14dezembro2016

[Resenha] O Som do Amor – Jojo Moyes

o-som-do-amor-jojo-moyes-viaje-na-leitura

Sinopse – Matt e Laura McCarthy são obcecados pela ideia de herdar a Casa Espanhola — uma construção malcuidada e quase em ruínas no condado de Norfolk, interior da Inglaterra, que tem um valor simbólico para os moradores locais. Para atingir esse objetivo, Laura, a mando do marido, faz todas as vontades do velho Sr. Pottisworth, o proprietário. Entretanto, como o homem nunca deixou nada por escrito, quem acaba por herdar a casa é uma parente distante, Isabel Delancey. Primeiro violino na Orquestra Sinfônica Municipal, em Londres, Isabel tinha uma vida tranquila com seus dois filhos e o marido, mas tudo virou de cabeça para baixo quando ele morreu em um acidente de carro e deixou uma grande dívida. Sua única oportunidade de recomeço é fincar moradia na Casa Espanhola — algo que o casal McCarthy vai tentar impedir a qualquer custo.  O som do amor é um romance sobre obsessão, manipulação, segredos e paixões. Por meio de personagens carismáticos e capazes de tudo para realizar seus objetivos, Jojo Moyes mantém seu estilo inconfundível em uma brilhante história de recomeços.

A história é narrada em terceira pessoa e tem como ponto central a Casa Espanhola, um casarão que é cobiçado por Matt e Laura McCarthy, moradores de Norkfolk. A família de Matt trabalhou no casarão e ele ambicionou desde cedo possuir a construção. Matt é um homem que se impõe na cidade, seja por violência, ameaças ou até mesmo com artimanhas. Ele finge ser um cara de família, mas não engana ninguém. Todos na cidade sabe que ele traí a esposa o tempo todo, incluindo Laura. Laura é uma mulher que preza pelas aparências e que coloca em si mesma um véu, criando uma ilusão em sua vida. Ela acredita que se for a esposa perfeita e se o casal conseguir o casarão, seu casamento dará certo. Laura chega a ser um pouco submissa, aturando o descaso e até mesmo as patadas dada por Matt. Por insistência de Matt, ela se torna a cuidadora do Sr. Pottisworth, o dono da Casa Espanhola que está idoso e acamado. São anos aturando as provocações e reclamações de Pottisworth, com o objetivo de herdar a Casa.

Quando o velho morre, ele deixa a casa para uma parente distante: a Isabel Delancey. A vida de Isabel gira em torno da música. Como primeiro Violino na Orquestra Sinfônica Municipal, ela não tem tempo para mais nada e nem ao menos faz questão disso. Porém, quando o seu marido Laurent faleceu, a sua vida virou de cabeça para baixo. Primeiro, Isabel se isola em sua própria dor, negligenciando seus filhos: Kitty e Thierry. Kitty, uma jovem no início da adolescência, precisa se tornar a administradora da casa, pagar as contas e até mesmo cuidar do irmão mais novo, que desde a morte do pai, parou de falar.

Isabel é o que podemos chamar de sem noção. A vida gira em torno do próprio umbigo, o que torna a vida de seus filhos muito difícil. Quando ela descobre que não tem dinheiro nem ao menos para pagar a casa, ela decide se mudar para Norfolk, para a casa que herdou. Uma casa caindo aos pedaços e que não tem a mínima condição de abrigar duas crianças.

Matt fica revoltado ao saber que não herdou a casa que acredita que é sua por direito e ao perceber que a nova dona não tem a mínima ideia de como lidar com a Casa, decide bolar um novo plano.

A obra é cheia de reviravoltas, enganos, traições e crescimento pessoal. Os protagonistas principais: Matt, Isabel e Laura são egocêntricos, egoístas e cheios de imperfeições. Para o leitor é difícil de se compadecer por eles, pois não apenas observamos os erros que cometem, mas como suas atitudes impactam a vida de seus filhos. Kitty e Thierry passaram por uma perda terrível, mas não tiveram tempo para sofrer o luto. Kitty tornou-se uma adulta da noite para o dia, tendo que cuidar da própria mãe e Thierry perdeu-se em um mundo próprio, tendo que aprender a confiar nas pessoas novamente.

Shane, o filho adolescente de Matt e Laura, passou a vida inteira observando a relação conturbada que é o casamento dos pais. Matt, que deveria ser o exemplo de sua vida, é um homem corruptível e desonesto, que não tem senso de honra ou família, enquanto que Laura é uma mulher que se agarra em ilusões.

Enquanto a Casa Espanhola vai ganhando nova vida, os personagens vão mostrando suas verdadeiras faces e chegam a um ponto que precisam escolher entre crescer e continuar o mesmo ciclo.

“O som do amor” é uma bela obra sobre a condição humana e sobre a importância de se impor e defender o que é correto.

Em relação a revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. A capa combina perfeitamente com o enredo.

ISBN-13: 9788551000663
ISBN-10: 8551000667
Ano: 2016
Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Intrínseca
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *