11junho2017

[Divulgação] Semana especial Para todos os garotos que já amei

Olá, Viajantes. Hoje irei trazer para vocês a resenha do primeiro livro da trilogia: “Para todos os garotos que já amei”.

 

Sinopse – Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

A história é narrada em primeira pessoa pela protagonista, uma adolescente chamada Lara Jean. Ela mora com seu pai e suas duas irmãs, a mais velha é a Margot e a mais nova é a Kitty. Desde que sua mãe faleceu, Margot acabou assumindo muitas responsabilidades na criação das irmãs e no cuidado com a família, mas agora Margot vai para a faculdade em outro país. Então, cabe a Lara Jean se posicionar como um bom exemplo para Kitty e ter mais responsabilidades.

“Somos irmãs, e não há nada que ela ou eu possamos dizer ou fazer que vá mudar isso.”

Lara Jean é uma jovem sonhadora que gosta de escrever cartas para desabafar seus sentimentos, inclusive cartas de amor para aqueles por quem se apaixonou e nunca foi capaz de manifestar seus sentimentos. As cartas contêm desabafos, as impressões dela sobre os rapazes e muito mais. São cinco cartas guardadas em uma caixa especial para a protagonista.

“O amor é assustador; ele se transforma; ele murcha. Faz parte do risco. Não quero mais ter medo. Quero ser corajosa como Margot. Afinal, um novo ano está quase começando.”

Com todas essas mudanças em sua vida, Lara Jean descreve para os leitores sua nova rotina até o momento em que descobre que suas cartas sumiram. E pior. Foram entregues aos destinatários. Acontece que esses destinatários ainda frequentam praticamente os mesmos locais que a mocinha, inclusive a escola.

O leitor então se diverte com as tentativas de escapar de situações embaraçosas que a mocinha acaba se envolvendo.

” — Só para você saber, eu não tenho herpes. 
O que? Fico olhando para ele, boquiaberta. 
— Eu nunca disse que você tinha herpes. 
A voz dele ainda estava baixa, mas realmente furiosa. 
— Também não pego sempre o último pedaço de pizza. 
— Do que você está falando? 
— Foi você quem disse. Na sua carta. Que eu sou um cara egoísta que anda por aí passando doenças para as garotas. Lembra? 
— Que carta? Eu não escrevi nenhuma carta! 
Espera. Escrevi sim. Eu escrevi uma carta para ele há um milhão de anos. Mas não é dessa carta que ele está falando. Não pode ser.”

Diante dessa nova realidade, novos personagens como o Peter irão mostrar a Lara Jean que, às vezes, se arriscar pode resultar em algo extraordinário.

“- Você só gosta de caras com quem não tem chances, porque tem medo. Do que você tem tanto medo? 
Eu me afasto dele até encostar na parede
– Não tenho medo de nada. 
– Até parece. Você prefere criar uma versão idealizada de alguém na sua mente a ficar com a pessoa.”

ISBN-13: 9788580577266
ISBN-10: 8580577268
Ano: 2015
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Intrínseca
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *