14setembro2017

[Resenha] Uma Noite Para Se Entregar – Spindle Cove # 1 – Tessa Dare

Sinopse – Spindle Cove é o destino de certos tipos de jovens-mulheres: bem-nascidas, delicadas, tímidas, que não se adaptaram ao casamento ou que se desencantaram com ele, ou então as que se encantaram demais com o homem errado.  Susanna Finch, a linda e extremamente inteligente filha única do Conselheiro Real, Sir Lewis Finch, é a anfitriã da vila. Ela lidera as jovens que lá vivem, defendendo-as com unhas e dentes, pois tem o compromisso de transformá-las em grandes mulheres descobrindo e desenvolvendo seus talentos. O lugar é bastante pacato, até o dia em que chega o tenente-coronel do Exército Britânico, Victor Bramwell. O forte homem viu sua vida despedaçar-se quando uma bala de chumbo atravessou seu joelho enquanto defendia a Inglaterra na guerra contra Napoleão. Como sabe que Sir Lewis Finch é o único que pode devolver seu comando, vai pedir sua ajuda. Porém, em vez disso, ganha um título não solicitado de lorde, um castelo que não queria, e a missão de reunir doze homens da região, equipá-los, armá-los e treiná-los para estabelecer uma milícia respeitável. Susanna não quer aquele homem invadindo sua tranquila vida, mas Bramwell não está disposto a desistir de conseguir o que deseja. Então os dois se preparam para se enfrentar e iniciar uma intensa batalha! O que ambos não imaginam é que a mesma força que os repele pode se transformar em uma atração incontrolável.

“Uma noite para se entregar” é o primeiro livro da série Splinde Cove e tem como protagonistas Susanna e Victor. Narrada em terceira pessoa, a história se passa em 1813 em Sussex, na Inglaterra. Victor Bramwell, o Bram está acompanhado do seu primo Colin Sandhurst e o cabo Thorne. Os três rumam para Splinde Cove, a procura de um homem chamado Sir Lewis Finch.

Sir Lewis Finch é um inventor importante, e um prodígio na criação de armamentos. Ele também é o pai de Susanna Finch, a protagonista do livro. Bram é um soldado. Toda sua vida está relacionada ao exército e a lutar e ele não tem ideia do que fazer além disso. Porém, agora ele está ferido e seus superiores não querem reintegrá-lo, mas Bram não vai desistir da única coisa que conhece. O objetivo de ir procurar Sir Lewis Finch é usar sua influência para ser reintegrado, mas Bram não espera que o inventor queira realizar um acordo: Lewis usará sua influência para reintegrá-lo no exército se Bram em quatro semanas conseguir montar um pelotão preparado para proteger Splinde Cove com os habitantes locais. Como Splinde Cove fica próximo ao mar, é um local estratégico que pode ser usado em uma batalha, então Lewis acredita que o povoado deva estar preparado.

O grande problema é que Splinde Cove não é um local comum. É um vilarejo onde Susanna praticamente comanda e voltado praticamente para jovens. É um retiro de jovens da sociedade. Seja por motivos de doença, por conta de algum escândalo ou até mesmo por ser excêntrica demais. Splinde Cove é um refúgio e as mulheres realizam atividades masculinas, como atirar, ir a um bar ou até mesmo se portar de forma menos elegante do que a exigida pela sociedade.

Dá para imaginar que irá ocorrer uma briga de vontades no local. Duas pessoas com personalidades fortes e que adoram provocar um ao outro. Susanna é questionadora e quer saber tudo o que ocorre enquanto Bram acredita em ordem e disciplina e no fato de que mulheres não devem se envolver em assuntos de guerra. Susanna é uma jovem independente e auto-suficiente, que não deixará a guerra invadir o seu refúgio. E em contrapartida Bram fará qualquer coisa para ser reintegrado no exército.

Algumas das hóspedes de Splinde Cove ganham destaque. Uma delas é a viúva Sra. Highwood e suas três filhas: Diana, a bela da família mas que sofre um grave problema de saúde, Minerva, considera estranha pelo seu fascínio por pedras e que tem sempre a sua aparência comparada com a beleza estonteante de Diana e a jovem Charlotte, inteligente e sagaz.

“”Deixe-me tentar entender”, disse ele, enquanto massageava discretamente a coxa dolorida, fingindo que estava tirando poeira. “Você sugere que nós nos retiremos porque a vila está cheia de solteironas? Desde quando você reclama de excesso de mulheres?”
“Essas não são solteironas normais… São …. São incontroláveis. E excessivamente instruídas”.” (p. 40)

 

 

ISBN-13: 9788582352496
ISBN-10: 8582352492
Ano: 2015
Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Gutenberg
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5

Categorias:Editora, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • RUDYNALVA CORREIA SOARES setembro 17, 2017

    Thaís!
    Gostei de ver que as personagens tem personalidade fortes e vão acabar tendo confusão entre eles, dá mais uma apimentada no enredo, né?
    Amo os romances de épocas que se passam no século XIX…
    Quero ler.
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  • Giulianna Santicioli setembro 23, 2017

    Normalmente não curto muito romances de época, mas achei a história desse livro diferente e acho que gostaria dele, primeiro que a protagonista não é uma mocinha fraca, dependente e indefesa e parece que nesse livro a autora consegue passar isso para o leitor e outro ponto positivo é que o livro também tem seus temas secundários, como a guerra e os costumes das pessoas daquela cidade, enfim, o livro parece ser muito bom e pretendo lê-lo.
    Beijos!