28fevereiro2017

[Resenha] Um Passeio no Jardim da Vingança – Daniel Nonohay

Sinopse – Seja bem-vindo ao nosso futuro! As grandes cidades convivem com a divisão entre as “zonas vigiadas” e suas periferias. O uso de drogas e medicamentos é disseminado, sendo controlado por laboratórios. Implantes cibernéticos são uma realidade, aumentando capacidades e aptidões, como a de memória, para aqueles que conseguem arcar com os custos. Religiões e grupos terroristas alimentam-se do descontentamento e das diferenças sociais. Venha acompanhar a história de Ramiro, um advogado que perdeu o prazer de viver. Depois de quase ser morto, tenta retomar a rotina profissional e dar sentido ao que restou da sua vida. Em litígio com os sócios do escritório, parte como caçador em busca de uma vingança que o acabará transformando em caça. Perseguido, doente e sem recursos, a sobrevivência de Ramiro dependerá da sua capacidade de improvisação, do seu conhecimento de sistemas de dados e das aptidões adquiridas com dois implantes cerebrais, que lhe permitem acesso à “rede” e aumentam a sua memória. Um Passeio no Jardim da Vingança é um suspense denso, com personagens marcantes e amorais, que dão à narrativa múltiplos pontos de vista e linhas cronológicas, e onde a ficção científica é um pano de fundo para uma história na qual o personagem principal é a natureza humana.

A primeira parte do livro, chamada de Livro 1 é dividida em duas partes: O efeito terapêutico da morte e o passeio no jardim da vingança. A história começa no prólogo, onde Ramiro Souza de Braga é o advogado responsável pelo setor de direito de trabalho na empresa onde é sócio e que está trabalhando em um caso que está em julgamento. Durante uma das sessões da corte, há um atentado e Ramiro é o único sobrevivente.

Ramiro é um homem na faixa dos quarenta anos, bem sucedido, com uma carreira estável e financeiramente abastado. É casado com Amanda, uma mulher de 39 anos de idade que está sempre a procura de uma inovação que a deixe mais nova. Apesar de parecer que Ramiro tem uma vida perfeita, ele é um homem que se envolve com drogas e casos extraconjugais. O casamento é uma eterna batalha passivo-agressiva, onde os dois adotam o ditado de se dar o troco na mesma moeda.

“Amanda ia além. A aparência era a própria essência de sua vida. Eu acompanhava sua exaustão de se submeter a um julgamento em cada novo rosto que a observava. Ela não aceitava decepcionar ninguém. As regras de estética, etiqueta e cordialidade eram estritas e de observância obrigatória e instintiva”. (p. 31)

Ramiro passa dois meses e meio em coma induzido e quando acorda, sabe que a reabilitação não será fácil. Mas mais do que isso, ele acorda com um novo propósito de vida e está decidido a desmascarar o Escritório. Como é possível de se imaginar, os demais sócios não irão apreciar essa perseguição. Durante o Livro I iremos conhecer os demais personagens, Rogério, Fábio, Abel, Josué, o Velho e até mesmo uma Seita conhecida como Cristão Novo. É nesse momento que vemos como os personagens são corruptíveis e movidos ao interesse financeiro e ascensão social.

É logo no início do livro também que observamos algumas das tecnologias existentes no enredo, como um implante capaz de descarregar todas as informações necessárias no cérebro do indivíduo e ainda com acesso a internet e atualização de dados. É interessante a premissa do autor com tais tecnologias, pois elas são descritas de forma que o leitor consiga imaginá-las existindo em um futuro próximo.

“Logo no começo da comercialização dos implantes de conexão e de memória, os primeiros a serem produzidos em larga escala, surgiram diversos casos de demência, amnésia e até morte associados ao consumo desenfreado de dados pelos usuários. Era uma nova espécie de vício”. (p. 46)

O Livro 2 é chamado de Passado e Futuro e é dividido em Descronologia e Dante os visitaria mas chegou muito cedo. Nessa parte da história temos os eventos que antecederam os acontecimentos do Livro 1 e o que aconteceu após o desfecho dele.

A premissa de “Um passeio no jardim da vingança” é muito boa, mas existem algumas situações que poderiam ter um maior desenvolvimento. O envolvimento do Cristão Novo é complexo, mas não há muitas explicações sobre sua origem ou sobre a história do representante deles. Os diálogos tem uso de termos como “tu estás”, por exemplo, que são termos mais utilizados em determinadas regiões do país. Tal regionalismo não é um problema em si, mas como se trata de um livro que circula por todo o país, pode causar um pouco de estranheza para alguns leitores. 

Com um enredo que leva o leitor a questionar a natureza humana, temos um livro denso e repleto de reviravoltas. Há situações tensas, violentas e impactantes. É uma história inteligente e cheia de personagens questionáveis e com um enredo convincente.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Foi encontrado um único errinho na página 243, mas nada que interferisse na compreensão do texto.

“Explodir em pedaços tinha um efeito terapêutico”. (p. 54)

ISBN-13: 9788542809275
ISBN-10: 8542809270
Ano: 2016
Páginas: 301
Idioma: português
Editora: Novo Século
Skoob: clique aqui
Avaliação: 3/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *