12agosto2017

[Divulgação] Lançamentos de Agosto/2017 da Darkside Books

Os olhos dos poderosos estão voltados para o Norte. A chave de Loki foi encontrada e está nas mãos de um príncipe irresponsável e um guerreiro quebrado. O inverno mantém o príncipe Jalan Kendeth longe dos luxos de seu palácio, ao Sul. E, embora o Norte seja a terra de seu companheiro, o guerreiro Snorri ver Snagason, o neto da Rainha Vermelha está ansioso para retornar ao seu lugar de origem. No entanto, mesmo os homens que possuem uma chave que pode abrir qualquer porta devem aguardar o degelo. Quando o gelo destravar suas mandíbulas, o Rei dos Mortos planeja reivindicar o que estava tão próximo dele — a chave para este mundo — e então os mortos enfim poderão se levantar e subjugar o mundo dos vivos. Mas há outros jogadores em ação, e outras mãos ao alcance da chave de Loki. Jalan queria apenas voltar ao vinho e às mulheres do Sul, mas Snorri tem outros planos. O viking deseja desafiar todo o Inferno se necessário for para trazer sua esposa e filhos de volta à vida. Os peões são jogados para se sacrificar e a Rainha Vermelha colocou ambos os homens em seu conselho. Quantos avanços tem visto a Irmã Silenciosa? Até onde eles chegarão antes que sua parte no jogo acabe? Jalan Kendeth, o neto da Rainha Vermelha e décimo na linha de sucessão ao trono, é um verdadeiro hedonista sem pretensões políticas, que se viu obrigado a abandonar sua boa vida após sofrer uma tentativa de assassinato. Para escapar, precisou se aliar a um perigoso guerreiro viking em Prince of Fools, volume que deu início a esta nova série. Mark Lawrence novamente cria um anti-herói irresistível. Por que mesmo estamos torcendo pelo príncipe Jalan Kendeth? — é uma pergunta comum entre os cada vez mais numerosos leitores de suas aventuras. A resposta, certamente, está no talento com que o autor conduz seus personagens e narrativas. E desta vez, a violência e o rancor de Jorg Ancrath, da Trilogia dos Espinhos, é substituída pela astúcia e charme do Príncipe dos Tolos, nem tão tolo quanto parece. Em comum, as duas trilogias dividem o mesmo cenário, um universo pós-apocalíptico e de inspiração medieval. Se você não via a hora de voltar ao Império Destruído, esta é sua chance, com esta nova saga do universo expandido da Trilogia dos Espinhos.

Com O Protegido e A Lança do Deserto, Peter V. Brett foi alçado ao topo da fantasia contemporânea, ao lado de gigantes, como George R. R. Martin, Robert Jordan e Terry Brooks. A GUERRA DA LUZ, terceiro volume da série best-seller internacional Ciclo das Trevas, continua a história épica sobre a resistência da humanidade contra um exército de demônios que se levantam a cada noite para dizimá-la. Na noite de lua nova, os demônios aumentam seu vigor e sua força, buscando a morte de dois homens que têm o potencial de se tornar o lendário Salvador, cuja profecia sugeria ser o único capaz de reunir os homens remanescentes para uma batalha final a fim de destruir os demônios terraítas de uma vez por todas. Arlen Fardos, outrora um menino comum, agora se tornou algo mais — o Protegido, tatuado com runas que o tornam poderoso a ponto de combater e derrotar qualquer demônio. Arlen nega que seja o Salvador, porém, quanto mais tenta levar uma vida comum, mais o fervor e a crença em seus poderes crescem entre os demais humanos. O caminho que escolheu, no entanto, ameaça conduzi-lo a um lugar sombrio que somente ele pode seguir, e de onde talvez não possa ser possível voltar atrás. A única esperança de manter Arlen no mundo dos homens reside em Renna Tanner, uma jovem feroz que corre o risco de se entregar ao poder das trevas. Ahmann Jardir forjou as tribos guerreiras do deserto de Krasia em um exército assassino de demônios e proclamou-se Shar’Dama Ka, o Salvador. Ele carrega armas ancestrais — uma lança e uma coroa — que dão credibilidade à sua reivindicação, e vastas partes das terras verdes já se encontram sob seu controle. Mas Jardir não chegou ao poder sozinho. Sua ascensão foi projetada por sua Primeira Esposa, Inevera, uma sacerdotisa astuta e poderosa, cujos poderes lhe permitem vislumbrar o futuro. As motivações e o passado de Inevera estão envoltos em mistério, e mesmo seu marido não confia inteiramente nela. Outrora amigos tão íntimos quanto irmãos, Arlen e Jardir agora são rivais amargurados. À medida que os inimigos da humanidade se levantam, os únicos homens capazes de vencê-los estão divididos entre si pelos mais mortais de todos os demônios — aqueles que espreitam o coração humano.

O segundo volume do sucesso Os Senhores dos Dinossauros chega para deixar o universo criado por Victor Milán ainda mais instigante e surpreendente. O Paraíso é um mundo extenso, diversificado, muitas vezes cruel. Existem seres humanos no Paraíso, mas predominam os dinossauros: animais selvagens, monstros, animais de carga e de guerra. Cavaleiros blindados conduzem dinossauros para batalhar legiões de tricerátopos treinados pela guerra e suas equipes camponesas. Karyl Bogomirsky é um cavaleiro que optou por reunir aqueles que buscam uma saída para a jornada de guerra e loucura. Mas o Império da Nuevaropa anunciou uma cruzada religiosa contra este reino pacífico e as pessoas que desejam viver em paz. Todos devem ser convertidos ou destruídos. As coisas realmente desandam quando os temidos Anjos Cinzas, antiquadas armas dos deuses que criaram o Paraíso, surgem em cena após quase um milênio. Todos achavam que se tratava de fábulas para assustar crianças. Mas eles são muito reais. E vieram para livrar o mundo do pecado… incluindo todos os humanos que manifestaram esses vícios. OS CAVALEIROS DOS DINOSSAUROS é a sequência da trilogia Os Senhores dos Dinossauros, de Victor Milán, que se passa no Império da Nuevaropa, um continente claramente inspirado na Europa do século XIV. Cultura e costumes, religião, conflitos políticos, tecnologia e armamento são compatíveis com o último período da Idade Média. Mas neste mundo, construído pelos Oito Criadores, os gigantes répteis pré-históricos também fazem parte do arsenal de guerra. Tricerátopos, alossauros e tiranossauros marcham em batalhas épicas, enquanto pterossauros voam rasantes, como fariam dragões em lendas medievais.Se alguém poderia contar essa história, esse alguém é o mestre Victor Milán. Talento e experiência ele tem de sobra. Com mais de cem romances publicados em quatro décadas, Milán recebeu o conceituado troféu de ficção científica Prometheus Award em 1986, concorrendo com o livro póstumo de Philip K. Dick, Radio Free Albermuth. Victor Milán também é um dos membros fundadores da série de livros Wild Cards, editada e coescrita por Melinda M. Snodgrass e George R.R. Martin. O autor de Game of Thrones é amigo de Milán desde os anos 1970 e acompanhou o processo de criação do livro em primeira mão.Este segundo volume apresenta novamente as ilustrações originais de Richard Anderson, artista que fez concepts para grandes produções do cinema como Guardiões da Galáxia, Thor: O Mundo Sombrio, Gravidade e Prometheus, entre outros.

O livro de Becky Chambers é um marco recente no universo da ficção científica. Lançado originalmente através de financiamento coletivo pela plataforma Kickstarter, ele conquistou a crítica especializada e os ainda mais exigentes fãs do gênero, sendo indicado para prêmios respeitados, como o Arthur C. Clarke Award e o Hugo Award. Um dos motivos do sucesso de A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil é a abordagem da história. Elementos essenciais em qualquer narrativa sci-fi estão muito bem representados, como a precisão científica e suas possíveis implicações políticas. O gatilho principal é a construção de um túnel espacial que permitirá ao pequeno planeta do título participar de uma aliança galáctica. Mas o que realmente torna único esse romance on the road futurístico e muito divertido são seus personagens. Instigantes, complexos, tridimensionais. A autora optou por contar a história de gente como a gente — ainda que nem todos sejam terráqueos, ou mesmo humanos. A tripulação da nave espacial Andarilha é composta por indivíduos de planetas, espécies e gêneros diferentes, incluindo uma piloto reptiliana, uma estagiária nascida nas colônias de Marte e um médico de gênero fluido, que transita entre o masculino e o feminino ao longo da vida. Temas como amizade, racismo, poliamor, força feminina e novos conceitos de família fazem parte do universo do livro, assim como cada vez mais fazem parte do nosso mundo. Becky Chambers segue os passos da pioneira Ursula K. Le Guin (A Mão Esquerda na Escuridão e Despossuídos), e inclusive presta homenagem à inventora do ansible, um dispositivo de comunicação interplanetária, em sua obra. A visão feminina e acurada de autoras como Becky e Ursula permite desconstruir velhos clichês e quem sai ganhando são os amantes da literatura sci-fi — de todos os gêneros e espécies. Milhares de leitores em todo o mundo já embarcaram nas páginas desta que é A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil.

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *