18abril2010

Entrevista com Roberta Polito -Autora de “Amores Incertos”

Olá Galera!
Hoje tenho uma entrevista exclusiva para apresentar á vocês uma autora muito querida e simpática: Roberta Polito que escreveu o romance “Amores Incertos”que vocês podem conferir a resenha Aqui e podem concorrer a um exemplar autografado clicando Aqui.Convidei-a para falar um pouco sobre seu trabalho ,seu livro recém-lançado e sua carreira,vamos conhecê-la?

Roberta Polito vive em São Paulo, cidade onde nasceu. Sempre gostou de escrever e, quando precisou decidir sua profissão, pensou em letras, publicidade e arquitetura. Acabou cursando arquitetura, profissão que exerceu exclusivamente apenas por alguns anos.

Thaís-Amores Incertos” é seu primeiro livro publicado,você levou em média quanto tempo para escrevê-lo?

Roberta- Comecei a escrever alguns contos em fevereiro do ano passado. Eram contos sequenciais, sempre com as mesmas personagens. Um deles – o mais longo – acabou sendo transformado no romance Amores Incertos. Foram 9 meses até a publicação do livro.

Thaís-Quando você começou a escrever,você imaginou que o livro teria um retorno positivo  do público?

Roberta-Logo que comecei a escrever, não tinha ainda intenção de publicar um livro. Depois que meu editor se interessou em lançar Amores Incertos, é que passei a pensar no público e algumas alterações foram feitas. Imaginei que o público por volta dos 30 anos pudesse se interessar, por causa da identificação com as questões das personagens – casamento, maternidade, separação… Eu estava enganada, ainda bem! Estou muito feliz com minhas leitoras na faixa dos 20 anos e até mais novas. Vi que a temática abordada é mesmo bem atual e pode conquistar pessoas muito diferentes.

Thaís-Você costuma ler muito?Quantos livros por mês?

Roberta-Eu tenho fases… Desde que comecei a escrever, tenho lido mais. Mas nunca fui uma leitora tão empenhada quanto você (rsrsrs). Não tenho uma média de livros lidos definida. Posso ler quatro livros de uma vez e passar meses sem ler nada. Depende muito das minhas atividades. Se estou escrevendo uma parte do livro que exija muito de mim, fica mais difícil ler ou fazer qualquer outra coisa.
Thaís-Atualmente ,você se dedica somente na profissão de escritora,ou a concilia com outras atividades?
Ainda faço alguns projetos de arquitetura de vez em quando, coordeno a escola do meu pai, escrevo, cuido da minha família… O pior é que eu amo viver assim, mas de vez em quando sinto que preciso de longas férias.

Thaís-Sei que você está escrevendo outro livro,qual o gênero literário que abordará o livro?

Roberta-O gênero é o mesmo de Amores Incertos – romance de ficção com temática atual. O próximo falará sobre a dúvida de casar ou não casar.

Perguntas enviadas pela leitora e amiga querida  Edilza Pinheiro ,do Blog Ediverdade

1-Em algumas entrevistas que li, você diz que:”Eu não escrevi para as mulheres, mas meu livro acabou se voltando para o público feminino mesmo”. Então gostaria de saber se teu estilo literário é Chick-Lit e se os homens não irão se sentir constrangidos lendo suas obras, que em “tese” são voltadas para nós, mulheres….

Roberta-Acho que os homens podem ficar constrangidos apenas pela capa pink (rsrsrs). Essa foi mais uma revelação para mim: vários homens leram meu livro e me deram um retorno muito positivo. Comentaram as partes da narrativa que mais gostaram e notei que o livro foi apreciado por eles também.
Quando escolhemos a capa na Editora Europa, o objetivo era cativar o público feminino, afinal era um romance… Teoricamente os homens lêem menos romance desse tipo. Então, a capa ficou bem feminina. As narradoras do livro são mulheres, portanto, o ponto de vista predominante é o delas. Apesar de tudo isso, há questões que envolvem os homens no livro e eles leram sem preconceito. Por isso, acho que Amores Incertos não se encaixa somente no gênero Chick-Lit .

2-Qual é a sensação de autografar um livro e receber o carinho dos leitores?

Roberta-Nossa… É muito bom! Dividir com o leitor essa experiência é demais. Quando leio as resenhas, fico emocionada. Eu penso: “elas leram mesmo!”. É divertido ver que a história fez companhia para alguém por alguns dias, durante a leitura.

3-Seu pai também é escritor, né? Ele teve papel decisivo em sua vida para escrever um romance?

Roberta-Sim, meu pai é escritor e seu papel foi realmente decisivo para que eu escrevesse este livro. Ouvi com atenção suas opiniões e ele foi a pessoa que mais me deu força para levar tudo isso a sério.

4-Qual o conselho que você daria às pessoas que desejam publicar seu primeiro livro?

Roberta-Escrever, apesar de divertido, exige organização, dedicação, pesquisa e muita observação. Sugiro a leitura de “Cartas a um jovem escritor”, de Mario Vargas Llosa, para começar. Entreter o leitor também é uma arte e tem algumas técnicas, mas a sensibilidade do autor é o que mais conta. Quem gosta de escrever precisa estar aberto às opiniões dos leitores e às críticas do editor. É muito importante saber ouvir e também saber filtrar o que importa para seu livro ou não, pois, afinal, o dono da história é você.

5-Quais são seus autores favoritos? Eles te influenciaram de alguma maneira para escrever Amores incertos?

Roberta-Meu autor predileto é Edgard Allan Poe. Eu adoro deixar o leitor curioso, fazer suspense. Pode ser que seus livros tenham me influenciado nisso.

 Roberta,muito sucesso e já estamos ansiosos para seu segundo livro!Obrigada por participar da entrevista que me cedeu tão gentilmente,fico agradecida.

Aproveite e conheçam o blog e os perfis da autora e do livro.

BLOG      TWITTER       SKOOB

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

1222324