06Março2017

[Resenha] A Promessa – Myron Bolitar # 8 – Harlan Coben

Sinopse – Depois de ouvir duas adolescentes trocando confidências no porão de sua casa, Myron faz com que as garotas prometam ligar para ele se um dia estiverem em alguma encrenca e não tiverem coragem de recorrer aos pais em busca de ajuda. Ele garante que irá em seu socorro sem questionamentos, qualquer que seja a situação. Alguns dias depois, às duas da manhã, seu telefone toca. É Aimee Biel, uma das garotas a quem oferecera apoio incondicional. Abalada e nervosa, ela pede que Myron a deixe em frente a uma casa numa rua deserta, o suposto endereço de uma amiga. Apesar de sentir que alguma coisa está errada, Myron honra sua palavra e não faz perguntas. Mas ele se arrependerá profundamente dessa decisão, porque talvez essa seja a última vez que Aimee será vista por alguém. Atormentado pela culpa – ao mesmo tempo que se torna o principal suspeito pelo misterioso desaparecimento –, Myron decide investigar o caso por conta própria. Envolvido numa trama cheia de promessas desfeitas e segredos devastadores, ele descobre que essa não será apenas uma busca por uma adolescente que sumiu: será também uma busca pela verdade em suas nuances mais sombrias.

“A Promessa” se passa seis anos depois dos acontecimentos de “Detalhe Final”. Os pais de Myron mudaram-se para Miami, onde estão aproveitando a aposentadoria e lidando com problemas de saúde. A casa de infância de Myron é agora a sua casa e está levando uma vida mais tranquila, saindo com Ali Wilder , uma viúva e mãe de dois filhos adolescentes. Em uma reunião com alguns amigos em sua casa, Myron escuta a conversa de Erin, a filha de Ali e Aimee filha de Claire e Erik. Claire frequentou a escola com ele e é sua vizinha, então ele conhece Aimee desde pequena. As duas estão conversando sobre festas e comentam sobre o namorado de Aimee dirigir bêbado. Em um ímpeto ele oferece ajuda a ambas: caso se encontrem em uma situação difícil, elas poderiam ligar para ele a qualquer hora do dia e ele iria resgatá-las e promete que nem ao mesmo comentaria com os pais das jovens. O que Myron não imagina é que essa oferta iria complicar a sua vida…

“- Por favor, escutem, está bem? Se algum dia estiverem numa encrenca, se saírem para beber, se seus amigos estiverem bebendo, se vocês estiverem chapadas ou doidonas ou sei lá o quê… Prometam que vão ligar para mim. Eu vou pegar vocês onde estiverem. Não vou fazer nenhuma pergunta. Não vou contar aos seus pais. É a minha promessa. Levo vocês aonde quiser ir. Não importa a que horas seja. Não importa se estiverem longe. Não importa se estiverem chapadas. Vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana. Liguem e eu pego vocês”. (p. 15)

Alguns dias depois Myron recebe uma ligação de Aimee no meio da madrugada pedindo que ele fosse buscá-la e que a deixasse na casa de uma amiga. Percebendo o nervosismo da garota, o protagonista tenta conversar com ela, mas suas tentativas são um fracasso total. Depois disso, Aimee desaparece e a os pais da jovem ficam desesperados.

Em paralelo, a investigadora Loren Muse recebe uma dica sobre Katie Rochester, outra jovem que sumiu. Katie, assim como Aimee, tem dezoito anos de idade e ambas estudam na mesma escola. E o mais intrigante: ambas usam o mesmo caixa eletrônico antes de desaparecer. A polícia ainda não tem certeza se elas resolveram fugir ou foram sequestradas, mas as coincidências dos dois casos são inúmeras e o principal suspeito é Myron.

Quem acompanha a série sabe que Myron tem um complexo de herói e mesmo afastado tanto tempo da “ação”, ele mergulha de cabeça na investigação e as revelações serão impactantes. A trama mergulha no ambiente escolar, onde observamos jovens que se acham no topo do mundo e se envolvem em situações perigosas. Vemos também várias dinâmicas familiares problemáticas e pais capazes de absurdos para preservar o futuro dos filhos.

Enquanto mergulhamos na investigação, o leitor também acompanha o crescimento pessoal dos personagens que já são velhos conhecidos: Esperanza Dias é uma mãe e mulher de família, casada com alguém totalmente diferente e inesperado; Big Cindy continua com seu vestuário excêntrico e Win, bom… é o Win. Temos algumas participações especiais, como a maravilhosa Zorra, juntando todo a gangue novamente. Os pais de Myron também fazem uma pequena participação e confirma o quanto o protagonista ama sua família. 

“Seis anos. Era o tempo que fazia desde que Myron tinha bancado o super-herói pela última vez. Em seis anos não tinha dado um único soco. Não tinha segurado, muito menos disparado, uma arma. Não tinha ameaçado nem sido ameaçado. Não tinha telefonado para Win, que continuava sendo o homem mais amedrontador que ele conhecia, para ajudá-lo ou para tirá-lo de uma encrenca. Nos últimos seis anos nenhum dos seus clientes tinha sido assassinado – um ponto realmente positivo no seu ramo de negócios”. (p. 21)

ISBN-13: 9788580416725
ISBN-10: 8580416728
Ano: 2017
Páginas: 352
Idioma: português
Editora: Arqueiro
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Confiram as resenhas dos livros anteriores:
(1) Quebra de Confiança – Livro 01
(2) Jogada Mortal – Livro 02
(3) Sem deixar rastros – Livro 03
(4) O preço da Vitória – Livro 04
(5) Um passo em falso – Livro 05
(6) Detalhe final – Livro 06
(7) O medo mais profundo – Livro 07

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *