamado Cole se muda para o apartamento do andar de baixo, apresentando Anna a uma sociedade secreta que estuda pessoas com dons semelhantes aos seus, ela começa a se perguntar se há coisas mais importantes na vida do que guardar segredos. Mas em quem ela pode, de fato, confiar? Teri Brown cria, neste fantástico romance histórico, um mundo onde pulsam a magia, a paixão e as tentações da Nova York de Era do Jazz – e as aventuras de uma jovem prestes a se tornar senhora do seu destino.”
Minha opinião – “Filha da Ilusão” é o primeiro livro da série Herdeiros da Magia publicado no Brasil pela editora Valentina.
A história é narrada em primeira pessoa pela protagonista Anna, uma jovem de 16 anos de idade que tem uma vida peculiar. Sua mãe é uma famosa médium (do tipo charlatã), que vive de fazer apresentações e sessões espíritas privadas (que não são permitidas por lei).
Madame Marguerite é uma mulher egocêntrica, preocupada apenas consigo mesma. Anna trabalha como sua assistente nos palcos e como uma empregada em casa. Sua mãe não lhe dá o devido valor e na maior parte do livro é grosseira com a protagonista, principalmente quando Anna recebe algum elogio que ressalta sua beleza ou talento natural.
Diferente de sua mãe, Anna possui dons verdadeiros: ela tem alguns flashs do futuro, consegue falar com espíritos e ao tocar em alguém, pode ler suas emoções. É claro que ela mantêm tudo em segredo até mesmo de sua única familiar.
As duas se mudam para NY e Marguerite tenta ganhar fama com o auxílio de seu empresário francês Monsieus Jacques Mauvais.
Enquanto Anna continua suas rotinas diárias, ela conhece seu vizinho, o Sr. Darby, um senhor muito engraçado que é um inventor e o seu sobrinho, Colin. 
Em termos de romance, surge um início de triângulo amoroso entre Anna, Colin e o sobrinho de Jacques, Owen.
Mas o foco principal não está no romance, e sim, nos shows e sessões de Marguerite, na paternidade de Anna (sua mãe jura que ela é filha do famoso Houdini!) e da Sociedade de Pesquisas Paranormais.
Anna vai descobrir que não está sozinha quando o assunto é possuir dons, mas ela também vai observar que nem todos que se mostram tão solícitos em ajudá-la a entender suas habilidades, possuem intenções tão boas.
O livro é uma ótima pedida para os fãs do gênero. O enredo é muito bem construído, os personagens são carismáticos e com personalidades marcantes e os acontecimentos se destacam. Além disso, temos a ilustre aparição do próprio Houdini no livro! 
O trabalho editorial é fantástico. A capa é linda e chama a atenção, existem detalhes no cabeçalho e no início dos capítulos e a revisão foi minuciosa.

“De repente, as comportas se abrem dentro dele e um mar de afeto me inunda. Assustada, inclino a cabeça para trás e vejo seus olhos escuros ardendo com algo que nunca vi ou senti antes.” (p. 237)

Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859295
Ano: 2014
Páginas: 288
Tradutor: Heloísa Leal
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 5/5
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: