07Fevereiro2018

[Resenha] A Lady de Lyon – Julie Garwood

Sinopse – Christina Bennett causou furor na sociedade londrina. A arrebatadora beldade esconde com sucesso o segredo de seu misterioso passado até a noite em que Lyon, o Marquês de Lyonwood, rouba-lhe um beijo ousado e sensual. O arrogante aristocrata com coração de pirata prova o gosto do fogo selvagem que arde por baixo do charme indiferente de Christina e anseia por possuí-la intensamente. Mas a destemida e insolente Christina não será conquistada com tanta facilidade. Dona do próprio coração e de sua fortuna, ela resiste às sensuais carícias de Lyon. Ela se atreve a não se render ao seu amor… pois, se o fizer, também terá que abrir mão de seu precioso segredo… e de seu destino prometido!

Lady Christina Bennett apareceu de repente na sociedade londrina. Após sua mãe ter enlouquecido e fugido, todos acreditavam que ambas haviam morrido, mas a jovem retorna sob a tutela de sua tia Patrícia. Com seus olhos azuis e cabelos louros, ela é estonteante e sua presença não passa despercebida em nenhum evento. Além disso, sua postura é perfeita, assim como suas maneiras. Mas a grande questão é: onde estava Christina ?

Logo no início do livro somos informados sobre a infância incomum da protagonista. Enquanto era uma criança pequena, Christina perdeu sua mãe biológica e foi parar nas mãos de uma família amorosa, mas nada convencional. Sabe aquele ditado de que é necessário uma vila para criar uma criança? Pois bem, ele se encaixa perfeitamente aqui. Christina cresceu sendo livre, longe de todos e ligada à natureza. Apenas sua mãe de criação conheceu sua mãe biológica e foi ela quem contou a verdade sobre o que motivou a fuga que é tão falada em Londres.

Os anos passam e sua família sabe que precisava prepará-la para a sociedade londrina, para que cumpra uma promessa importante a sua falecida mãe. É o diário de sua mãe que nos indica o que aconteceu, a verdade sobre o pai biológico da protagonista e o que motivou a mãe de Christina a não ficar com a própria família. É nesse momento que vemos um pouco mais sobre a tia Patrícia, uma mulher que causou furor por conta de seu comportamento, sua cobiça e sua língua ferina. 

No presente, a tia Patrícia é uma senhora idosa, mas mesmo assim não perdeu as características horrendas da sua personalidade. Ela usa todas as artimanhas que possui para conseguir o que deseja, mesmo que isso signifique colocar em risco a própria sobrinha.

Do outro lado da história temos o Marquês de Lyonwood. Lyon, como é chamado por todos é um ex-agente do governo e viúvo, que após perder a esposa, perdeu a fé no sexo oposto. Lyon é rabugento, não tem muita paciência com as etiquetas sociais e se não fosse pela apresentação de sua irmã caçula, a Diana, para a sociedade, provavelmente evitaria estar ao redor de tantas pessoas. Uma das poucas pessoas que ele “atura” é o seu melhor amigo, o Conde Rhone. Rhone conhece bem Lyon, sabe lidar com os humores do marquês e não perde a oportunidade de tirar sarro da cara do amigo. E uma oportunidade surge quando Lyon vê Christina pela primeira vez e Rhone aproveita para fazer uma aposta que sabe que vai ganhar.

“Quando chegou em casa, aceitou o fato de que nenhum de seus argumentos razoáveis fazia qualquer diferença. Estava preso a Christina, quisesse ou não.” (p. 196)

Lyon acredita que Christina é igual as demais jovens da sociedade: fútil e que ama flertar, mas é surpreendido quando percebe que a dama não dá atenção verdadeira a nenhum dos homens ao seu redor. Determinado a descobrir o passado oculto da mocinha, Lyon vai se deparar com o maior desafio da sua vida.

“Lyon não pôde deixar de ficar impressionado. A dama era muito boa nisso, com certeza… A princesa seguia à risca as regras do comportamento apropriado. Mas Rhone estava errado. Ela não era diferente das outras.” (p. 57)

A história é um romance delicioso, com protagonistas fortes e cheios de carisma. A química entre os dois é forte e a interação entre eles tem muito humor e situações inusitadas. Os personagens secundários desempenham muito bem o seu papel, dando apoio à história principal, mas também criando situações próprias.

“Ela era uma bruxa, tentando lançar seu feitiço mágico nele. Lyon sentia-se tão embevecido quanto um almofadinha bobo e inútil e tão frágil como uma criança quando ela o encarava de forma tão sedutora.” (p. 127) 

ISBN-13: 9788550302614
ISBN-10: 8550302619
Ano: 2018
Páginas: 464
Idioma: português
Editora: Universo dos Livros
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5 

Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Patricia FQ Fevereiro 8, 2018

    Não gosto de capas com pessoas mas esta ficou linda, passa um ar inocente e ao mesmo tempo sedutor. Parece divertido, além do segredo que não tenho nenhum palpite.