02agosto2016

[Resenha] Meio Rei – Mar Despedaçado # 1 – Joe Abercrombie

Sinopse – Jurei vingar a morte do meu pai. Posso até ser meio homem, mas sou capaz de fazer um juramento por inteiro. Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem. Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava. Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo. Joe Abercrombie nos apresenta um protagonista surpreendente, numa história de percalços e amadurecimento que abre a trilogia Mar Despedaçado. 


“Meio Rei” é o primeiro livro da série Mar Despedaçado e inicialmente se passa em Gettland. Narrada em terceira pessoa, a trama gira em torno de Yarvi, o filho mais novo do rei Uthrik e da rainha Dourada Laithlin. Yarvi é um jovem culto e curioso que está disposto a entrar no Ministério, pois não é bem aceito por seu próprio pai por ter nascido com uma mão defeituosa. 
Enquanto crescia, Yarvi foi humilhado constantemente pelos soldados e todos o enxergam como um problema, um “defeito” ambulante. A única pessoa que sempre o tratou bem é o seu tio Odem e é ele que se torna o seu braço direito quando seu pai e irmão são emboscados e assassinados pelo Grom-gil-gorm, o quebrador de espadas, o fazedor de órfãos. Grom é o rei de Vansterland e o maior inimigo de Gettland. 
Com a morte do rei, Yarvi precisa abrir mão de seus sonhos e assumir o trono. Mas será que alguém que nunca foi preparado para o cargo e que não tem confiança em si mesmo será capaz de liderar?
Yarvi assume o trono, começando com uma promessa que mudará a sua vida:

“- Eu, Yarvi, filho de Uthrik e Laithlin, rei de Gettland, faço um juramento! Faço um juramento solar e um juramento lunar. Juro diante d’Aquela que Julga, d’Aquele Que Lembra e d”Aquela Que Aperta o Nó. Que meu irmão, meu pai e meus ancestrais enterrados aqui sejam testemunhas. Que Aquele Que Vigia e Aquela Que Escreve sejam testemunhas. Que todos sejam testemunhas. Que isso sempre me acorrente e me aguilhoe. Eu me vingarei dos assassinos do meu pai e do meu irmão. Eu juro!” (p. 42)

É baseado nesse juramento que Yarvi irá buscar sua vingança, mas que irá se deparar com uma rede de traições e uma grande reviravolta o leva para a segunda parte do livro.
A segunda parte, chamada O Vento Sul. Vento Sul é o nome do navio onde Yarvi se encontra em uma situação lamentável. Ocultando sua verdadeira identidade e passando por situações humilhantes, é nessa parte que Yarvi cresce como personagem. Seu amadurecimento é visível e ele utiliza as lições que aprendeu durante seus estudos. Também é nessa segunda parte que irá aparecer personagens de destaque, que irão acompanhar Yarvi em sua longa jornada.
Sumael é uma navegadora. Inteligente, quieta e perceptiva, tem seus próprios planos e não confia em ninguém.
Jaud e Rulf são dois homens que passaram por muita coisa e mesmo assim conseguem estender a mão e demonstrar bondade e generosidade, apesar de seus comentários irônicos.
E o Nada é um homem misterioso, sombrio e com muitos segredos. Ele vive pelo aço e não teme a morte e tem como arquiinimigo a capitã Edbel Aric Shadikishirram, a capitã do Vento Sul.
Com muita ação, emoção e lutas, chegamos a terceira parte do livro, chamada de A Longa Estrada, onde este grupo improvável de aliados precisa fugir e seguir seus destinos. Essa parte é a mais lenta da obra, onde o grupo terá obstáculos da natureza em seu caminho, sofrendo privações ao mesmo tempo em que estão sendo caçados. Porém, mesmo em ritmo mais lento, temos cenas de lutas e observamos as habilidades de alguns dos personagens.
A quarta e última parte é chamada de “O rei legítimo” e é o momento de grandes revelações e o retorno de Yarvi à Gettland. 
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. O livro contêm vários detalhes internos e uma capa que combina perfeitamente com a história.

ISBN-13: 9788580415612
ISBN-10: 8580415616
Ano: 2016
Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Arqueiro
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

19julho2016

[Resenha] Entre o Sol e a Lua – Ana Ferrarezzi

Sinopse:
Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo
rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no
Rio de Janeiro. Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã –
entidade do Sol – a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele.
Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante
entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora
faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que
irá se deparar com inimigos inimagináveis.
Surge entre eles uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir
forças para proteger a sua amada. E quebrar o encantamento que o impede
de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir,
ele precisa de Joana para viver. Num enredo intrigante e mágico, Entre o
Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas,
parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia
tupi-guarani.

Onde comprar?

Novo Século | Site da autora | Saraiva |

Minha opinião:

Entre o Sol e a Lua é o primeiro livro da Série Esmeralda, lançamento da autora Ana Ferrarezzi que é autora do livro O Velho Vestido de Noiva, Alma Gêmea e Imprevisibilidade.
Antes de falar sobre a história do livro e expressar a minha opinião sincera e crítica, preciso fazer uma confissão: Entre o Sol e a Lua é o melhor livro que li da autora! Acreditei que não me surpreenderia com mais nenhuma leitura singular e de beleza ímpar como em O Velho Vestido de Noiva, mas para minha surpresa, esse romance conquistou o pódio entre as obras da autora.
“Finalmente, Jaci e Guaraci puderam se encontrar! Sem perder tempo se amaram intensamente. O encontro os surpreendeu de tal maneira que não conseguiam mais se distanciar. Em consequência, o eclipse perdurou por dias.”


Joana está saindo de um relacionamento ruim, quando um amigo apresenta-lhe um panfleto de um emprego na Assendent no Rio de Janeiro, mesmo sem ter todos os requisitos do anúncio, ela parte em busca de algo novo para fugir da sua realidade.

Já no Rio, ela é estranhamente admitida para a nova função na empresa, o que a deixa confusa pela quantidade de interessados e potenciais funcionários, sendo ela a escolhida, no entanto, uma sucessão de acontecimentos vão tornando a estranheza da situação a real essência de Joana.

“De quando em quando, verdadeiras tempestades desabam sobre a face da Terra, devastando tudo que encontram pela frente. Assim também ocorreu em minha vida: de repente, fui pega por uma tempestade, algo que eu deveria ter previsto, pela quantidade absurda de sinais à minha volta.”

Narrando o presente, com flashbacks de acontecimentos do passado, a autora conta a história de Jaci (Joana) e Guaraci (Cauã), duas entidades que no princípio de tudo pouco se viam, a não ser por segundos ínfimos ao despertar de Guaraci (Sol) e ao despontar de Jaci (Lua), ele, desejando-a intensamente, procurou por Rudá, a entidade do amor. Por tempos e tempos o sistema solar ficou instável, então Rudá aconselhou-as a procurar outras formas para se amarem.

“Tudo, absolutamente tudo nesse vasto universo é possível.”

Copiando quotes preferidos do livro
Ao longo dos séculos, estas duas entidades se encontraram na forma humana, eram os mais intensos amantes, assim como os seres humanos, aconteceram muitas mágoas, traições e desavenças que além de separá-los por um bom tempo, trouxe Joana no tempo atual com uma sequela: ela não se lembra de nada.
Sem saber que é a Lua, uma entidade que renasce e se desmantela através do tempo,  Joana está cercada nesta empresa por entidades poderosas e que farão de tudo para salvá-la. Cauã, intenso e poderoso como é o próprio Sol, deseja sua amada mais que tudo, mas um simples toque sempre a desvanece. Nesse estado caótico, o leitor descobre vários tipos de entidades, seres supremos e seres em evolução, mesclando o folclore em uma fantasia atemporal e mística, a autora cria uma trama original, envolvente e maravilhosamente perfeita.

Como em todo bom enredo tem aquele personagem odioso, neste romance, o leitor vai encontrar vários. Eu, particularmente, odiei a icamiaba Priscila, que prejudicou todo o tempo nossa protagonista quando na verdade escondia um segredo maior. Sandro, o saci, é uma entidade interessante. Confesso que gostei muito da originalidade da autora em ressaltar todo o folclore brasileiro em um romance de fantasia com uma história sensacional.
“Não perceberam que a Terra foi invadida por outros três elementos, sendo que, possivelmente, um deles é mais poderoso que tempo? Não ouviram os murmúrios entre as entidades? Não se fala em outra coisa além do poderoso Guardião do tempo.”

Sem muitas expectativas em relação a leitura, confesso que fui arrebatada pela história fantástica e contundente. Com uma narrativa fluente e concisa, a autora prende o leitor com sua escrita fascinante. Com tantos personagens e nomes diferentes poderíamos nos confundir, certo? Isso não aconteceu comigo, mas a autora criou um glossário de nomes e termos próprios, está no final do livro, lá os leitores poderão entender o que são entidades, o que é Ci, desmantelar, entidades primárias e secundárias, entidades de suporte, além de poder conhecer todas as criaturas folclóricas retratadas pela fantasia de Ana Ferrarezzi.
“Você e Jaci estão ligados. As suas essências uniram-se há milênios. Assim como o Sol tem o seu ciclo, o que chamamos de máxima solar, o amor também. Ele nasce com uma faísca, sua chama cresce, explode, reduz, para posteriormente reacender novamente. Não entenda que o seu sentimento de amor por Jaci é linear. Não, meu caro… Ele é tão ardente e tão vivo como o Sol.”
O livro possui muitas páginas, o que de forma alguma o torna cansativo. Terminei a leitura na expectativa pelos próximos volumes da Série Esmeralda, que segundo a autora, devem ser lançados em breve.

Recomendadíssimo!!!!

Ficha Técnica:
Livro: Entre o Sol e a Lua
Autor(a): Ana Ferrarezzi
Editora: Novo Século
Gênero: Fantasia/Folclore/Ficção/ Romance
Páginas: 520
Ano: 2016

Sobre a Autora




ANA FERRAREZZI nasceu recentemente, no Rio de
Janeiro, aos 40 anos. Ela é psicóloga, artista plástica e escritora,
tudo ao mesmo tempo. Ora alimenta-se da beleza retratada por detrás das
artes, ora inspira-se nos folclores e nos contos. De uma forma única,
Ana os mistura e constrói algo novo e intrigante. Ela possui um estilo
interessante. Seus enredos são envolventes, bem-humorados e capazes de
transportar o leitor a um mundo completamente novo.

Facebook | Instagram | Site |Twitter
 

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

07julho2016

[Resenha] Alma Gêmea – Ana Ferrarezzi

Lá, no meio da Floresta Amazônica, há uma tribo legendária – A Tribo
Curupira. Joaquim acaba se deparando com um membro dessa tribo, em uma
de suas expedições. Ele machuca seu pé, acaba sendo acolhido e se depara
com o a planta sagrada capaz de transportar algo pelo tempo e espaço.
Após muito esforço, convence o pajé a lhe dar uma amostra dessa planta. O
pajé o alerta sobre o risco. Joaquim, aceita a responsabilidade. Com o
tempo, Joaquim descobre o verdadeiro sentido das palavras desse sábio
Pajé. Letícia encontra uma erva com cheiro de canela no seu Consultório
de Psicologia. Decide tomá-la. Cai no sono. Então acorda em um corpo
diferente em 1906. Ela não sabe como veio parar nesse corpo, nem
tampouco entende como veio parar na França, testemunhando o voo de
consagração de Santos Dumont. Mas as circunstâncias a leva até Joaquim; o
homem de seus sonhos. É uma bela história sobre o poder do encontro
entre duas almas gêmeas, que vivem em épocas diferentes, que rompem a
barreira do improvável para perceber que o sentimento que os une jamais
pode ser quebrado. Venha explorar os segredos e mistérios do Alma Gêmea.

Onde comprar?

Site da autora (autógrafo + brindes) | Autografia | Travessa

Minha opinião:

Alma Gêmea é o segundo livro que leio da autora Ana Ferrarezzi, o primeiro foi O Velho Vestido de Noiva (resenha), desde então fiquei apaixonada pela escrita envolvente, inteligente e concisa da autora.

Diferente da leitura anterior, este romance mistura fantasia e folclore, unindo misticidade, magia e muito romance, onde o amor ultrapassa as barreiras físicas e surge em diversas formas, corpos e tempos. Um romance atemporal.
Letícia é psicóloga, recém-formada e com um grande peso para carregar: a dor da perda de um filho e por erro médico, a esterilidade. Glauber, seu esposo, foi o responsável por sua perda, tentou ajudá-la sem auxílio especializado, ele era um cardiologista e achou que podia resolver tudo sozinho, então destruiu o sonho de sua esposa ser mãe, e o relacionamento que foi apressado pela gravidez inesperada, estava cada dia pior.
“Hoje, estava tão certa quanto seu conhecimento e experiência permitia,
que o amor era um sentimento supervalorizado. Vivia em meio a um grande
buraco. Um vazio que precisava ser preenchido com algo.” pág. 27 
Inesperadamente, um rapaz entra em seu consultório para uma sessão e quem acaba tendo uma sessão de prazeres e momentos únicos em sua vida, é ela. Um resquício de uma erva deixada pelo estranho rapaz faz com que Letícia tenha sua vida mudada para sempre, ela começa a vivenciar sonhos lúcidos, presenciar estar em outros corpos em épocas passadas e poder modificar o que está acontecendo ao seu redor. Entre idas e vindas, sonho e realidade, ela irá descobrir que o amor pode ser mais do que ela sempre esperou, e então, deverá decidir qual caminho seguir.
Com cenas divertidas, principalmente em relação ao Joaquim e seu encontro inusitado com a tribo dos Curupiras, com os embaraços de Letícia em Anabelle ou Françoise, com Joaquim em seus mundos paralelos, vamos encontrando momentos hilários, mesclando folclore, fantasia e paixão arrebatadora.

“Como informar o futuro a alguém que vive no passado?”

Ana Ferrarezzi possui uma escrita inteligente, ousada e original, esse livro foi publicado pela editora Autografia e o exemplar que recebi possuía muitos erros de digitação e revisão, conhecendo a autora e suas obras anteriores e também seu enorme zelo por seus originais, sabia que algo estava errado, então entrei em contato e ela me avisou que uma impressão incorreta havia sido lançada e os originais estavam sendo trocados nas prateleiras.
Em relação a diagramação, merecia um acabamento mais aperfeiçoado, porque a obra merece maior destaque, a capa é simples e demonstra em parte a ligação entre os amores em diferentes formas e tempos.

Ficha Técnica:
ISBN: 9788555264108
Ano: 2016
Páginas: 295
Editora: Autografia

Sobre o Autor





ANA FERRAREZZI nasceu recentemente, no Rio de
Janeiro, aos 40 anos. Ela é psicóloga, artista plástica e escritora,
tudo ao mesmo tempo. Ora alimenta-se da beleza retratada por detrás das
artes, ora inspira-se nos folclores e nos contos. De uma forma única,
Ana os mistura e constrói algo novo e intrigante. Ela possui um estilo
interessante. Seus enredos são envolventes, bem-humorados e capazes de
transportar o leitor a um mundo completamente novo.

Facebook | Instagram | Site oficial

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

15junho2016

[Resenha] Ônix – Série Saga Lux # 2 – Jennifer L. Armentrout


Sinopse – Estar conectada a ele é uma droga!Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja… esquentando. Algo pior do que os Arum ronda a cidade. O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível! Até que, de repente, tudo muda. Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade. Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.

CONTÊM SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO 

A trama é narrada em primeira pessoa pela Katy, a jovem protagonista da série. Após ser salva pelo Daemon no livro anterior, ela ainda tem um “rastro” da energia alienígena, o que é um grande perigo tanto para ela quanto para os seus amigos Lux. 
Katy tenta viver sua vida normalmente, frequentando o colégio, conversando com suas amigas Carissa e Lesa, mantendo o seu blog e passando o seu tempo livre com a mãe, mas nem tudo é fácil.

“Um amor desses deveria ter sido capaz de derrotar a doença. Um amor desses deveria poder vencer qualquer obstáculo.” (p. 79)

Em primeiro lugar, ela precisa lidar com o fato de que foi a responsável pelo que aconteceu com Baruck. Mesmo sabendo que seu objetivo foi defender seus amigos, as consequências foram grandes demais e emocionalmente estressantes. Mas o mais importante de tudo é que Kat fica misteriosamente doente, causando um efeito colateral difícil de ser controlado.


“Daemon soltou uma sonora gargalhada.– Continue repetindo isso, gatinha.– Continue dando ouvidos a esse seu ego bombado.” (p. 17)


Como se isso não bastasse, a mocinha enfrenta a complicada vida do ensino médio: as fofocas e as crises existenciais. Simon Cutters anda espalhando fofocas a seu respeito e Daemon tem demonstrado interesse em Kat, o que a deixa confusa: será que a cura está forçando um laço emocional entre dois?

” – Encontrei o que, gatinha?– O que estava procurando?Ele abriu os olhos e fixou-os em mim. Senti o peito inflar novamente, uma sensação que se espalhou por todo o meu corpo. Uma fisgada de alguma coisa – excitação? – remexeu o fundo do meu estômago enquanto o silêncio entre nós que se estendia pelo que me pareceu uma eternidade.– De vez em quando, acho que sim.” (p. 116)


Sentindo-se sobrecarregada com tantos problemas, Kat ainda precisa tomar cuidado com o que fale e age, pois o DOD está rondando a cidade e os Lux estão em risco.

Em “Ônix”, a autora Jennifer L. Armentrout conseguiu mesclar drama, romance e investigação em um único livro. 
A perspectiva de Kat é engraçada e apaixonante ao mesmo tempo. É muito fácil para o leitor se identificar com a protagonista. O seu amor por livros, sua lealdade com os amigos, o altruísmo e os pensamentos irônicos a tornam uma personagem marcante. 
A interação entre Daemon e Kat é engraçada e sexy ao mesmo tempo. Os dois estão sempre se alfinetando, provocando-se sempre que possível e gerando situações que fazem o leitor gargalhar. Sinceramente, Daemon é simplesmente irresistível e Kat tem uma força de vontade extraordinária!

“- Aposto que até o primeiro dia do ano que vem você irá admitir que é loucamente, profundamente e irrevogavelmente…– Uau. Não quer acrescentar mais outro advérbio? – Meu rosto estava queimando.– Que tal irresistivelmente?Revirei os olhos e murmurei:– Estou surpresa por você saber o que é um advérbio.” (p. 36)

O livro traz personagens novos que irão mudar a dinâmica do grupo, como Blake Sanders, o aluno novo da escola. Blake demonstra interesse imediato em Kat, mas ficamos na dúvida se há ou não segundas intenções. Conforme a trama se desenvolve, observamos a complexidade da sua história.
A autora trabalhou também no núcleo do DOD. Finalmente vamos começar a descobrir a verdadeira intenção do governo em relação aos Lux e o papel dos Arum no cenário geral. Esse livro é repleto de revelações e há reviravoltas que irão tirar o fôlego do leitor!

“Na-na-ni-na-não, os livros eram mais importantes do que qualquer Arum.” (p. 14)

A Editora Valentina arrasou no trabalho editorial. Os detalhes internos, a revisão, a capa, tudo soma de forma positiva e transforma uma obra incrível em espetacular!

“- Quer escutar? Embora eu diria que sou melhor mostrando do que falando.– Por algum motivo, acredito em você.– Se tiver alguma dúvida, posso te dar uma amostra. – Ele fez uma pausa, mas pude ouvir o riso em sua voz. – Vocês, bookaholics, adoram uma amostra, certo?Eu ri.– Você andou lendo meu blog.– Talvez. Como eu disse, preciso ficar de olho em você, gatinha.” (p. 328)

ISBN-13: 9788565859899
ISBN-10: 8565859894
Ano: 2016
Páginas: 416
Idioma: português 
Editora: Valentina
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5
Confiram a resenha de Obsidiana, livro 01 da série.

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: