29novembro2017

[Resenha] Quando Escolheram Por Mim – Lauren Miller

Sinopse

E se existisse um aplicativo capaz de dizer o que lhe faria feliz? Qual roupa vestir. Com quem sair. Em qual escola estudar. Um aplicativo capaz de tomar todas as decisões que surgissem? E se você nunca precisasse falhar? Ou fazer a escolha errada? Essa é a realidade na qual vive Rory Vaughn, uma jovem de 16 anos com um futuro promissor: ela acabou de ser aceita em uma exigente escola preparatória. Mas tudo está prestes a mudar, pois alguma coisa parece estranha por trás das aparências da escola de elite. É quando Rory começa a se envolver com North, um charmoso garoto morador das redondezas que insiste em não obedecer ao Lux. Logo, Rory passa a não seguir mais os conselhos do aplicativo e a ouvir a temida voz interior que foi ensinada a ignorar – uma escolha que capaz de mudar a maneira como enxerga toda a realidade.

A trama é narrada em primeira pessoa e se passa em 2032. Rory Vaughn é uma adolescente de 16 anos de idade que acabou de ser aceita em Noveden, uma exigente escola preparatória que é a porta de entrada para as melhores universidades. O futuro de Rory parecia estar encaminhado, até que a jovem começa a se envolver com North, um morador das redondezas que insiste em não obedecer ao Lux. Lux é um aplicativo que toma todas as decisões pela pessoa, ou seja, tira o seu livre arbítrio e inibe a capacidade do indivíduo de pensar por conta própria.

Conforme Rory começa a andar mais e mais com North, ela começa a duvidar de tudo o que foi ensinada e inclusive começa a rejeitar o Lux, tomando suas próprias decisões. Apesar de ser uma ficção futurística com uma pitada de romance voltada para o público jovem, a autora Lauren Miller faz uma grande crítica social sobre o abuso da tecnologia e de como nós ficamos tão presos a ela que acabamos não vivendo a vida além daquela que criamos online.

“Eu nunca tinha visto nada assim antes, não nessa proporção. A pulsação efervescente causada pela interação humana. Pessoas olhando além de suas telas. Era um esplendor por si só.”

O começo da leitura é um pouco arrastado, provavelmente porque a narrativa combina com a protagonista: inicialmente Rory é um pouco insossa e como não questiona nada, vive como se fosso um robô com uma lista de tarefas a cumprir. North por sua vez é o elemento desafiador da história, aquele que aparece para causar uma reviravolta na vida de Rory e para fazer o leitor refletir sobre a temática abordada.

“Mas ‘deveria’ não importava muito naquele momento, porque fazer o que eu deveria fazer significaria perder aquilo que eu estava vivendo.”

ISBN-13: 9788593903007
ISBN-10: 8593903002
Ano: 2017
Páginas: 384
Idioma: português 
Editora: Pavana
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Mariana Paiva novembro 30, 2017

    Não conhecia o livro (e acho que nem a editora) e achei super interessante. Acho bem legal esses livros que trazem essa crítica ao mundo virtual, existem sim coisas ótimas nesse mundo, nesse universo virtual, mas as coisas tem sido muito exageradas, um mundo de aparências. Achei os quotes sensacionais. Adoro livros em primeira pessoa, me sinto mais próxima da história.

  • Pamela Liu dezembro 1, 2017

    Oi Carol.
    Achei a premissa de Escolheram por mim bem interessante.
    Acho que é algo que poderia acontecer num futuro próximo, ainda mais hoje que todo mundo está tão conectado nas mídias sociais e se importa tanto com a opiniões dos outros.
    Vai ser interessante ver como a Rory se desenvolve ao longo do livro.
    Bjs

  • Ana Carolina Venceslau dos Santos dezembro 1, 2017

    Esse livro é muito semelhante a vários outros livros que eu já li sinceramente achei até um pouco clichê e não gostei muito dessa capa

  • RUDYNALVA CORREIA SOARES dezembro 1, 2017

    CArol!
    Pena o livro ser um tanto arrastado…
    Não sei se me daria bem com um aplicativo desse que escolhesse tudo por mim…kkkkkkk
    Já nem sou muito ligada a esse lance de aplicativos, etc..
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy