10abril2016

[Resenha] Não Fuja – Se a morte não é o fim, o que virá depois? – Não Pare # 3 – FML Pepper

Sinopse – Vida. Morte. O que há entre elas? Antes e depois delas? Dois universos tão distintos e intimamente ligados. Como não sucumbir ao desejo que lhe drena a vida? Como aceitar que existe morte em vida e vida na morte? O que fazer quando a morte é a centelha que pulsa na vida, embebida de escuridão? A bússola da existência gira e aponta: o medo é uma opção; a vida, uma batalha; a morte, uma bênção.

“Não Fuja!” é o final eletrizante da trilogia Não Pare da autora FML Pepper. Narrado em primeira pessoa pela Nina, protagonista da série, a história se passa em Zyrk e inicia exatamente onde o segundo livro terminou.
Nina está determinada a encontrar Stela, que é mantida em cativeiro na dimensão. Porém, ela tem maiores preocupações no momento, como tentar ajudar o Rick, que está extremamente ferido, conseguir sair das mãos de seus captores e evitar o Grande Conselho de Zyrk, que já enviou sua cavalaria atrás dela.
Paralelamente à história central, temos diversas outras tramas que vão finalizando situações que estavam em aberto até agora. Temos a versão oficial do pai biológico de Nina e de Ismael, seu pai de criação; temos uma retrospectiva de 17 anos, onde Sertolin e Ismael são os protagonistas e guiarão o leitor até o presente; será explicada a função das Hox e o papel de Von der Hess, um personagem vil e inescrupuloso e muito mais.
É difícil falar desse livro sem entregar algo, mas o que posso adiantar é que a obra é ótima! Temos ação, romance, drama, batalhas e uma dimensão repleta de perigos.
A descrição do local é muito bem realizada dando a impressão de que nos transportamos para Zyrk durante a leitura. Os personagens são bem estruturados, cheios de nuances e com personalidades fortes e marcantes, tornando a conexão com o leitor palpável.
Finalmente teremos um encontro direto com Malazar e veremos como ele é capaz de manipular a todos a seu redor.
O amadurecimento dos personagens é claro e emocionante de se ler. A autora deu a possibilidade de redenção a alguns deles e também os ensinou a agir de forma altruísta e libertadora.
A trama é uma fantasia, mas possuí lições valiosas. A obra fala de amor, altruísmo, segundas chances, perdão e aceitação.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho fantástico. Os capítulos tem a imagem da capa em preto e branco e detalhes no rodapé, assim como no cabeçalho. Todo esse cuidado enriqueceu ainda mais o livro.

“Pobre Rick! Ele só havia se esquecido de um detalhe fundamental: se eu partisse para a segunda dimensão, eu também morreria. Seu coração zirquiniano não tinha entendimento de que só existe vida onde há amor. E os amores da minha vida estavam ali, em Zyrk”. (p. 19)

ISBN-13: 9788565859783
ISBN-10: 8565859789
Ano: 2016
Páginas: 384
Idioma: português 
Editora: Valentina
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5
Confiram a resenha de Não Pare!, primeiro livro da trilogia.
Confiram a resenha de Não olhe!, segundo livro da trilogia.

Detalhes internos do livro:

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

03março2016

[Resenha] A Condessa Sangrenta – Alejandra Pizarnik


Sinopse – Novela de terror inspirada na vida da condessa húngara Erzébet Báthory, condenada pelo assassinato de 650 jovens mulheres com requintes de crueldade.Vários dos tormentos aos quais as jovens foram submetidas são descritos no livro.Primeira obra da autora publicada no Brasil.Posfácio de João Silvério Trevisan (autor de Ana em Veneza e Devassos no Paraíso). Ilustrações do argentino Santiago Caruso.

A Condessa Elizabeth Bathory (Erzsebet Báthory, do original), foi uma das mulheres mais perversas e sanguinárias que a humanidade já conheceu. Os relatos sobre ela ultrapassam a fronteira da lenda e a rotulam através dos tempos como A Condessa de Sangue. Fonte
Nascida em 1560, filha de pais de famílias aristocráticas da Hungria, Elizabeth cresceu numa época em que as forças turcas conquistaram a maior parte do território Húngaro, sendo campo de batalhas entre Turquia e Áustria. Vários autores consideram esse o grande motivo de todo o seu sadismo, já que conviveu com todo o tipo de atrocidades quando criança, vendo inclusive suas irmãs sendo violentadas e mortas por rebeldes em um ataque ao seu castelo. Ainda durante sua infância, ficou sujeita à doenças repentinas acompanhadas por uma intensa ira e comportamento incontrolável, além de ataques epiléticos. Teve uma ótima educação, inclusive sendo excepcional pela sua inteligência. Falava fluentemente húngaro, latim e alemão. Embora capaz de cometer todo tipo de atrocidade, ela tinha pleno controle de suas faculdades mentais. Fonte
Em 1604 seu marido morreu e ela se mudou para Viena. Desse ponto em diante, conta a história que seus atos tornaram-se cada vez mais pavorosos e depravados. Arranjou uma parceira para suas atividades, uma misteriosa mulher de nome Anna Darvulia (suposta amante), que lhe ensinou novas técnicas de torturas e se tornou ativa nos sádicos banhos de sangue. Durante o inverno, a Condessa jogava suas criadas na neve e as banhava com água fria, congelando-as até a morte. Na versão da tortura para o verão, deixava a vítima amarrada banhada em mel, para os insetos devorarem-na viva. Marcava as criadas mais indisciplinadas com ferro quente no rosto ou em lugares sensíveis, e chegou a incendiar os pêlos pubianos de algumas delas. Em seu porão, mandou fazer uma jaula onde a vítima fosse torturada pouco a pouco, erguendo-a de encontro a estacas afiadas. Gostava dos gritos de desespero e sentia mais prazer quando o sangue banhava todo seu rosto e roupas, tendo que ir limpar-se para continuar o ato. Fonte
As investigações sobre os assassinatos cometidos pela Condessa começaram em 1610. Foi uma excelente oportunidade para a Coroa que, há algum tempo, tinha a intenção de confiscar as terras por motivos de dívida de seu finado marido. Assim, em dezembro de 1610 foi presa e julgada. Em janeiro do ano seguinte foi apresentada como prova, anotações escritas por Elizabeth, onde contava com aproximadamente 650 nomes de vítimas mortas pela acusada. Seus cúmplices foram condenados à morte e a Condessa de Bathory à prisão perpétua. Foi presa num aposento em seu próprio castelo, do qual não havia portas nem janelas, só uma pequena abertura para passagem de ar e comida.Fonte
Ficou presa até sua morte em 21 de agosto de 1614. Foi sepultada nas terras de Bathory, em Ecsed. O seu corpo deveria ter sido enterrado na igreja da cidade de Csejthe, mas os habitantes acharam repugnante a idéia de ter a “Infame Senhora” sepultada na cidade. Fonte
Até hoje, o nome Erzsebet Báthory é sinônimo de beleza e maldade para os povos de toda a Europa. Fonte
Todo esse histórico apresentado antes de comentar sobre o livro, foi feito para auxiliar na visão do leitor sobre a temível Condessa. No livro “A Condessa Sangrenta” somos apresentados a alguns métodos de tortura empregados por ela. Com 12 capítulos e um posfácio, o livro demonstra em capítulos curtinhos e com imagens vívidas essa situação.
O conteúdo escrito do livro em si não é o que chama a atenção. As gravuras destacam-se de tal forma que é horripilante observá-las por tempo demais. Basicamente feitas em tons de preto e cinza com destaques em vermelho.

ISBN-13: 9788564406001
ISBN-10: 8564406004
Ano: 2011 
Páginas: 60
Idioma: português 
Editora: Tordesilhas
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

23fevereiro2016

[Resenha] Depois do que aconteceu & Antes que aconteça – Juliana Parrini


Sinopse – “O vazio deixado por Alex está sempre comigo, e isso é bom, porque essa dor me dá a certeza de que a sua existência em minha vida foi real. E o mais difícil nessa batalha que se estende dia após dia é ficar longe de quem você mais queria estar perto.”
Isabel passou o último ano fugindo. Depois do que aconteceu, a jovem não acredita que conseguirá ser feliz novamente. O que ela não esperava era que o destino colocaria Daniel Clark em seu caminho. A atração entre os dois é imediata e irreversível: ao voltar para casa, a carioca Isabel não será capaz de esquecer os encantadores olhos azuis daquele cara que conheceu por acaso em plena avenida Paulista. A partir desse dia, a tristeza de Isabel perde espaço para uma paixão que mudará a sua vida. Ficar presa ao passado vale mesmo a pena? Ou é preciso seguir em frente e dar uma segunda chance ao amor?

A história é narrada através da perspectiva de Isabel, uma jovem que atualmente está imersa em uma depressão por ter sido abandonada pelo noivo. Através de capítulos alternados entre presente e passado, observamos que o relacionamento de Isabel e Alex é algo antigo, que iniciou-se na infância. A amizade com o passar dos anos tornou-se algo mais e os dois cresceram unidos e apaixonados.
Com o pai e as duas melhores amigas preocupadas com o seu bem estar, Bel faz um esforço para voltar à normalidade e acaba esbarrando em Daniel Clark. Daniel é o tipo de cara que faz as mulheres suspirarem: bonito, inteligente, engraçado e totalmente irresistível.
Bel pela primeira vez em muito tempo sente algo e decide dar um passo adiante, mas suas dores do passado e os segredos de Daniel podem ser mais do que o casal consegue lidar.

“Posso passar mil anos sem te ver, mil anos sem sentir sua presença, sem sentir seus braços rodeando meu corpo, mas isso nunca me fará deixar de te amar, infelizmente.Você acabou com a minha vida! Confesso meus sentimentos a mim mesma, indo contra minha tática inicial de encontrar motivos para odiá-lo. Eu o odeio. Odeio por tudo o que fez, mas eu o amo ainda mais por tudo o que significou”.

O livro é um romance mesclado com drama e tem seus pontos diferenciais. O primeiro é a explicação dada para o término do relacionamento de Isabel. A situação é abordada de forma leve nessa obra, mas trata de algo que muitas pessoas lidam no dia a dia. Outro diferencial da obra é a construção dos personagens secundários, que vão ganhando seu espaço com o avançar das páginas. As amigas-irmãs de Bel destacam-se por sua lealdade, bom humor e protecionismo que sentem pela protagonista.

“Dizem que quando a saudade não vai embora é porque resolveu ficar, e não adianta, em hipótese alguma, dizer ao coração o que ele deve fazer. Às vezes ele é cruel e nos leva para um mundo totalmente desolador. Vejo seus olhos brilharem à distância. O vento sopra em meus cabelos, enquanto corro para os seus braços o mais rápido que posso certa de que, ao encontrá-lo, serei feliz novamente. Até perceber que estou caminhando há horas, dias, um ano, sem nunca chegar aos braços do meu amor.”

ISBN-13: 9788581053004

ISBN-10: 8581053009
Ano: 2015
Páginas: 344
Idioma: português 
Editora: Suma de Letras
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5 <3

Sinopse – Isabel passou um ano fugindo. Depois de uma grande desilusão, ela não acreditava que conseguiria ser feliz novamente. Até que conhece Daniel e decide recomeçar. Quando Isabel finalmente dá uma segunda chance ao amor, o destino a surpreende com uma notícia que poderá mudar sua vida para sempre.Em “Antes que aconteça”, o desfecho de Depois do que aconteceu, Isabel terá a chance de reencontrar o passado e lutar pela sua felicidade.

No primeiro livro temos o processo de cura de Isabel após ter sido abandonada por Alex e a possibilidade de um novo amor: Daniel. Em “Antes que aconteça”, Bel e Daniel estão felizes, comemorando o relacionamento e ganhando destaque profissional. Tudo isso é posto a perder quando Alex decide retornar ao Brasil e tentar uma nova chance com Bel.
Nesse desfecho a autora trabalhou com delicadeza os sentimentos da protagonista. Bel nunca deixou de amar Alex e apesar de sofrer muito com o seu abandono, sabe que as ações dele foram movidas por forças maiores. Mas isso não quer dizer que ela esteja preparada para encará-lo ou que Daniel esteja preparado para que o tão temido fantasma do passado de sua amada volte. Por conta do início turbulento e repleto de segredos que Daniel teve com Bel, ele se sente inseguro, pois sabe que ela ainda ama Alex. A grande questão é se ela ama Daniel o suficiente para começar uma vida com ele.

“Sentir sua pele é inebriante e divino. Tudo o que eu quero, está aqui na minha frente. Beijo sua boca e engulo seus gemidos. Estar em seus braços é como estar em casa: seu corpo é o meu lar e seu amor é a minha fonte vital para permanecer de pé.” Daniel Clark

Daniel está mais romântico e atencioso, mas também projeta suas inseguranças de forma bruta em alguns momentos.

Alex e Bel estão preparados para resolver o passado e seguir em frente com suas vidas. De uma forma ou de outra, alguém vai sofrer nessa história. 

O final da obra foi encantador e a delicadeza com que a autora conseguiu amarrar as pontas soltas foi fantástica!
ISBN-13: 9788581053110
ISBN-10: 8581053114
Ano: 2015 
Páginas: 240
Idioma: português 
Avaliação: 5 /5 

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

17fevereiro2016

[Resenha] Não Olhe! Se a morte possui muitas faces, em qual delas confiar? – Trilogia Não Pare # 2 – FML Pepper

Sinopse – Zyrk pode estar com as horas contadas: a híbrida acabou de cruzar o portal e o frágil equilíbrio entre os quatro clãs encontra-se definitivamente ameaçado. Há milênios forças ocultas espreitam, aguardando apenas o momento de emergir das sombras e mostrar seu poder. Fugir e sobreviver. Aceitar e lutar. Há muitos caminhos, mas qual deles seguir se a Morte possui várias faces? Nina acorda entre a vida e a morte na terceira dimensão, levada para a sombria Thron. Richard, o nada confiável resgatador de apaixonantes olhos azul-turquesa, luta contra sua própria natureza. Cruel e sanguinário, Rick está confuso e cada vez mais cercado por seus inimigos. Mesmo o melhor dos guerreiros, o mais temido e destemido, está protegido da força de um grande amor? Ele e a híbrida viajarão por toda Zyrk, e ela irá se deparar com um universo fantástico, um mundo violento, o plano da Morte. Lutando para se libertar de seus medos e determinada a encontrar seu caminho e sua identidade, Nina embarcará em uma jornada de descobertas arrasadoras, um percurso sem volta. Mas a garota das pupilas verticais descobrirá que as vontades do coração podem ser mais traiçoeiras que lendas ou maldições.

CONTÊM SPOILERS DO LIVRO “NÃO PARE”


No primeiro livro Nina descobre que é uma híbrida, meio humana e meio zirquiniana e que sua existência não deveria ocorrer, já que a interação entre humanos e zirquinianos é proibida. Zyrk é a terceira dimensão, responsável por manter o equilíbrio da segunda dimensão, que é a Terra. Temos ainda o Plano (que chamaríamos de Paraíso) e o Vértice (que seria o Inferno). Dessa forma, os quatro clãs de Zyrk: Thron, Storm, Windston e Marmon querem Nina. 

Nina agora encontra-se em Zyrk e inicialmente está em Thron com Richard. Apesar de Richard ser o queridinho das leitoras, nesse segundo livro, seu comportamento não foi agradável. Muitas vezes ele foi ríspido com Nina, chegando até a ser um pouco cruel, confundindo profundamente a garota. Por outro lado, um personagem que ganhou destaque por ser honrado e gentil (vamos nos lembrar que os zirquinianos não possuem bons sentimentos), foi John.

“Um ódio enlouquecedor me queimou por dentro. Eu não queria admitir, mas sabia que, bem lá no fundo, estava louca da vida comigo por estar morrendo de ciúmes de um garoto que eu deveria odiar”. (p. 32)

Através de Nina conhecemos um pouco a cultura de Thron e seu líder Shakur, assim como seu desprezível filho Collin. Também temos a oportunidade de conhecer o reino de Storm, e seu líder Kaller, que é o pai de John.

O interessante desse segundo livro além da trama principal, são os detalhes que a autora descreveu sobre Zyrk: a existência de um grande Conselho criado por magos; a profecia do Portal Pentogonal; as criaturas da noite; os mensageiros interplanos; os escaravelhos de Hao, a floresta fria e algumas situações culturais como a Proclamação.

Em paralelo à trama principal o leitor também conhece um pouco sobre o pai de Nina, Dale e o passado dele antes e depois de conhecer Stela. Também conhecemos um pouco sobre a história de Richard, sua criação com a Sra. Brit e Guimlel e um pouco mais de sua percepção sobre o mundo de Zyrk.

“- Eu sofri pela primeira vez e foi você que me presenteou com algo que eu julgava intangível e inimaginável: sentir! Eu passei a viver, Nina. Antes de te conhecer, eu apenas existia, mas não vivia.”

A história foi muito bem delineada, desenvolvida em diversos planos: desde a história principal até aos detalhes de personagens secundários. Além disso, a autora inseriu personagens cativantes em Zyrk, que possuem mais humanidade do que acreditam ter.

” – Você é o fogo que me mata e me dá forças para reerguer todos os dias, Nina. Estou descontrolado e minhas ações perderam o sentido. Eu penso em você dia e noite, Tesouro.

Como no primeiro livro, o final foi muito bem elaborado. A autora soube criar um momento clímax perfeito, que deixa o leitor na expectativa pela continuação.

“- Pode até ser pouco para um humano, mas lhe garanto que é forte demais para um zirquiniano. Eu jamais poderia imaginar que tamanho prazer causasse tanta dor.”

O trabalho editorial está incrível! Tanto a parte de revisão quanto o layout chamam a atenção. A capa está magnífica e sem dúvida combina com a trama e com a capa do livro anterior. O início de cada capítulo tem a imagem da capa como fundo e no topo do lado direito temos um desenho, enriquecendo ainda mais o livro.
A trama contêm muita ação, romance e mistérios que ainda deverão ser resolvidos. Para os fãs do gênero, sem dúvida é uma trilogia que deve ser lida.

“Combustão, desejo, desespero. Eu estava muito tonta, talvez fosse a hora de parar um pouco para respirar, mas não consegui interromper o frenesi enlouquecedor que subiu pelo meu ventre, a eletricidade que me levou ao delírio quando suas mãos perfeitamente ávidas e nervosas deslizaram pela parte interna das minhas coxas e começaram lentamente a levantar a anágua.” (p. 208)

Edição: 2
Editora: Valentina
ISBN: 978-85-65859-69-1
Ano: 2015
Páginas: 350
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5

Confiram a resenha de Não pare – Livro 01

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados: