28fevereiro2014

Resenha: “Amigas Para Sempre” – Firefly Lane – Livro 01 – Kristin Hannah

Sinopse – “Tully Hart tinha 14 anos, era linda, alegre, popular e invejada por todos. O que ninguém poderia imaginar era o sofrimento que ela vivia dentro de casa: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas costumava desaparecer por longos períodos, deixando a menina aos cuidados da avó. Mas a vida de Tully se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu a garota mais legal do mundo. Kate Mularkey era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully sentir-se parte de sua família. Ao longo de mais de trinta anos de amizade, uma se tornou o porto seguro da outra. Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos. Kate, por sua vez, a ensinou a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena. As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio. Até que algo acontece para abalar a confiança entre elas. Será possível perdoar uma traição de sua melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto salvar”.

Minha opinião – O primeiro livro da série Firefly Lane é emocionante e delicado. Nessa primeira parte da história conhecemos a vida de Tully e Kate. Narrado em terceira pessoa, o livro começa narrando a vida de Tully na década de 1970 que naquele momento estava com 10 anos de idade. Acompanhamos através do olhar inocente de uma criança, o abandono constante de sua mãe Dorothy. Dorothy aparece esporadicamente na casa dos pais (Tully é criada pela avó e pelo avô), sempre bêbada, drogada ou ambos, leva a filha por pouco tempo e depois some. A necessidade de amor de Tully e de entender porque sua mãe nã a ama toca o coração do leitor.

Desde cedo a garota aprende a esculpir uma máscara de indiferença e acaba se tornando precocemente popular. É aos 14 anos que a sua vida muda, ao encontrar Kate…

Ao contrário de Tully, Kate tem uma vida estruturada, com pais presentes e seu irmão mais novo Sean. Mas o fato de não ser “moderna”, querer beber e fumar maconha a torna excluída socialmente, e voltada ao mundo dos livros.

Duas jovens tão diferentes vão formar uma amizade que o tempo não altera…..

” – Eu não disse que a fé era algo simples. Disse apenas que é necessária”. (p. 255)

A trama é extremamente sensível e mostra como a vida dessas duas jovens vão se entrelaçando, de modo que uma não existe sem a outra. Enquanto Tully se torna uma mulher mais centrada na carreira, em atingir seus objetivos e até mesmo um pouco egocêntrica, Kate se torna a conciliadora, aquela que sempre perdoa e na maioria das vezes é colocada em segundo plano. Claro que uma relação desse tipo tem altos e baixos, principalmente quando a vida das duas começa a tomar caminhos diferentes. Mas o que é tão belo nesse livro é que não importa os anos que se passaram, os caminhos que ambas tomaram ou os seus desentendimentos…. no final ninguém no mundo conhece os segredos das duas a não ser elas mesmas.

“Logo, Tully estava fazendo Kate dar risada. Este era o segredo de grandes amigas. Como irmãs e mães, elas podiam nos deixar furiosas, nos fazer chorar e nos magoar; mas, no fim, quando era preciso, elas estavam lá, nos fazendo rir mesmo nos piores momentos”. (p. 260)

A história das duas é dramática. Existem momentos em que vemos o sofrimento, a dor, a perda, mas também acompanhamos as alegrias, as conquistas e os amores.

Kristin Hannah conseguiu criar uma amizade atemporal que ultrapassa a barreira do impossível e deixa o leitor com lágrimas nos olhos até a última página do livro.

O enredo é perfeitamente construído com a passagem das décadas, os personagens secundários são enriquecedores e a vida dessas duas mulheres são um testemunho de amor.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um excelente trabalho. A capa faz menção a rua onde ambas se conheceram e transporta o leitor a um mundo maravilhoso.

“Vocês podem ser o que quiserem. Mas você precisa se arriscar às vezes. Se abrir para o mundo. Uma coisa que eu posso lhe dizer com toda certeza é o seguinte: na vida, a gente só se arrepende do que não faz”. (p. 27)

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412512
Ano: 2014
Páginas: 448
Tradutor: Cássia Zanon
Avaliação: 5/5
Skoob: Clique aqui

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

27fevereiro2014

Resenha: “Tentação ao Pôr do Sol” – The Hathaways – Livro 03 – Lisa Kleypas

Sinopse – “Poppy Hathaway está em Londres para sua terceira temporada de eventos sociais. Como nos dois anos anteriores, ela se hospedou com a família no hotel Rutledge. E, como nos dois anos anteriores, tudo indica que retornará a Hampshire sem ter encontrado um pretendente com quem se casar. Apesar de ser extremamente bonita e gentil, Poppy tem duas grandes desvantagens em relação às outras moças: sua inteligência deixa muitos homens acuados e o fato de vir de uma família tão pouco convencional faz com que os melhores partidos nem sequer a abordem. Mas o destino a coloca no caminho de Harry Rutledge, um homem de passado triste, que venceu na vida por conta própria e aprendeu a encarar tudo como um negócio. O dono do hotel não ama ninguém, confia em poucos e manipula todos. Porém, mesmo sendo tudo o que Poppy nunca almejou, ela não pode negar o fascínio que sente por ele. Quando Harry conhece Poppy, é tomado pelo desejo. Ele imediatamente tem a certeza de que a jovem será sua – e, para o bem ou para o mal, não mede esforços para que isso aconteça. Mas fascínio e desejo não serão suficientes para construir sua história, sobretudo quando uma traição põe em jogo as bases do relacionamento. Agora, é entre quatro paredes que eles tentarão resolver problemas e anular diferenças, num romance sensual em que seu futuro juntos pode mudar a cada toque, cada encontro, cada descoberta”.

Minha opinião – Dos três livros da série publicados até agora “Tentação ao pôr do sol” é o que possui um casal de protagonistas mais voltado as características dos romances históricos. Poppy está com 23 anos e junto com Bea que agora está com 19 anos estão participando dos bailes da sociedade londrina para conseguirem um bom casamento. Diferentemente das suas outras duas irmãs, o que Poppy almeja é um casamento sólido, seguro e uma vida tranquila… tão tranquila que alguns podem ver como chata. Ela procura pela normalidade que até o momento sua família não teve, já que sofreram tantas perdas e tiveram inúmeros obstáculos em seus caminhos. E Poppy tem um pretendente ideal: Michael Bayning, filho único de uma família promissora que é gentil com ela e gosta do fato dela ser inteligente. Em meio a um resgate causado pelo furão de estimação da Bea no hotel Rutledge, Poppy conhece Jay Harry Rutledge. Harry é um homem ambicioso que procura uma esposa mas que não tem paciência com as mocinhas sem cérebro da sociedade. Quando conhece Poppy, além da beleza da jovem, a inteligência e perspicácia o convencem de que ela será a sua esposa. A questão é o que Harry será capaz de fazer para conseguir o que quer.

Como nos livros anteriores, a família Hathaway está presente em todos os momentos permitindo ao leitor observar como esse grupo nada convencional cresce como unidade.

Poppy pode querer a normalidade mas não aceita dobrar-se as ordens de Harry, que é um homem intransigente e não gosta de ser contrariado.

Um dos pontos positivos desse livro é que a trama ocorre na maior parte do tempo no hotel, então algumas figuras engraçadas fazem aparições hilárias e os funcionários do hotel, como o secretário de Harry, Jake Valentine acabam sendo novas aquisições à família. Novos mistérios são lançados na trama, como o passado da dama de companhia, a srta. Marks. O modo como ela e Leo continuam se provocando é fofo e deixa claro o que podemos esperar no próximo livro.

A participação da família como um todo é maravilhosa, mas a cada livro da série que termina, fica mais claro que Bea está se tornando uma mulher hilária e ao mesmo tempo atrapalhada, aumentando significativamente a expectativa pelo livro que contará a sua história.

“- Juro por São Francisco, o santo protetor de todos os animais – falou e, percebendo a hesitação de Poppy, acrescentou com entusiasmo: – Se um bando de piratas me raptar e me levar para o navio e ameaçar a fazer com que eu ande na prancha sobre o mar infestado de tubarões famintos a menos que eu conte seu segredo, nem assim eu contarei. Se for amarrada por um vilão e posta na frente de uma manada de cavalos selvagens com ferraduras de ferro e o único jeito de não ser pisoteada por eles for revelar seu segredo ao vilão, eu …
– Tudo bem, você me convenceu – Poppy a interrompeu rindo”. (p. 43)

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.

” – As publicações femininas aconselham a deixar o marido impor sua vontade na maior parte do tempo.
– Ah, mentiras, mentiras. É melhor deixar o marido pensar que está impondo a sua vontade. Esse é o segredo para um casamento feliz”. (p. 190)

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412345
Ano: 2014
Páginas: 272
Tradutor: Débora Isidoro
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 4/5

 Série The Hathaways
  1. Desejo à Meia-Noite
  2. Sedução Ao Amanhecer
  3. Tentação ao Pôr do Sol
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

25fevereiro2014

Resenha: “Sedução Ao Amanhecer” – The Hathaways – Livro 02 – Lisa Kleypas

Sinopse – “O cigano Kev Merripen é apaixonado pela bela e bem-educada Win Hathaway desde que a família dela o salvou da morte e o acolheu, quando era apenas um menino. Com o tempo, Kev se tornou um homem forte e atraente, mas ainda se recusa a assumir seus sentimentos por medo de que sua origem obscura e seus instintos selvagens prejudiquem a delicada Win. Ela tem a saúde fragilizada desde que contraiu escarlatina, num surto que varreu a cidade. Sua única chance de recuperação é ir à Franca, para um tratamento com o famoso e bem-sucedido Dr. Harrow. Enquanto Win está fora, Kev se dedica a coordenar os trabalhos de reconstrução da propriedade da família, em Hampshire, transformando-se num respeitável administrador, mas também num homem ainda mais contido e severo. Anos depois, Win retorna, restabelecida, mais bonita do que nunca… e acompanhada por seu médico, um cavalheiro sedutor que demonstra um óbvio interesse por ela e desperta o ciúme arrebatado de Kev. Será que Win conseguirá enxergar por baixo da couraça de Kev o homem que um dia conheceu e tanto admirou? E será que o teimoso cigano terá coragem de confrontar um perigoso segredo do passado para não perder a mulher da sua vida?”

Minha opinião – No inverno de 1848, logo após o casamento de Amélia com Cam, Win vai para França realizar um tratamento que pode melhorar a sua saúde fragilizada. A jovem que é vista como fraca parte para voltar alguém capaz de ter uma vida plena e quem sabe ao lado de Merripen, se ele parar de rejeitá-la.

Merripen continua com a família Hathaway na ausência de Win e graças a distância entre eles, existem capítulos que são flashbacks da época em que Merripen se juntou a família e o seu encantamento pela Win ainda criança.

Em 1851 Win e Leo retornam para sua família mas não voltam sozinhos. Dr. Harrow, o médico que tratou Win os acompanha e deixa claro o interesse na Win, que se tornou uma mulher ainda mais bela.

A trama irá focar nesse triângulo: Win, Merripen e o Dr. Harrow, mas também traz vários momentos da família em paralelo. É agradável acompanhar o crescimento de Poppy e Bea, a excentricidade de Bea com os animais e perceber que Amélia continua tão protetora quanto antes.

Um dos pontos positivos do livro é que a autora foca um pouco mais nos costumes dos ciganos e aprofunda também as histórias do passado de Cam e Merripen.

Win é forte, inteligente e bonita e não quer ser tratada mais como uma flor delicada. Merripen tornou-se mais taciturno, ciumento e deixa claro que não hesitará em usar os punhos para defender aqueles que ama. Ele também começa a demonstrar suas capacidades de liderança e até mesmo se torna um pouco mais falante em determinados momentos.

Novos personagens são inseridos nessa grande e maluca família, como a dama de companhia de Poppy e Bea, a srta. Catherine Marks, que possui um passado misterioso e nos próximos livros irá ganhar mais destaque.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.

” – Todos os fogos do inferno poderiam arder por mil anos e não se igualariam ao ardor do que sinto por você em um minuto do dia. Eu a amo tanto que não há prazer nisso. Nada além de tormento. Porque seu eu pudesse diluir o que sinto por você a uma milionésima parte, o resultado ainda seria suficiente para matá-la. E, mesmo que isso me leve à loucura, prefiro vê-la viva nos braços daquele canalha frio e sem alma do que morta nos meus braços”. (p. 130)

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411652
Ano: 2013
Páginas: 256
Tradutor: Débora Isidoro
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 3/5

 
 
 Série The Hathaways
  1. Desejo à Meia-Noite
  2. Sedução Ao Amanhecer
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

24fevereiro2014

Resenha: “Desejo à Meia-Noite” – The Hathaways – Livro 01 – Lisa Kleypas

Sinopse – “Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos. Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos. Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?”

Minha opinião – O cenário é Londres. O ano é 1848.A família Hathaway encontra-se em meio a diversas perdas e Leo, o novo chefe da família, não está em condições de comandar nada. Cabe a Amélia, uma jovem de 26 anos cuidar de suas irmãs Win, Poppy e Bea e ao mesmo tempo resgatar Leo de antros duvidosos. A única pessoa que auxiliar Amélia é Merripen, um rom (cigano) que acompanha a família há anos.

Amélia é forte e determinada a manter a família unida e feliz, custe o que custar. Sua preocupação com seus irmãos é adorável, apesar de que em alguns momentos parecer exagerada.

Em uma de suas buscas por Leo no clube Jenner’s (um clube de cavalheiros), Amélia e Merripen encontram-se com Cam Rohan, que administra o clube. Cam é inteligente e sagaz, muito bom com números e um conquistador. O fato dele ser um rom não impede de ter mulheres aos seus pés e dinheiro no bolso. Sentindo-se extremamente entendiado com a mesmice, Cam está pronto para ficar um tempo longe de Londres quando conhece Amélia. A garota o intriga desde o primeiro instante em que ele a vê e ela não é uma mocinha bobinha que concorda com tudo, o que o deixa encantado.

“Embora estivesse tão bem-vestido quanto os outros dois cavalheiros, era óbvio que não se tratava de um. Tinha cabelos negros, pele morena e aparência exótica. Movia-se com a graça e a agilidade de um gato, evitando com facilidade os golpes e os botes de seus oponentes”. (p. 11)

 
A química entre o casal é óbvia, mas Amélia vai lutar com todas as suas forças contra essa atração. Um romance histórico com diálogos engraçados, personagens bem construídos e uma pitada de sobrenatural. Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa é linda, mas não diz muito sobre a trama.

” — Deus proteja quem ficar no seu caminho. Você gosta de cuidar da vida das pessoas, não é?
— Apenas quando é óbvio que posso fazer isso melhor do que elas”. (p. 53)

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580411492
Ano: 2013
Páginas: 272
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 3/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: