28agosto2017

[Resenha] Nossa Música – Dani Atkins

Sinopse

Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.

Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.

Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.

 

Onde comprar?

Amazon

Minha opinião

Tocante, sensível e arrebatador.

Nossa Música é um romance que toca profundamente o nosso coração. Iniciei a leitura acreditando que estava diante de um clichê, mas conforme a narrativa conduzia um enredo entremeado de passados dolorosos e um presente ainda mais perturbador, não consegui mais parar de ler. Uma história de amor, paixão e de superação.

Joe Taylor e David Williams. Era para estarem se preparando para o Natal, comprando presentes ou prestigiando suas esposas, mas naquele fatídico dia, a vida deles mudou para sempre.

Naquela noite, em que o acaso tecia um tapete vivo usando os fios de nossas vidas, eu me perguntei por que isso me surpreendera.

Alexandra Taylor (Ally) é uma musicista, toca piano e trompete. Sua vida era plena, realizada e sentia-se amada por Joe e ambos amavam seu filho Jake.

Eu queria que ele, por um único momento, entrasse em meu mundo e visse por que a música significava tanto para mim. Só que ele não estava lá.

Charlotte Williams sempre teve tudo o que quis. Ela e David trabalhavam para isso. Podiam dar-se ao luxo de comprarem, esbanjarem o que podiam. Mas, tudo isso era porque nunca pôde dar um filho a David. Era tudo o que ela sempre quis.

Elas não esperavam se encontrar. Jamais imaginariam que se veriam novamente e, ainda em um hospital.

A voz de Max falhou um pouco.

— Então, você está sozinha no hospital?

Um leve som desconsolado escapou assobiando dos meus lábios.

— Quem dera — falei, incapaz de suprimir o fio de histeria que costurava minhas palavras. — David e Charlotte estão aqui também.  A linha estalou por vários segundos em meu ouvido antes que a voz de Max atravessasse a interferência.

— Desculpe, Ally, a ligação ficou cortada. Pensei até que você tivesse dito que David e Charlotte estão aí.

— Eu disse. Eles estão.

— Você chamou seu ex e a esposa dele para ficarem com você? A voz de Max havia subido umas boas duas oitavas de incredulidade. Minha gargalhada em resposta foi amarga.

— Não. Mas, por uma coincidência incalculável, David também está sendo atendido aqui. Charlotte e eu estamos dividindo a mesma sala de espera.

— Puta merda!

Juntas, têm muita história para contar e mágoas para curar.

A batalha de David seria agarrar-se à própria vida até que alguém perdesse a sua.

Narrando a história na versão de Ally simultaneamente na versão de Charlotte, a autora construiu um drama contundente, é impressionante o quando somos envolvidos por essa história narrada por duas pessoas, ora narrando o presente, ora o passado. As peças do quebra-cabeça vão se encaixando, com singeleza e sintonia o romance vai tomando forma e quando notamos, já estamos envolvidos em um enorme carrossel.

Eu o abandonei, abandonei a nós dois. E ele me deixou partir.

Inesperadamente, a autora fluiu entre altos e baixos, delineando todos os contornos e a personalidade de seus protagonistas, em contrapartida, esperamos um romance arrebatador, aquele encontro de dois amores. E o que encontramos? Histórias lindas, amizades verdadeiras.

Quando se chega tão perto da beira de um precipício a ponto de sentir o vento açoitando o rosto, é preciso reconhecer que é hora de mudar.

Nossa música atingiu seu objetivo, tocou-me profundamente. Recomendo a leitura.

Categorias:Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *