08Janeiro2011

Vila Citrus – Daniel de Carvalho

Livro: Vila Citrus 
Autor: Daniel de Carvalho 
Editora:  Baraúna
Categoria:  Literatura Nacional / Romance
ISBN: 9788579230585
Páginas: 311
Lançamento : 2010

Hoje vou falar de um livro I-N-C-R-Í-V-E-L! Quem leu minha resenha de “Os Preconceituosos” do mesmo autor viu que o livro já tinha me conquistado e quando soube que o autor que inclusive já entrevistei, tinha escrito mais livros, a curiosidade foi em conhecer e aprofundar-me em mais um deles, e o escolhido é o livro que vos descrevo hoje!

“Vila Citrus” é o primeiro livro que leio que aborda um pouco do universo “obscuro” de algumas seitas que promovem maldade, mortes e feitiçaria. Mas não se assustem! Garanto que o livro lhe aguçará a curiosidade e na leitura de cada página você ficará ansioso pelo desfecho.
Só não me encantei muito com o final, eu esperava mais, o livro tem uma história tão incrível que renderia mais umas 100 páginas! O final poderia ser mais abordado e elaborado, visto que o enredo é lançado à uma narração futurista…
Mas enfim, não posso deixar de descrever um pouco deste magnífico livro não é mesmo?
Godofredo acabou de sair de um casamento por incompatibilidade de gênios, mas está feliz com sua atual solteirice, abandonou o emprego de farmacêutico também, estava descontente com sua situação e resolveu mudar de vida, respirar novos ares! Como recentemente recebeu uma pequena herança, sabe que o momento é oportuno para se aventurar em novos horizontes, aproveitar a vida!
E assim, Godofredo sai de viagem ao desconhecido, ele dispensa mapas, quer viver e presenciar novos lugares, novos rostos, uma nova vida.
  E assim que andando sem rumo ele chega a uma estrada desconhecida, e mesmo avisado por um moço desconhecido de que não siga em frente, ele avança e assim chega na Vila Citrus, onde um feiticeiro conhecido como UZZ mantém a cidade sob seu domínio, policiais prendem seu carro, desaparecem com todos os seus documentos e dinheiro, e assim ele fica sem nada, em uma terra estranha, e cheia de aldeões e pessoas ainda mais estranhas!
    Viver em “Vila Citrus” não é fácil, na cidade só entra quem o feiticeiro ordena e só saiu dela morto.
E assim Godofredo conhece a temível vila Citrus comandada pelas forças do mal e de práticas não lícitas, de maldade e rituais maléficos que destroem e roubam a alma, daquele que se atreve a desobeder o UZZ e seus homens encapuzados que praticam o mal. Enquanto isso na empresa e no pomar da CITRUZZ os aldeões doam o máximo de si, pois a dívida que eles tem nunca terminam.
Como eu disse, a história desenvolvida e criada pelo autor é muito diferente de tudo que já li, o autor mantém a narração como em seu livro anterior, narração leve, entrosada e viciante! Li em apenas um dia, tamanha era a minha curiosidade em relação ao final!
Quem será a nova moça que apareceu em Vila Citrus? E quem é o misterioso rapaz que apareceu do nada e começa a fazer justiça com suas próprias mãos? E porque em Vila Citrus não habitam crianças? Leiam e descubram os porquês rsrs. Recomendadíssimo!

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

28dezembro2010

Fuga de Rigel – Diogo de Souza

Imagine um mundo com pessoas propensas a terem certos “dons especiais”; imagine pessoas telecinéticas, telepatas, clarividentes, entre tantos outros “poderes” que só vemos nas histórias em quadrinhos. Consegue imaginar?

No livro de hoje eu posso garantir a vocês: isso é real.

Livro: Fuga de Rigel
Autor:  Diogo de Souza
Editora:  Isis
Categoria:  Literatura Nacional
ISBN:  8588886332
Páginas:  264
Lançado: 2008

Uma fundação descobriu a existências de seres humanos propensos a desenvolverem certas habilidades, passaram a sequestrar crianças com a pré-disposição e levá-las para serem treinadas pela fundação, uma espécie de base militar desconhecida pelos ditos “normais”.

As crianças crescem e desenvolvem seus poderes sem saber o que é o mundo fora da fundação.

“A GWI e a Fundação Cosmos têm operado em conjunto desde o início, e oferecem aos paranormais treinados por eles, uma forma onde possam exercer uma atividade lucrativa. Assim, enquanto promovem o convívio exclusivo entre eles, afastando-os do contato com os “normais”, contribuem com a fundação que os treinou.” (p.56)

Um garoto de apenas 11 anos desconfia que haja algo errado neste lugar, seu nome: Rigel.
Rigel é um dos maiores tecinéticos da fundação e um aluno propenso a se tornar uma lenda com tamanhos poderes, mas o garoto descobre que a fundação manteve segredo sobre a existência de seu pai.
A partir daí Rigel está decidido a encontrar o pai e sua fuga da fundação cosmos gera uma grande perseguição. 
Os melhores agentes da fundação Cosmos são enviados para sua captura, eles não podem permitir que descubram quem é Rigel.
Numa fuga emocionante Rigel precisa encontrar seu pai, mas como fugir de pessoas que podem ler sua mente e prever cada movimento seu?
Eis uma coisa que Rigel precisa descobrir, mas a resposta trará ainda mais confusões.
O livro do autor nacional Diogo de Souza, é um livro emocionante, com uma história diferenciada, repleta de muitos segredos e muita adrenalina.
Vale a pena conhecer!

    
Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

12novembro2010

Entrevista com Daniel de Carvalho

Olá Viajantes!
Conhecer um autor é como adentrar um instante no universo dele, entender o porquê de algumas coisas e descobrir outras totalmente novas. Hoje vocês irão conhecer o autor do livro que resenhei aqui no blog “Os Preconceituosos” ! Que tal viajarmos hoje um pouco até o mundo de Daniel de Carvalho?
Thaís- Quando descobriu que seria um escritor?
Daniel- O desejo de escrever foi surgindo aos poucos em minha vida, desde a infância. Algumas vezes, sentia vontade de escrever romances. Entretanto, a vida sempre agitada não me permitia dar vazão a esse desejo.
Durante uma madrugada de 2006, com a vida já menos agitada, eu senti um impulso vindo de meu interior. Pus-me, então, a imaginar uma história. Pela manhã, tratei de desenvolver a sinopse do meu primeiro romance, “ACONTECEU NO SÉCULO VINTE”.
Ao fazê-lo, descobri um mundo novo de prazer e satisfação.
Thaís- Qual seu gênero literário favorito? Você lê muito?
Daniel- Gosto de ficção. A leitura sempre fez parte de minha vida. Meu pai lia muito e isso influenciou meu gosto pela arte. Mas os gêneros das obras que eu li foram diferentes em diferentes fases de minha vida. Durante a infância, mesmo antes de saber ler, minha mãe lia livros de história para mim. Tão logo aprendi a ler, comecei a devorar livros de histórias para crianças, de autores brasileiros e estrangeiros.
Durante o período colegial, me entusiasmei com as aulas de literatura. Foi quando fui levado a ler e interpretar trechos dos clássicos da literatura mundial. Depois, na faculdade e durante toda minha vida profissional, o foco das leituras mudou totalmente para os livros didáticos, técnicos e especializados. Mais recentemente, comecei a voltar para as leituras de entretenimento.

Thaís- Quantos anos você tem, estado civil e onde mora?
Daniel- Tenho 73 anos, sou casado há 50 anos e nasci em São Paulo – SP. Atualmente moro em Piracicaba – SP.
Thaís- Na sua opinião, por que é tão difícil publicar um livro em nosso país?
Daniel- Há muitos escritores consagrados, nacionais e estrangeiros. E há, também, muitos escritores estreantes de ótima qualidade. As editoras recebem textos em grande quantidade. A maioria deles é submetida a Críticas Literárias e nem todos os textos atendem às expectativas das editoras. Mesmo os melhores textos de estreantes têm que concorrer com títulos que foram sucessos no estrangeiro e com autores brasileiros já conhecidos do público.
É muito difícil que uma Editora arrisque publicar uma obra de autor desconhecido. E temos que considerar que, no Brasil, ainda se lê muito pouco, aumentando o risco das editoras em lançar uma obra.
Thaís- Qual foi sua maior inspiração para escrever seus livros? Você tem um escritor(a) favorito?
Daniel- Ao imaginar minhas histórias, o que sempre acontece nas madrugadas, três fontes, existentes em meu subconsciente, afloram em minha mente:
A saudade de minha infância;
O gosto por aventuras;
E o fascínio pelas histórias de pessoas que venceram na vida superando grandes dificuldades.
Todos meus livros têm pelo menos uma pequena porção desses ingredientes.
Entre os escritores que mais gosto, estão:
  • Edgard Rice Burroughs
  • Isaac Asimov
  • Alexandre Dumas (pai)
  • Charles Dickens
  • Sidney Sheldom
  • Machado de Assis
  • Mark Twain
  • Monteiro Lobato

Thaís- Projetos futuros?
Daniel- Recentemente, terminei o romance “VIKING”, que deverá ser publicado ainda em 2010.
O tema principal desta história é a situação do ser humano neste mundo de tantas maravilhas e de tantos horrores. Por que o mesmo homem, que descobre aspectos fascinantes nas ciências e desenvolve tecnologias surpreendentes, não conseguiu até hoje fazer o mesmo em relação à organização social?
Para discutir essas questões, escolhi fazê-lo através de uma leitura amena, ou seja, de uma história romântica ocorrida 200 a.C., e ambientada na fictícia aldeia de Mors, situada na atual Noruega.
Atualmente, estou escrevendo o romance “O DESPERTAR DE UMA CIDADE”. Trata-se de um grande amor entre um jovem brasileiro e uma jovem inglesa, o qual acontece durante a construção da Estação da Luz, em São Paulo, entre o fim do século XIX e o começo do século XX.
Tenho preparadas as sinopses de meus próximos romances: “O MENSAGEIRO” e “TIM ATLAS NA MONTANHA DAS HARPIAS”.
Também tenho planos para duas obras que fogem ao gênero de ficção: “A ADMINISTRAÇÃO DA VIDA” e “COMO ESCREVO MEUS ROMANCES”.
Thaís- No livro “Os preconceituosos” você teve como tema o preconceito em todos os seus aspectos. O que te inspirou a escrever sobre isso?
Daniel- Tomo sempre o cuidado de, ao abordar assuntos polêmicos, como preconceitos, não deixar transparecer minhas opiniões pessoais. Agrada-me dissecar questões complexas, através dos personagens, deixando que os leitores tirem suas próprias conclusões.
Outro assunto abordado em “Os preconceituosos” é o livre-arbítrio versus determinismo. A questão é: somos donos do nosso próprio nariz ou somos marionetes manipuladas pela natureza?
Thaís – Nos fale um pouco de sua trajetória como escritor.
Daniel- Escrevo ficção há pouco tempo. Comecei em 2006 e, desde então, tenho me dedicado a escrever praticamente 24h por dia. Entenda-se que escrever não se resume apenas ao tempo em que se está redigindo, mas também ao tempo dedicado às pesquisas. Como sou muito minucioso, do tempo total para escrever um livro, cerca de 70% eu estou pesquisando.
Até este ano de 2010, já publiquei quatro romances, o quinto será publicado ainda neste ano e no momento estou escrevendo o sexto.
Thaís- Foi um prazer fazer esta entrevista, agradeço sua atenção e disponibilidade. Gostaria de deixar uma mensagem para os leitores do blog?
Daniel- Sim, Thais. Agradeço a oportunidade de me dirigir aos leitores do seu blog Viaje na Leitura.
Amigos do Viaje na Leitura:
Para mim, escrever ficção é, antes de tudo, um prazer pessoal. Não escrevo com objetivo de ganhar dinheiro. Depois de terminar um livro, minha maior satisfação e saber que alguém o leu. Gosto de saber da opinião das pessoas sobre o que escrevi. Mesmo quando essas opiniões não são favoráveis, elas são úteis para que eu possa melhorar meus próximos trabalhos.
Portanto, se vocês lerem meus livros, por favor, não deixem de comentá-los através do meu site : www.danieldecarvalho.ato.br ou de meu e-mail:  daniel3237@terra.com.br.
Abraços a todos.
Livros Publicados do autor pela Editora Baraúna:
Fazer esta entrevista, foi muito prazeroso, o autor mostrou simpatia, humildade e valor imcompáravel as palavras, percebe-se uma inteligência e entendimento amplo do autor, pude perceber lendo “Os Preconceituosos”, a magnífica forma como o autor escreve. Ele ainda está disposto a interagir com os leitores e saber a sua opinião! Escreva para ele!

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

06novembro2010

Os Preconceituosos – Daniel de Carvalho

Livro: Os preconceituosos
Autor: Daniel de Carvalho 
Editora:  Baraúna
Categoria:  Literatura Nacional / Romance
ISBN: 9788579231704
Páginas: 306
Lançamento : 2010

Que tal conhecer uma história magnífica e divertida? Em que um romancista, traz seus personagens para dentro de sua sala e os convida a tomar um delicioso chá, enquanto explica para eles que são meros personagens de seu romance?
     Mas quando Desidério, o romancista, manda os personagens de volta ao livro, eles não se lembram da visita ao criador deles, e tudo prossegue como antes.
   “Os Preconceituosos” conta a história de vários personagens preconceituosos, religioso que tem preconceito de quem é ateu, homens de prostitutas, ricos de pobres.
  Mas como tudo nesta vida, o feitiço pode se virar contra o feiticeiro. Mônica é bailarina e também garota de programa, seus pais sequer imaginam que sua doce filha faz programas além da dança. Demétrius é ateu, odeia prostitutas e vive implicando com sua prima Glória que é muito religiosa, pobre e humilde.
         Mas o destino coloca Mônica na vida de Demétrios, que fica arrasado quando descobre que Mônica, apesar de linda e culta, é uma prostituta, ser que ele abomina. O amor que é insuperável acabará por unir estes dois personagens, ultrapassando e superando seus preconceitos?
        Enquanto isso, Glória que tem apenas 19 anos, arruma um emprego no Consulado, onde conhece Bento, um jovem da alta sociedade que se encanta com ela desde que se viram pela primeira vez, mas tem preconceitos e não suporta a pobreza da qual essa linda moça faz parte.
 ***
Entre estes dois casais se ergue um enredo fantástico e surpreendente, que além de nos proporcionar duas histórias de amor e preconceito, nos levam a refletir sobre nosso verdadeiro sentimento, valor e determinismo.
 E ainda tem um acontecimento inesperado para Desidério o romancista que narra e escreve a história acima. Quer descobrir? Surpreendam-se com essa fantástica e emocionante história. Recomendadíssimo!

Mais informações

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados: