28setembro2017

[Semana Especial Piano Vermelho] Protagonistas e cenário da história

Olá, Viajantes! No quarto dia da Semana Especial Piano Vermelho, falaremos um pouco mais sobre os personagens e o cenário de cada uma das obras.

“Caixa de Pássaros”. Malorie é uma jovem de vinte e poucos anos que antes do fenômeno mundial levava uma vida tranquila. Por conta disso, seu amadurecimento é claro durante o desenvolvimento da história. O que é bem interessante é que no decorrer da história, vemos o seu instinto de sobrevivência aflorar. Ela tenta se cercar de pessoas que a protejam e até mesmo é capaz de tomar decisões cruciais e letais para se manter a salvo. A trama se passa em Detroit, mas uma Detroit completamente apocalíptica. Não há pessoas nas ruas ou nas casas vizinhas. É um completo vazio, que se aplica ao mundo inteiro. As comunicações estão cortadas e não tem como saber o que anda acontecendo no mundo. É simplesmente devastador.

“Piano Vermelho”. Philip é um homem de 31 anos que está realizando o seu Caminho. É um artista, mas também é um homem que não liga para muita coisa, além da música, álcool e mulheres. O que o motiva a participar da jornada é a ganância, já que será pago para ir ao deserto africano. Porém, existe em seu coração uma grande parcela de compaixão, pois durante sua recuperação ele pensa constantemente nos demais integrantes da banda e em salvá-los. O cenário principal é o deserto, mas não existe a mesma aura de desolação que no outro livro, pois sabemos que o mundo continua funcionando, as rodas se mantêm girando e as pessoas estão vivas. É como se fosse um pequeno recorte, o mundinho aterrorizador dos Danes, uma situação que pode se propagar e espalhar de forma catastrófica, mas que ainda não aconteceu.

Ambos os livros falam de eventos apocalípticos, cada um deles com suas peculiaridades e reviravoltas. Os protagonistas são indivíduos inteligentes e sagazes, mas que também apresentam grande vulnerabilidade diante das adversidades. 

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • RUDYNALVA CORREIA SOARES setembro 30, 2017

    Carol!
    Acredito que esse é o segredo da escrita do autor, insinuar mais do que escrever realmente cada detalhe, traz aquela sensação de medo e torna as personagens bem característica e únicas, gosto muito disso.
    Um final de semana de muita inspiração e paz no coração!
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy