24novembro2017

[Resenha] A Vida Que Enterramos – Allen Eskens

Sinopse – A única coisa que Joe Talbert deseja é terminar o trabalho da faculdade: entrevistar um estranho e escrever uma breve biografia. Com os prazos se aproximando, o garoto decide ir a um asilo para encontrar o tão desejado objeto de trabalho. Lá ele conhece Carl Iverson e logo a vida de Joe vai ter mudado para sempre. Veterano da Guerra do Vietnã, desenganado com apenas alguns meses de vida, Carl foi internado na casa de repouso em liberdade condicional devido ao estágio avançado de câncer depois de trinta anos preso pelos crimes de estupro e assassinato. À medida que escreve sobre a vida de Carl, principalmente sobre o período que o homem passou na guerra, Joe começa a ter dificuldade de conciliar o heroísmo do soldado com os desprezíveis atos do criminoso. Acompanhado de Lila, sua vizinha cética, Joe se lança em uma busca pela verdade, mas lidar com a mãe perigosamente disfuncional, a culpa de deixar o irmão autista sozinho em casa e uma lembrança assustadora vão malograr seus esforços. Fio por fio, Joe começa a desfazer a intricada tapeçaria do crime de Carl, mas, quanto mais se aproxima das reais circunstâncias do crime, mais nós aparecem. Joe vai conseguir descobrir a verdade ou já é muito tarde para escapar?

“A vida que enterramos” tem como protagonistas Joe Talbert e Carl Iverson. Joe é um jovem que precisa escrever a biografia de um estranho para uma disciplina na faculdade e acaba indo a um asilo para entrevistar alguém aleatoriamente. Acontece que é lá que ele conhece Carl Iverson, um senhor que foi solto da prisão e transferido para o asilo por conta de um câncer em estágio terminal. O crime cometido por Carl: molestar e assassinar uma garotinha de 14 anos de idade.

Durante as entrevistas, que vão acontecendo aos poucos por conta do estado de saúde de Carl, Joe vai percebendo que existe muito mais do que Carl está contando. Todos os envolvidos na investigação não hesitaram em acreditar na culpabilidade dele e a sua vida, que já era complexa e dolorosa por conta de seu alistamento para o Vietnã, torna-se uma tortura diária na prisão, onde seu crime o deixou marcado para os demais prisioneiros.

“Devia haver um segredo. Algo deve ter acontecido com Carl Iverson, algo que o deixou diferente do restante da raça humana. Ele tinha me dado um sermão sobre honestidade no dia em que nos conhecemos e agora estava me contando sobre sua criação dentro da moral-e-bons-costumes da família tradicional, mas durante todo esse tempo ocultava a vertente sombria que havia deslocado se mundo para um eixo que o restante e nós jamais seria capaz de entender. O besteirol era tanto que eu queria gritar.” (p. 78/79)

Em paralelo, vamos acompanhando a vida pessoa de Joe, um rapaz que luta para realizar os seus sonhos e tem um lar disfuncional. A mãe de Joe é uma alcoólatra e é responsabilidade de Joe cuidar do irmão mais novo, Jeremy, que é autista.

“- Ele não tem dezoito anos. Ele nunca vai ter dezoito anos. Essa é a questão. Quando ele tiver quarenta anos, ainda vai ter sete anos. Você sabe disso.
-Tenho o direito de me divertir um pouco, não tenho?
-A senhora é a mãe dele, pelo amor de Deus! – exclamei, o desprezo fervilhando em minhas palavras. – Não pode simplesmente cair fora toda vez que der na telha.
-E você é irmão dele – rebateu ela, tentando obter uma posição firme na discussão – , mas isso não impede você de ir embora, impede? Garotão da faculdade.” (p. 99)

Conforme as entrevistas se intensificam, Carl e Joe começam a jogar uma espécie de jogo da verdade e Joe precisa analisar a sua própria vida. O aspecto psicológico do livro é muito bem desenvolvido. O leitor fica preso à leitura, curioso para descobrir quais segredos estão sendo ocultados por ambos os personagens e para descobrir se Carl é realmente culpado pelo crime que foi condenado.

“O resto do mundo teria achado que não havia expressão alguma no rosto dele, mas eu sabia que não era verdade. Ele era meu irmão, e eu era irmão dele; e somente eu era capaz de enxergar a tristeza por trás de seus calmos olhos azuis.” (p. 99)

ISBN-13: 9788551002445
ISBN-10: 8551002449
Ano: 2017
Páginas: 272
Idioma: português 
Editora: Intrínseca
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pamela Liu novembro 28, 2017

    Oi Carol.
    A premissa desse livro é bem interessante. Fiquei curiosa para saber os segredos de Carl e ver se ele realmente é culpado pelo crime de que foi acusado.
    Joe também parece ter seus segredos e vai ser interessante acompanhar a sua jornada.
    Bjs

  • RUDYNALVA CORREIA SOARES novembro 28, 2017

    CArol
    Uau!
    Faz tempo que não vejo um livro policial tão bem escrito, estruturado e verossímil que dá mesmo vontade de acompanhar a jornada de Joe e Lila até o final cheio de adrenalina e ação, mesmo que não seja tão surpreendente.
    Já anotei aqui para poder ir em busca.
    Desejo uma ótima semana!
    “A poesia contém quase tudo que você precisa saber da vida.” (Josephine Hart)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

  • Ana Carolina Venceslau dos Santos dezembro 1, 2017

    Não me interessei muito pela leitura me perdi no andamento da sinopse e do resumo do livro em momento nenhum história me atraiu acho que vou ter que deixar essa dica de lado por um instante