14março2017

[Semana Especial Matéria Escura] E se?

Imagine como seria sua vida se você tivesse mudado alguma coisa no seu passado. Como isso impactaria em sua vida hoje em dia?

 

 

Matéria Escura é um thriller sci-fi que ultrapassou todas as minhas expectativas, um livro intenso e extraordinário na mesma proporção. Então, quando imaginamos a questão da escolha, do livre arbítrio e dos percalços que encontramos no caminho, vem a minha mente a pergunta: E se?

E se tivesse feito outra escolha. Que impacto essa escolha do meu passado teria em meu presente? No livro, Jason decidiu se casar com a namorada da faculdade quando ela disse que estava grávida, anos depois, vê seus amigos brilhando na carreira científica, ganhando prêmios que sempre sonhou ganhar. Ao mesmo tempo em que sua esposa decide ser mãe, opta por se dedicar menos a carreira artística. Foram escolhas que, conscientes ou não, influenciaram em suas vidas.

Quem ler o livro poderá junto ao protagonista vivenciar experiências diversificadas, imaginar todas as possibilidades em que uma escolha foi realizada, afinal, mesmo não escolhendo já estamos definindo não escolher, não é mesmo?

Acredito que se eu tivesse mudado algumas coisas em meu passado, assim como o personagem Jason, eu seria privada de muitos privilégios. Ao decidir me casar muito nova pude formar minha família cedo, mas, fui mãe em tempo integral para posteriormente dedicar-me a continuar meus estudos, escolher uma carreira. Naquela época eu podia escolher o que quisesse, eu quis uma família. Quis vivenciar a maternidade plenamente, sem nunca deixar de lado meu vício de escrever (tenho diários desde pequena) e de ler sem parar. Ao estar de repouso por uma gestação de risco, pude passar meses lendo, lendo muito mesmo, porque não podia sair da cama. Posteriormente, via meus filhos crescendo e com eles a necessidade de retomar projetos antigos, estudar Letras. Minha família apoiava. Meu esposo, minhas amigas, todas torcendo para que eu finalmente pudesse alçar voos mais altos e pudesse contagiar mais pessoas pelo meu hábito. Então um blog que era sobre bebês (eu amava blogar) teve seu conteúdo homeopaticamente transformado em blog literário, ora escrevia sobre como você devia cuidar da educação, do desmame, do desfralde ora escrevia sobre os livros que eu estava lendo e amando. O blog sobre mamãe e bebê durou apenas dois meses, o Viaje na Leitura que surgiu quando eu tinha um filho de cinco anos e outro de cinco meses permanece até os dias atuais e tem sido um hobby, um trabalho, uma terapia. Tem sido tudo. Foi o veículo que trouxe mais literatura para a minha vida e de todos ao meu redor, inclusive para a vida dos meus filhos que crescem influenciados pelos livros que o cercam (literalmente).

Se eu tivesse feito outra escolha, eu não escreveria isto hoje. Poderia estar com uma carreira em andamento e não no início, mas teria perdido os melhores momentos da minha vida. Talvez, meus filhos estivessem vindo agora e não sei se em tempos de facebook, Instagram, eu teria construído o que possuo hoje: Família, Paz, Amor.

Obrigada pela reflexão Thaís2, decido eu mesma assumir que fiz as melhores escolhas.

Atenciosamente,

Thaís1

Categorias:Semana Especial
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • […] “Quando pensamos em escolha, em livre-arbítrio e em percalços que encontramos no caminho, vem à minha mente a pergunta: E se? E se eu tivesse feito diferente? Que impacto uma escolha do meu passado teria em meu presente?” (Viaje na leitura) […]