16julho2017

[Resenha] Alien – Rio de Sofrimento – Trilogia Alien # 3 – Christopher Golden

Sinopse – Terceiro livro da série Alien é terror em estado puro! Enquanto Ellen Ripley hiberna no espaço, o planeta LV426 – onde ela e a equipe da Nostromo encontraram o xenomorfo original – é colonizado e rebatizado de Aqueronte. Durante o processo de terraformação do planeta, uma das expedições descobre a imensa e decadente espaçonave responsável pelo destino de Ripley. O achado é de grande interesse para a Weyland-Yutani, e pode ser a resposta para os sonhos de Anne e Russell, um casal que se mudou para Aqueronte em busca de fortuna e acabou de ter o primeiro bebê nascido na colônia: Rebecca Jordan, mais conhecida como Newt. Mas o que eles descobrem a bordo da espaçonave acaba dando origem não a um sonho, mas a um pesadelo. Um romance original e oficial do universo expandido da série Alien, Rio de sofrimento se passa entre os filmes Alien, o oitavo passageiro e Aliens, o resgate, revelando a construção e a queda de Hadley’s Hope, a colônia humana que se estabeleceu em LV426 enquanto Ripley hibernava. 

“Rio de Sofrimento” é o terceiro livro da trilogia Alien. Narrado em terceira pessoa, a história se passa em diferentes momentos. A história começa em 04 de junho de 2122, na nave Nostromo, onde a subtenente Ellen Ripley está a bordo. Tudo o que ela deseja é finalizar o transporte de minérios para a Terra e rever sua filha Amanda. Mas um pedido de socorro muda tudo…

“A Nostromo atravessava o sistema Zeta-E-Reticuli transportando vinte milhões de toneladas de minério destinados ao planeta Terra quando o computador de bordo da nave, denominado Mãe, interceptara um sinal de socorro de um planetoide conhecido por LV426.” (p. 07)

Logo depois o leitor é levado para o ano de 2165, onde Al Simpson, o administrador colonial, Najit, um engenheiro estrutural e Greg Hansard estão tendo problemas para instalar a colônia no planeta LV426, agora chamado Aqueronte.

“A colônia – batizada de Hadley’s Hope em homenagem a um dos seus idealizadores – era um empreendimento patrocinado pelo governo da Terra em conjunto com a Corporação Weyland-Yutani e dirigido pela administração colonial, supostamente de acordo com todas as regras estabelecidas pela Comissão de Comércio Interestelar. O próprio Aqueronte não era de fato um planeta, embora as pessoas se referissem a ele dessa forma. Era uma rocha no meio do nada, um dos satélites de um planeta chamado Calpamos.” (p. 14)

Os anos passam e Hadley’s Hope vai recebendo mais e mais pessoas e a colonização vai aumentando. No ano de 2173 nasce a primeira criança em Aqueronte, a Rebecca, filha de Anne e Russ Jorden, um casal de garimpeiros que resolveu tentar uma vida melhor para a família. No ano de 2179 chega em Hadley’s Hope, o capitão Demian Breckett para seu primeiro dia de comando. Breckett abdicou de sua vida pessoal pelo exército e irá reencontrar a mulher que amava na colônia. 

Porém a calmaria dura pouco quando na Estação Gateway, Ellen Ripley acorda depois de 57 anos de hipersono e se dá conta de que perdeu tudo o que lhe importava e se depara com Carter Burke, um funcionário da Companhia que quer informações sobre as criaturas com quem Ripley se deparou em sua última viagem.

Alternando entre os acontecimentos de Hadley’s Hope e o presente de Ripley, o leitor será levado a uma história de conspiração, mentiras e ambição. Imaginem uma mini cidade, cheia de famílias, com crianças. Tudo isso em um local onde a  Weyland-Yutani  sabe que é extremamente perigoso e repleta de criaturas que farão de tudo para sobreviver.

Um enredo de tirar o fôlego com personagens inesquecíveis como a jovem Rebecca e seu irmão mais velho, uma mãe determinada a manter seus filhos a salvo, um fuzileiro honrado e uma equipe de pesquisadores inescrupulosa.

“Havia muito tempo, a Weyland-Yutani estava numa cruzada para encontrar e utilizar, monetizar ou converter em arma qualquer espécie alienígena na qual conseguisse pôr as mãos. Os esforços da companhia não eram segredo.” (p. 92)

São vários os personagens que se destacam nesse livro: Brecket, Anne, Rebecca, Al Simpson, Sargento Draper, a Dra Hidalgo, o Dr. Mori e o Dr. Bartholomew Reese. “Rio de Sofrimento” contêm cenas e descrições impactantes, com direito a cenários e criaturas minuciosamente detalhadas. 

Anne e Russ são um casal comum. O casamento é cheio de altos e baixos, mas os dois são felizes e amam seus dois filhos. Como garimpeiros, eles levam seus filhos nas escavações para aprenderem o ofício. Suas vidas são simples, repletas de trabalho e dificuldades, mas também cheia de felicidade. Rebecca é a filha prodígio. Com apenas seis anos de idade ela é perspicaz e inteligente e muito carismática. É amada não apenas por ser a primeira a nascer em Weyland-Yutani, mas por ser uma garotinha fofa e adorável.

Brecket é um soldado modelo, seguindo ordens sem hesitar. Quando chega a colônia, percebe que as coisas por lá não funcionam exatamente como deveriam e que a Companhia é mais poderosa do que imaginava.

“Quem quer que tivesse batizado LV426 com aquele nome havia reconhecido o absurdo de tudo aquilo. Na mitologia grega, Aqueronte tinha sido um dos rios que percorriam o mundo inferior. O significado da palavra era sombrio. Rio de Sofrimento.” (p. 16)

CONFIRAM AS RESENHAS DOS LIVROS ANTERIORES
Alien – Surgido das Sombras – Livro 01
Alien – Mar de Angústia – Livro 02

ISBN-13: 9788544105122
ISBN-10: 8544105122
Ano: 2017
Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Leya
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *