30abril2017

[Resenha] O Ninho Envenenado (As Crônicas do Amanhecer Livro 1) – R. Silva

(Edição digital. Amazon. 277 páginas. 2017.)

Após séculos de paz, uma traição traz caos ao Império. A divisão da dinastia dos Scliros inicia uma guerra por poder, vingança e riqueza, da qual nem todos sairão vivos.

O Imperador Jonas do Punho, suas tropas e seu herdeiro, o príncipe João Scliros, está a caminho da Terra do Amanhã, este que é segundo na linha de sucessão (seu irmão Fernando irá reinar), para tentar o tratado de paz com seu irmão, Lorde Lucas. Estão todos ansiosos e esperam pela aclamada trégua. Ao chegarem, notam que o estandarte deles não possui mais a serpente roxa, mas uma verde. O que seriam estas mudanças? No entanto, ele é recebido e seu irmão age com cautela. No jantar daquela noite, as coisas tomam um rumo inesperado, há traição, sangue e injustiça.

Mesmo nos movimentos mais sutis, Lorde Lucas exibe elegância única. A cada gesto, parece que cada milímetro de seu corpo se move na direção certa, como a água de um rio que corre com fluidez e naturalidade. É com esta incomparável elegância que ele ergue sua taça para mais um brinde. – Que esse seja um recomeço para todos nós, Majestade. – ele diz. – E que a paz que selamos hoje dure por milênios.

Após anos esperando pelo fim da Guerra dos Dois Irmãos que interrompeu um longo período de paz no Império, o conselho dos Eruditos está ansioso por informações, afinal, o imperador partira para o Ninho há algumas semanas e desde então, não tinham retornos sobre a trégua.

– Sim, é ele mesmo. – o cavaleiro responde. Mesmo quem nunca viu o Ninho, como o Príncipe, é capaz de reconhecê-lo imediatamente na primeira vez que o vê. O castelo tem esse nome justamente por se parecer com um ninho para aqueles que o avistam à distância. O Ninho é um castelo praticamente impenetrável, com diversos muros que se sobrepõem um mais alto que o outro. Muitos dizem que o castelo é mais seguro do que o próprio Punho do Imperador.

A notícia chega com a cabeça do Imperador, e, com a morte inesperada de Fernando. Onde estará o garoto João e seu mentor Dom Eduardo?

Por narrativas paralelas em terceira pessoa, somos levados à lugares excepcionais através da visão dos personagens, sob a perspectiva de João, de Kyra, da Imperatriz Victória e outros personagens surpreendentes, vamos conhecendo aos poucos o ambiente, a época e a guerra que está prestes a acontecer. Entre castelos medievais, rotas entre vilarejos, Forte da Tempestade, a Torre do Imperador, Castelo das Mil Folhas, e outros lugares muito bem descritos podemos ir compreendendo o contexto e por onde seguirá o enredo, mas, será que devemos confiar em quem é aparentemente confiável?

Do início ao fim, O Ninho Envenenado, primeiro livro da Série As crônicas do Amanhecer prende o leitor em sua narrativa consistente, fluente e cheia de ação e aventura. Um dos motivos que mais gostei durante a leitura, foi da capacidade do autor de delinear uma obra com desenvoltura e extrema habilidade. Não há pontas soltas, pelas narrativas em diferentes visões, as histórias vão seguindo um padrão e os pontos vão sendo ligados. Não é cansativa, pelo contrário, você começa a ler e não consegue parar até chegar ao final.

– O Imperador é você. – a serpente responde, e por um momento João tem a impressão de que ela está sorrindo. – Estes são seus súditos agora. Você decide o que fazer. – João pensa por um momento. Ele percebe que Dom Eduardo está de pé ao seu lado, mas ele não responde quando João o chama. – Não adianta chamá-lo, jovem Imperador. Você deve decidir sozinho. O que você quer? – Vingança.

Recomendo a leitura para todos os leitores, de todos os públicos, especialmente aos leitores que são apaixonados por fantasia épica e aventura.

Compre na Amazon!

Categorias:Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *