30junho2016

[Resenha] A Profecia Do Pássaro De Fogo – (The Girl at Midnight) – Echo # 1 – Melissa Grey

Sinopse – No subterrâneo de lugares onde é muito difícil chegar, duas antigas raças travam uma guerra milenar: os Avicen, pessoas com penas no lugar de cabelos e pelos; e os Drakharin, que têm escamas sobre a pele. Ambas possuem magia correndo nas veias, o que os esconde de todos os humanos menos de uma adolescente chamada Echo. Echo conheceu os Avicen quando era criança, e desde então eles são sua única família. A pedido de sua tutora, a garota começa uma jornada em busca do pássaro de fogo, uma entidade mítica que, segundo uma velha profecia, é a única forma de acabar com a guerra de vez. Mas Echo precisa encontrar o pássaro antes dos Drakharin, ou então os Avicen podem desaparecer para sempre.
A trama é narrada em terceira pessoa e gira em torno de duas raças que travam uma guerra: os Avicen, pessoas com características de aves, com penas no lugar de cabelos e pelos e os Drakharin, pessoas com características de dragões, com escamas sobre a pele e alguns com habilidades especiais (como liberar fogo).
Echo é uma garota humana que quando criança, encontrou Ala, a única profeta viva dos Avicen, na Biblioteca Pública de Nova York. Enquanto Echo tornou a biblioteca seu lar (ela fugiu de casa), Ala encontrava paz e sossego. A reunião incomum criou um vínculo que dura dez anos e Echo é uma humana que sabe a verdade sobre essas duas raças especiais.

“A menina sorriu, e a Ala soube que não retornaria sozinha ao Ninho aquela noite. Ela tinha ido à biblioteca em busca de esperança; em vez disso encontrara uma criança. Ela levaria muitos anos para perceber que as duas coisas não eram tão diferentes.” (p. 11)

Echo é questionadora, valente, ama palavras e tem uma habilidade incrível em furtar itens. Mesmo tendo sido “adotada” pela Ala, Echo sente-se uma pária no Ninho, pois muitos a observam de longe, questionando o motivo de uma humana estar entre eles. Entre esses, temos o General Altair e Ruby, uma soldado dos Falcões de Guerra.

Em contrapartida, temos a Fortaleza do Dragão, na Escócia, onde o Príncipe Dragão, Caius, está procurando manter a paz entre os Avicen e os Drakharin, mesmo tendo uma grande oposição.
O seu maior empecilho é sua própria irmã, a Tanith. Ela é a general do exército Drakharin e é extremamente sanguinária. Tudo o que importa a ela é poder e aniquilar os Avicen. E Tanith irá chegar ao extremo, criando um golpe pelo trono para conseguir dar continuidade à Guerra.

“- Os Drakharin culpam os Avicen pelo desaparecimento de seus poderes no decorrer dos anos. Uma acusação ilegítima, claro. Como se uma coisa assim fosse possível! Mas o desespero fez as pessoas acreditarem em coisas malucas. A magia flui por este mundo como um oceano invisível. Ela vai e vem, como as marés. Quando os Drakharin sentiram que aquela maré estava recuando, quiseram culpar alguém. O ressentimento fervilha entre os povos por pequenos descontentamentos há milênios, de modo que os Avicen se tornaram um alvo conveniente.” (p.41)

Mas existe uma esperança para a paz: a profecia do pássaro de fogo. O problema é que a profecia é uma série de enigmas e que ninguém conseguiu encontrar. Até Echo e Caius.

Enquanto os dois lados começam a jornada para encontrar o pássaro de fogo, fica claro que Echo e Caius terão que trabalhar juntos para conseguir salvar as duas raças.
O enredo é uma grande aventura, pois os personagens percorrem o mundo atrás da pista. De NY e da Escócia, eles vão para Kyoto, Paris e outros locais impressionantes. A cada pista, um novo perigo se aproxima e as revelações vão sendo feitas.
Echo conta com a ajuda de Ivy, sua irmã postiça e melhor amiga. É uma aprendiz de Curandeira. Reservada e tímida, mostra grande tenacidade quando Echo precisa de sua ajuda. Temos também Rowan, namorado de Echo e amigo dela desde criança. Os dois dividem um sentimento muito bonito, mas Rowan é ingênuo demais em relação a hierarquia dos Avicen. Rowan também é um soldado, mas sua lealdade fica dividida entre o Ninho e Echo.
Do lado de Caius temos Dorian, um soldado leal e amigo. Sua lealdade é extrema e seus sentimentos por Caius são contraditórios. 
Temos ainda Jasper, um Avicen solitário que trabalha como freelance. Ele tem um interesse especial na descoberta pelo pássaro de fogo e também em Dorian.
A escrita da Melissa Grey é dinâmica e fluida. As descrições são vívidas e encantadoras. A viagem ao redor do mundo durante a busca pelas pistas levam os leitores a lugares espetaculares. Os Avicen e os Drakharin tem características peculiares, além do uso da magia por alguns personagens. Os personagens são complexos e seus debates internos e inseguranças são bem trabalhados.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho excepcional. A capa é linda e combina perfeitamente com o conteúdo.

“Um é tristeza, dois é prazer.
Três para morte, quatro é nascer.
Cinco é prata, seis é ouro.
Se são sete, é mau agouro.” (p. 24)

ISBN-13: 9788565765978

ISBN-10: 8565765970
Ano: 2016
Páginas: 296
Idioma: português 
Editora: Seguinte
Avaliação: 4/5
Skoob: clique aqui

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *