08dezembro2017

[Resenha] Recordando Anne Frank: a história da mulher que ajudou a esconder a família Frank – Miep Gies e Alison Leslie Gold

Sinopse – Para os milhões de leitores apaixonados pelo livro O Diário de Anne Frank, aqui está a surpreendente história de Miep Gies. Por mais de dois anos, Miep e seu marido ajudaram a esconder judeus dos nazistas. Como milhares de heróis desconhecidos do Holocausto, eles arriscaram suas vidas todos os dias para levar comida, notícias e apoio emocional às vítimas. Neste livro, Miep Gies relembra seus dias com honestidade e sensível clareza. Ela narra desde sua sua infância sofrida como refugiada da Primeira Guerra Mundial até o momento em que coloca o pequeno diário xadrez de Anne Frank nas mãos de seu pai, Otto Frank. O diário ficou guardado com Miep por muitos anos, e graças a ela, ele pode ser publicado. Recordando Anne Frank é uma história fascinante e verdadeira, onde cada página nos toca com coragem e dolorosa delicadeza.

Anne Frank tornou-se o ícone da criança judia durante a invasão nazista. A jovem e seu diário foram lidos e relidos em inúmeras versões, idiomas, edições e assistidos em teatros, cinemas, séries e tantos outros meios de comunicação. Assim como Miep Gies e seu marido, que esconderam inúmeros judeus durante um período sombrio da humanidade.

“Recordando Anne Frank” é um livro que fala sobre a bravura, a coragem e a inocência dessa jovem, visto sob uma nova perspectiva: a vida de Miep Gies. O livro é dividido em prólogo; Parte Um: Refugiados; Parte Dois: no esconderijo; Parte Três: os dias mais sombrios; Epílogo e Posfácio. O livro mostra uma mulher que se nega a acreditar que foi uma heroína, mas que salvou e protegeu incontáveis vidas e tentou da melhor forma possível prover conforto, amor e pequenas alegrias para aqueles que tiveram que viver um longo tempo em um porão, no escuro, sem poder fazer barulho…

A trama é narrada em primeira pessoa pela perspectiva da Miep e conta como foi deixar sua família, lutar com as dificuldades em conseguir um trabalho e a amizade forjada com seus empregadores, até que a condição dos judeus se torna insuportável e eles precisam se esconder para sobreviver. Miep conta das dificuldades que passou para ajudá-los, do medo, da fome e de sua esperança. 

“Em fevereiro, quatrocentos reféns judeus foram capturados no antigo Bairro Judeu. Circulavam rumores sobre tarefas humilhantes a que eles foram obrigados a se submeter, como rastejar de joelhos aos pés dos soldados nazistas. Então, foram reunidos em uma razia – a palavra holandesa para “batida policial” – sob a mira de revólveres e enfiados em caminhões. Eles foram mandados para um lugar distante chamado Mauthausen, um campo prisional. Logo chegaram notícias de que esses homens tiveram mortes “súbitas”. As famílias receberam notificações de morte por ataque cardíaco e tuberculose. Ninguém acreditava nessas histórias sobre mortes repentinas.” (p. 55)

Anne Frank é a representação dos judeus durante a Guerra Mundial de 1939, a inocência perdida, as dificuldades passadas, os medos, sonhos e anseios de uma garotinha que infelizmente não teve a oportunidade de crescer e Miep é a representação da bondade e generosidade humana no meio de tantas adversidades e ameaças.  

“Recordando Anne Frank” é uma leitura extraordinária e emocionante!

ISBN-13: 9788582354896
ISBN-10: 8582354894
Ano: 2017
Páginas: 250
Idioma: português 
Editora: Gutenberg
Skoob: clique aqui
Avaliação 5/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *