16setembro2016

[Resenha] Diário de Uma Cúmplice – Mila Wander

diario-de-uma-cumplice-mila-wander-viaje-na-leitura

Sinopse – Meu nome é Christine, ou pelo menos costumava ser. Professora numa escola infantil, eu levava uma vida bem normalzinha, meio sem graça, até que numa noite eu o vi. Começou com uma paquera descompromissada, daquelas que acontece quando você vê um cara gato do outro lado da rua. Ele me olhou, eu olhei pra ele e sorri. Esse joguinho de sedução poderia ter terminado num café, ou quem sabe em um namoro, se ele não tivesse se aproximado de mim e me apontado uma arma. Não sei o que me deu para salvá-lo da polícia e abrigá-lo na minha casa. Burrice? Solidão? Não tinha a menor intenção de me tornar cúmplice de um criminoso. Mas seu olhar quente, sua fala mansa e sedutora me enlaçaram de tal forma que, de repente, eu me vi no meio de um turbilhão de acontecimentos. Agora, refém da paixão por aquele homem, só me restava relatar em um diário como fui me envolver mais de corpo do que de alma com a maior quadrilha do país.

A história é narrada em primeira pessoa por Christine, a protagonista do livro. Christine é uma mulher de 25 anos que vive uma vida bem solitária. Após perder os pais precocemente, ela se tornou alguém introspectiva e sem muitos amigos, contando principalmente com a amiga Lessy. Apesar de Lessy ser sua melhor amiga, as duas tem vidas completamente diferentes e Christine acredita que por conta dissso, Lessy não é capaz de entender seus questionamentos e sentimentos. Então Lessy decide dar de presente a ela um diário, para que a protagonista desabafe. E é por conta disso que a história inteira é narrada em forma de um diário, com Christine conversando com esse objeto inanimado e explorando todos os seus pensamentos. Ao utilizar essa ferramente, a trama torna-se mais leve e fluida, pois os devaneios da protagonista alternam com as situações perigosas com que Christine se envolve.

Conforme a sinopse explica, Christine pensou que estava flertando com um homem lindo na rua quando ele a abordou e a usou como escudo humano quando a polícia o perseguiu. Quando o bandido ficou ferido, ao invés de fugir, ela deu abrigo ao bandido e acabou se envolvendo com um perigoso grupo de criminosos. Em sua narração Christine deixa claro que sentiu uma atração irresistível por Miguel, mas tive a impressão durante a leitura de que a protagonista sente-se tão solitária que agarrou a primeira oportunidade de contato humano. Esse começo é um pouco surreal demais, porém a trama tem um bom enredo a partir do momento em que a protagonista entra nesse mundo ilegal.

Independentemente do motivo que a levou a ajudar Miguel, o fato é que ela o ajudou e a partir daí nega-se a sair do lado dele. Inclusive aceita fazer parte do mundo fora da lei que ele se encontra e vai para uma mansão isolada, onde conhece alguns dos membros da quadrilha.

Não sei bem como descrever Christine. Ela se enxerga como alguém se graça e sem atributos, mas age de forma impulsiva e arriscada para conseguir a atenção de Miguel. Ao mesmo tempo, aceita ser feita de capacho por ele, que sabe usar muito bem as vulnerabilidades da protagonista. Conforme a trama se desenvolve, Christine meio que cria um alter ego e personifica a pessoa que sempre sonhou ser: alguém linda, irresistível e perigosa.

“Foi então que tive uma ideia bem maluca. Não sabia se daria certo, porém, naquele instante, não me questionei muito. Pintava os cabelos de vermelho-vivo havia anos, mas aquela nova fase da minha vida merecia uma mudança drástica… Quando tive coragem de me olhar no espelho, o espanto foi enorme: estava tão diferente que parecia outra pessoa. Era a mulher forte, decidida e corajosa que enfrentava todos os perigos. Aquela não era exatamente eu, mas agora fazia parte de mim. Eu seria uma loira fatal.”

Miguel é o perfeito cafajeste. Bandido, bonito e carismático, não pede por algo , simplesmente pega o que deseja. Essa personalidade alfa é ao mesmo tempo irritante e atraente e é o que fascina tanto Christine.

“– Eu não presto, Christine. Também não te mereço. Mas por não prestar é que vou te ter sem merecer.”

Além dos dois protagonistas, temos outros personagens que vão ganhando destaque no livro, como Christian, membro da quadrilha e um dos maiores aliados da protagonista e Cristal, a namorada de Miguel.

Como dito anteriormente, o início é um pouco fantasioso, mas a obra ganha ritmo e chega a ter momentos de ação mesclados com tensão sexual. É essa mistura, digamos explosiva que acaba atraindo a personagem e o leitor, pois Christine representa a aventura que todos nós sonhamos: abandonar a rotina e as obrigações e mergulhar de cabeça em algo envolvente e cheio de emoção, sem nos preocuparmos com o amanhã.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.

Ano: 2016
Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Essência
Skoob: clique aqui
Avaliação: 3/5

Carol Durães
Carol Durães

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *