08maio2016

[Resenha] A Garota de Treze – Lilian Reis

Sinopse
Oi, meu nome é Luce. Odeio ter treze anos, ser chamada de pirralha e não
ser popular, mas, Acima De Tudo, odeio nunca ter sido beijada! Só tenho
uma amiga de verdade, a Rafa, e um amigo apaixonado que tenta de todas
as formas chamar minha atenção, o Bruno. Ele é pra lá de fofo, mas não
gosto de garotos tão novos, entende? Minha vida sem graça começou a
mudar quando botei os olhos no vocalista de uma nova banda. Nossa. Que
gato! Eu já queria fazer aulas de violão, mas, depois que ouvi o
carinha, decidi me matricular. Quase caí dura quando descobri que ele
era o professor! Pelamordideus! Além de atencioso, paciente e lindo,
tocava MUITO! Fiquei maluca por ele, tão maluca que decidi trapacear. Eu
só não imaginava que as consequências seriam tão desastrosas!
Onde comprar?
Saraiva | Mundo Uno

Minha opinião:

A Garota de Treze é o primeiro romance infantojuvenil publicado pela Editora Mundo Uno, pelo Selo Jovem da editora, lançado este ano na Bienal de Minas Gerais. É o primeiro contato que tenho com a escrita da autora Lilian Reis. Já fiquei fã!!!

Luce é uma garota totalmente sem graça, sem sal, sem peitos e sem experiência. Uma BV. Ops! Essa é a versão de Luce.

A Garota de Treze é Lucinda (Luce) que está completando treze anos, a fase da aborrescência, narrando do seu ponto de vista (primeira pessoa) ela nos confidencia seus sonhos, anseios e medos. Com seus treze anos recém completados ela aguarda o esperando momento em que ficará mais velha e que as coisas mudarão, odeia ter treze anos e sabe que a vida não é como nos filmes onde você deseja ter trinta e a mágica acontece, ela só queria ter dezesseis!

“De olhos fechados, tentei deixar a mente vazia ou pensar em outras coisas, só que não é assim tão fácil. Sou pilhada por natureza – ansiosa. Quero resolver tudo logo, como se o mundo fosse acabar. Quando um assunto me atormenta, hum… Faço disso uma tempestade num copo d’água. Sempre exagerada. Veja o que me tortura desde os meus onze anos: me sinto adulta, inteligente e capaz; sempre antenada, curiosa ao cubo e maluca para crescer logo.”


Luce mora com a mãe, seus pais são divorciados. Como ela mesmo diz:

“Meu pai tem outra mulher e tal. O tal é uma enteada de quatorze anos, metida a besta. A Beatrice. Eles até são alegres e se divertem muito, mais do que a mamãe e eu. O problema é que juram que diversão é passar o fim de semana todo jogando Imagem e Ação, Banco Imobiliário, etc.”


Seu pai aparece pouco na narrativa, o livro é em sua maior parte focado em Luce, em sua mãe com o namorado e seu iminente casamento, ou seja, o pai, madrasta e companhia foram descritos apenas no início do livro, Luce pouco se envolve com eles. Seu maior envolvimento é com a mãe, cheguei a ficar com pena de Luce, com a mãe “megaestressada”, “superprotetora”, “neurótica”, “careta”, “controladora”, no fundo, sua mãe só a quer proteger,  no decorrer da leitura a protagonista desencana de enfatizar o quanto a mãe a superprotege e passa a definir novos objetivos, como ficar com alguém.
“A Rafa e eu vimos quando ela se virou e sorriu, cínica e vitoriosa. Aí não aguentei mais. Avancei, pulei em cima dela e puxei aqueles cabelos lindos e perfeitos. Ela berrou e agarrou os meus cabelos também. A professora deu um grito:
– Jesuuus, me ajuda! – Jesus era o inspetor da escola.
– Luce, Luce, Luce, nãooo! – berrava a Rafa. – Isso não vai prestar! Logo Jesus chegou e separou a briga. Que vergonha!”
Inesperadamente, as coisas fogem do controle, ela mente, trapaceia e diz ter dezesseis. Então ela fica com Noah.

Depois de ter espantado Bruno, seu amigo de infância para os braços de outra, ter magoado e traído sua confiança, ela tem sempre sua melhor amiga Rafa, para desabafar e contar seus sentimentos. Mas, inesperadamente, as coisas começam a ficar sérias entre ela e Noah. Conseguirá contar a verdade? Precisará acertar as contas com o universo, definitivamente!

“Acredite, você só está começando sua história. Esta é apenas uma página. Rabisca ela e começa outra!”
A Garota de Treze é um livro fofo, emocionante e cheio de lições. Luce ensina com seus erros, que devemos respeitar as fases da vida, porque trapacear pode prejudicar a muitos, mas não mais do que a si mesma.

Luce ensina que as fases da vida não devem ser puladas, devem ser vivenciadas uma a uma, ensina que toda garota deve aproveitar cada momento de sua vida plenamente, sem disfarces, viver intensamente o aqui e o agora, porque tudo passa depressa.

“– A gente faz o que toda garota de treze faz, ora! Sonha, brinca, zoa, olha garotos, faz planos… Porque, quando chegarmos nos tais dezesseis, dezessete, dezoito, minha amiga, daí a porca torce o rabo, porque as responsabilidades vêm junto com a idade!”

“– Sabe, depois de tanta confusão, tive tempo de pensar. E olha, pra mim, já deu. Com sobras! Não atropelo mais nada. Quero viver cada dia dos meus treze anos sem pensar nos quatorze. E, já que me pediu um conselho, o melhor que posso dar é não apressar as coisas! Deixe o seu primeiro beijo acontecer na hora dele. Descobri que assim é mais gostoso e marcante.”

 

 Adorei o romance, fazia um bom tempo que não lia nada tão leve, fofo e agradável! Confesso que gostei do Noah, mas tinha uma pontinha de esperança que ela desse corda para o Bruno! haha

Divertido, fofo e perfeito! Espero que a autora escreva uma continuação, quem sabe quando Luce fizer dezoito?

Mais do que recomendado, para garotas a partir de onze anos!

Ficha Técnica:
Autora: Lilian Reis
ISBN-10: 8567218047
Ano: 2016
Páginas: 220
Idioma: português
Editora: Mundo Uno

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Liliana maio 8, 2016

    Puxa estou muito feliz e emocionda com essa resenha. A primeira, desde o lançamento. Obrigada Thaís Turesso.

  • Ledir Nolasco maio 9, 2016

    Amo leitura!! Vivo com um livro nas mãos..

  • Camila maio 30, 2016

    Oi, Thaís.
    Ainda não conhecia a editora e nem a autora, mas fiquei encantada com sua resenha. Não sei se o livro é para o meu gosto, mas anotei aqui a dica para dar de presente!
    beijos
    Camis – Leitora Compulsiva

  • Mundo Uno agosto 20, 2016

    […] VIAJE NA LEITURA, por Thais, em 08.05.2016 […]