16Março2014

[Leitura Kindle] A Pedra do Nada – Sonetos, Poemas e Outras Insanidades – Adriano P. de Melo

Sinopse
 A Pedra do Nada é uma coletânea de tudo que senti nos últimos anos, onde
procurei traduzir em palavras o que meu coração, minha mente e minha
alma captaram sobre o mundo, sobre as pessoas e sobre a vida.

Em suas linhas procurei concentrar toda a essência de meus
sentimentos e é com este espírito que compartilho tais emoções com o
querido leitor que, assim eu, foi acometido por dores, por perdas e,
principalmente, pelo amor e as consequências que este maravilhoso
sentimento traz.

Minha Opinião – Quando o autor me pediu para ler o e-book, não esperava que a leitura seria tão agradável, gosto de poemas e sonetos, mas nem todos são escritos com maestria e entendimento, o que não é o caso deste livro. Li um a um e vez ou outra, tive que voltar para reler este ou aquele em especial, às vezes, ler uma história pode ser revigorante, mas em outras, nada como adentrar e mergulhar no poder que as palavras têm de nos distrair, a levar-nos a reflexão, principalmente quando variadas em relação aos temas que propõe.

“Esta noite eu tive um sonho
Foi um sonho diferente
Sonhei com belas palavras
Ouvidas por toda gente.”

A diversidade dos sonetos e poemas são incríveis, temos uma variedade de palavras, sentimentos e expressões. Cada um deles traz um significado que o leitor deve interpretar com sabedoria. Não são palavras impostas, são regadas em formatos de magníficos sonetos.

Todos me agradaram muito, este é um trecho de um soneto contraditório:

“Um ponto reto no meio da curva
Uma curva na retidão do caminho
Uma lucidez pregada com desatino
Um desabafo no grito que silencia.”

Recomendo o livro para todos que apreciam uma escrita inteligente e fluida, recomendo para diversificar a leitura do dia a dia, para refrescar os sentimentos e arejar as emoções.

“A vida é um fluxo contínuo
Como o tempo, que nunca para
E se esvai lentamente, ou de forma rápida
Dependendo apenas de como vivemos.

A conexão que nos une, serenos,
E que nos cura e nos repara
Também nos anima como a joia rara
Amor e amizade que nos mantém unidos.

E mais importante do que estarmos vivos
É vivermos este mistério diário
Na rede da vida que a todos conecta

Para fazermos maravilhoso cada dia
Que recebemos como presente
Por tudo de bom que fizermos. “

O e-book pode ser adquirido na Amazon, a leitura é fluente e a escrita do autor é primorosa. Não deixem de ler!

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

04Março2014

Resenha: “Por Toda A Eternidade” – Firefly Lane – Livro 02 – Kristin Hannah

Sinopse – “Tully Hart é uma mulher ambiciosa, movida por grandes sonhos que, na verdade, escondem as lembranças de um passado de abandono e dor. Ela acredita que pode superar qualquer coisa ao esconder bem fundo os sentimentos de rejeição que carrega desde a infância… Até que sua melhor amiga, Kate Ryan, morre. Então, tudo começa a mudar para Tully, que se vê escorregando em um precipício cheio de memórias melancólicas e remédios para dormir… Dorothy Hart — ou Cloud, como era conhecida nos anos 1970 — está no centro do trágico passado de Tully. Ela abandonou a filha repetidas vezes na infância. Até que as duas se separaram de uma vez por todas. Aos dezesseis anos, Marah Ryan ficou devastada pela morte da mãe, Kate. Embora seu pai e seus irmãos se esforcem para manter a família unida, Marah transformou-se numa adolescente rebelde e inacessível em sua dor. Tully tenta aproximar-se de Marah, mas sua incapacidade para lidar com os sentimentos da afilhada acaba empurrando a menina para um relacionamento infeliz com um rapaz problemático. A vida dessas mulheres está intimamente ligada, e a maneira como elas vão rever seus erros e acertos constrói um romance comovente sobre o amor, a maternidade, as perdas e o novo começo. Onde há amor, há perdão…”

Contêm Spoilers do primeiro livro “Amigas para sempre

Minha opinião – Após os tristes acontecimentos do primeiro livro, “Por toda a eternidade” irá focar principalmente em três personagens: Tully, Marah e Dorothy. Três mulheres que sofreram muito cedo, seja pela perda de alguém amado, pelo abandono ou pela violência.

Um dos pontos positivos do livro é o fato que Kate continua presente do início ao fim da leitura, mesmo não estando mais entre os vivos. Se no primeiro livro Kate às vezes se sentia deixada de lado, nesse segundo livro observamos como ela era a “cola” de todas as pessoas ao seu redor, incluindo o seu marido Johnny, que não passava a certeza do seu amor por Kate, encontra-se devastado.

“Viro-me para Kate, vejo seu rosto e seus belos olhos verdes. Nele, vejo toda a minha vida. Tudo o que fui e que jamais quis ser. Isto é o que a sua melhor amiga é: um espelho”. (p. 334)

A trama alterna o período em dois momentos principais: 2010 que é o momento atual da trama e 2006, que é o ano da morte de Kate. Com capítulos narrados em terceira pessoa e outros em primeira pessoa, temos a possibilidade de acompanhar de perto o remorso, os arrependimentos e a vida dessas três fortes mulheres.

Marah perdeu-se no instante em que a mãe faleceu. Ela têm consciência de que foi uma jovem difícil de criar e que nem sempre se deu bem com Kate. Repleta de arrependimentos e de sentimentos que não consegue expor ao pai, Marah entra em um espiral de destruição. No grupo de terapia para adolescentes em luto, ela conhece Paxton, um jovem sombrio que oferece a ela uma oportunidade de se libertar.

E Tully? Como ela pode continuar em frente quando a sua alma gêmea morreu? O constante sofrimento, a necessidade de cumprir as promessas feitas à Kate e as dores do seu passado começam a pesar demais.

Finalmente iremos entender Dorothy e toda a loucura que foi a sua vida. Veremos alguém que passa de irresponsável à alguém que é totalmente quebrada por dentro e o leitor se envolve com a personagem.

Vamos acompanhar também os pais de Kate, Margie e Bud, e seus gêmeos Lucas e William que perderam a mãe tão cedo.

Uma história que fala de perdão, amor, dor e superação. Personagens que cativam cada vez mais o leitor que tem dificuldades em se despedir de Kate e Tully.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho maravilhoso. A capa é delicada, combina com a trama e com a capa do livro anterior.

” – Há quanto tempo você finge não estar sofrendo?
A pergunta machuca.
– Por que você me pergunta isso?
– Porque, Tully, às vezes o poço se enche de lágrimas. E a água começa a transbordar”. (p. 103)

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581633206
Ano: 2014
Páginas: 400
Tradutor: Paulo Polzonoff Jr
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 5/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

03Março2014

[Resenha] A Queda dos Cinco – Pittacus Lore

SINOPSE

John Smith, o Número Quatro, achou que tudo seria diferente quando os lorienos se juntassem. Eles parariam de fugir. Lutariam contra os mogadorianos. E venceriam. Mas Quatro estava errado. Depois de enfrentarem Setrákus Ra e quase serem dizimados, os membros da Garde reconhecem que estão despreparados e em minoria. Escondidos na cobertura de Nove, em Chicago, eles planejam os próximos passos.

Os seis são poderosos, porém não são fortes o suficiente para enfrentar um exército inteiro, mesmo com o retorno de um antigo aliado. Para derrotar os mogadorianos, cada um deles precisará dominar seus Legados e aprender a trabalhar em equipe. O futuro incerto faz com que eles busquem a verdade sobre os Anciões e seu plano para os nove lorienos escolhidos. A Garde pode ter perdido batalhas, mas não perderá a guerra.

Minha Opinião:

Fabuloso!
Tenho de dizer que o autor não perde o fio da meada, é comum observamos nas leituras de séries altos e baixos, não na Série de Pittacus Lore. Já estamos no quarto livro e até agora não tive desapontamentos, o autor simplesmente prende (literalmente) em sua narrativa envolvente.

Contém spoilers dos volumes anteriores

Eu sou o Número Quatro iniciou a série contando a história dos nove gardes que foram enviados à Terra depois da destruição do planeta Lorien. Cada um recebeu um guardião, um Cêpan. Para protegê-los foi lançado uma maldição, não poderiam ser exterminados se estivessem em separado e nem fora de ordem. Conhecemos a narrativa através de John, o número quatro. Três gardes morreram e ele podia ser o próximo, mas contou com a ajuda de novos amigos e os mogadorianos não puderam matá-lo.
O Poder dos Seis, continua através de muitas mudanças. O número Quatro, encontrou novos gardes e a proteção não existe mais, precisam reunir novas forças e encontrar os demais, para derrotar Setrákus Rá, porém, seus legados ainda estão se desenvolvendo.

Em A Ascensão dos Nove, marca o encontro dos demais lorienos, somos surpreendidos a todo momento e infelizmente o livro termina na melhor parte.
Quando recebi da Editora Intrínseca o livro A Queda dos Cinco, sabia que leria em pouco tempo, foi necessário uma noite e pouco mais do dia seguinte para concluir essa eletrizante leitura. Se os outros livros foram excelentes, esse conseguiu superar. O autor nos surpreende com um inesperado acontecimento que vai marcar todo o livro. Os leitores questionarão em quem poderão confiar, poderá existir um mogadoriano do lado deles? E por quê?
Ella tem tido pesadelos estranhos e sombrios. Sarah está aprendendo a se defender para ajudar os gardes. Todos estão fazendo o máximo, todos com o único propósito de resgatar Lorien, se ainda for possível. Os acontecimentos estão mais rápidos, a batalha mais acirrada e a curiosidade só aumentado. Recomendo muito a leitura, li em algum lugar que o próximo volume da série será lançada esse ano nos EUA, espero que chegue mais rápido por aqui também.
Ação, adrenalina e fortes emoções. É impossível não se envolver por essa trama complexa e misteriosa.

Aproveitem a leitura dos E-books (Spin-Off) e o Extra que pode ser baixado gratuitamente.
EXTRAS: A Origem do Número Oito (Download grátis)

Série Os Legados de Lorien:

  1. Eu Sou o Número Quatro
  2. O Poder dos Seis
  3. A Ascensão dos Nove
  4. A Queda dos Cinco
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

28Fevereiro2014

Resenha: “Amigas Para Sempre” – Firefly Lane – Livro 01 – Kristin Hannah

Sinopse – “Tully Hart tinha 14 anos, era linda, alegre, popular e invejada por todos. O que ninguém poderia imaginar era o sofrimento que ela vivia dentro de casa: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas costumava desaparecer por longos períodos, deixando a menina aos cuidados da avó. Mas a vida de Tully se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu a garota mais legal do mundo. Kate Mularkey era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully sentir-se parte de sua família. Ao longo de mais de trinta anos de amizade, uma se tornou o porto seguro da outra. Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos. Kate, por sua vez, a ensinou a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena. As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio. Até que algo acontece para abalar a confiança entre elas. Será possível perdoar uma traição de sua melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto salvar”.

Minha opinião – O primeiro livro da série Firefly Lane é emocionante e delicado. Nessa primeira parte da história conhecemos a vida de Tully e Kate. Narrado em terceira pessoa, o livro começa narrando a vida de Tully na década de 1970 que naquele momento estava com 10 anos de idade. Acompanhamos através do olhar inocente de uma criança, o abandono constante de sua mãe Dorothy. Dorothy aparece esporadicamente na casa dos pais (Tully é criada pela avó e pelo avô), sempre bêbada, drogada ou ambos, leva a filha por pouco tempo e depois some. A necessidade de amor de Tully e de entender porque sua mãe nã a ama toca o coração do leitor.

Desde cedo a garota aprende a esculpir uma máscara de indiferença e acaba se tornando precocemente popular. É aos 14 anos que a sua vida muda, ao encontrar Kate…

Ao contrário de Tully, Kate tem uma vida estruturada, com pais presentes e seu irmão mais novo Sean. Mas o fato de não ser “moderna”, querer beber e fumar maconha a torna excluída socialmente, e voltada ao mundo dos livros.

Duas jovens tão diferentes vão formar uma amizade que o tempo não altera…..

” – Eu não disse que a fé era algo simples. Disse apenas que é necessária”. (p. 255)

A trama é extremamente sensível e mostra como a vida dessas duas jovens vão se entrelaçando, de modo que uma não existe sem a outra. Enquanto Tully se torna uma mulher mais centrada na carreira, em atingir seus objetivos e até mesmo um pouco egocêntrica, Kate se torna a conciliadora, aquela que sempre perdoa e na maioria das vezes é colocada em segundo plano. Claro que uma relação desse tipo tem altos e baixos, principalmente quando a vida das duas começa a tomar caminhos diferentes. Mas o que é tão belo nesse livro é que não importa os anos que se passaram, os caminhos que ambas tomaram ou os seus desentendimentos…. no final ninguém no mundo conhece os segredos das duas a não ser elas mesmas.

“Logo, Tully estava fazendo Kate dar risada. Este era o segredo de grandes amigas. Como irmãs e mães, elas podiam nos deixar furiosas, nos fazer chorar e nos magoar; mas, no fim, quando era preciso, elas estavam lá, nos fazendo rir mesmo nos piores momentos”. (p. 260)

A história das duas é dramática. Existem momentos em que vemos o sofrimento, a dor, a perda, mas também acompanhamos as alegrias, as conquistas e os amores.

Kristin Hannah conseguiu criar uma amizade atemporal que ultrapassa a barreira do impossível e deixa o leitor com lágrimas nos olhos até a última página do livro.

O enredo é perfeitamente construído com a passagem das décadas, os personagens secundários são enriquecedores e a vida dessas duas mulheres são um testemunho de amor.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um excelente trabalho. A capa faz menção a rua onde ambas se conheceram e transporta o leitor a um mundo maravilhoso.

“Vocês podem ser o que quiserem. Mas você precisa se arriscar às vezes. Se abrir para o mundo. Uma coisa que eu posso lhe dizer com toda certeza é o seguinte: na vida, a gente só se arrepende do que não faz”. (p. 27)

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412512
Ano: 2014
Páginas: 448
Tradutor: Cássia Zanon
Avaliação: 5/5
Skoob: Clique aqui

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados: