28setembro2016

[Resenha] Nerve – Jeanne Ryan

 

nerve-jeanne-ryan-viaje-na-leitura

Sinopse – Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também.  Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo. A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos.

“Nerve” é narrado em primeira pessoa e sua história gira em torno de Vee, uma adolescente que mora em Seattle e trabalha nos bastidores do teatro da escola como maquiadora e figurinista. Na verdade, Vee sente que é sempre a protagonista, pois sua melhor amiga Sidney é uma pessoa linda que sempre rouba os holofotes. Por conta de um acontecimento importante, os pais de Vee mantêm um rigoroso controle sobre suas idas e vindas, determinando toque de recolher e pedindo atualização constante de sua localização.

Para Vee tal monitoramento é irritante, mas é suportável porque ela consegue ver Matthew diariamente. Matthew é um dos atores da peça, que vive flertando com ela e por quem Vee tem uma queda enorme. 

Nerve é o jogo do momento. Todos se conectam para assistir aos vídeos e algumas pessoas até pagam para serem Observadores, pessoas que podem presenciar pessoalmente os desafios. O jogo é baseado em vários desafios, que vão desde cantar em uma cafeteria, flertar com um estranho e assim vai. Quanto mais arriscado o desafio, maior é a recompensa. Na temporada passada, a final foi assustadora, mas é um jogo, então não existe perigo de verdade, não é?

Em um rompante, Vee decide se inscrever e realiza o primeiro desafio. Auxiliada por Tommy, um dos alunos da escola e membro da equipe dos bastidores do teatro, a filmagem acaba fazendo mais sucesso do que o esperado. Deslumbrada com a atenção recebida e com os prêmios, Vee mergulha cada vez mais nesse jogo e os perigos vão se tornando mortais.

“É difícil acreditar que pouco antes eu estava deprimida atrás de uma cortina empoeirada vendo minha melhor amiga me esfaquear pelas costas. E agora? Prêmios, diversão e dinheiro, talvez. Porém, mais importante, um cara delicioso que me olha como se eu fosse um doce.”

No jogo, ela recebe um parceiro: Ian. Ian é misterioso, sedutor e consegue completar suas tarefas do jogo na maior do tempo com o seu carisma. Seu ar misterioso deixa claro que sua vida é cheia de segredos e os amigos de Vee acham que ele é perigoso. Vee é uma boa aluna, de uma beleza média e com poucos amigos, que acaba se deixando levar pela oportunidade de chamar a atenção tanto dos conhecidos como de estranhos. Em alguns momentos Vee é ingênua demais e sua narrativa se foca mais nos garotos do que no perigo ao seu redor. Mesmo fazendo questionamentos importantes durante a trama, a impressão que temos é que ela demora demais para ligar os pontos e agir.

Cada nova tarefa leva a dupla a locais e atividades mais perigosas, às vezes até ilegais. A adrenalina em completar o jogo é alta e ninguém acredita que o perigo é real. Afinal de contas, eles são constantemente filmados e tudo é postado na internet. 

“Nerve” é um thriller emocionante, mas também é uma crítica inteligente aos reality shows e a obsessão dos telespectadores pelos programas e seus participantes. Fala sobre invasão de privacidade e falta de limites e explora também a necessidade que sentimos em conseguir a fama e reconhecimento.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. 

ISBN-13: 9788542207873
ISBN-10: 8542207874
Ano: 2016
Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Outro Planeta
Skoob: clique aqui
Avaliação: 3/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *