07fevereiro2016

[Resenha] A Espada do Verão – Magnus Chase e os Deuses de Asgard # 1 – Rick Riordan

Sinopse – Às vezes é necessário morrer para começar uma nova vida… A vida de Magnus Chase nunca foi fácil. Desde a morte da mãe em um acidente misterioso, ele tem vivido nas ruas de Boston, lutando para sobreviver e ficar fora das vistas de policiais e assistentes sociais. Até que um dia ele reencontra tio Randolph – um homem que ele mal conhece e de quem a mãe o mandara manter distância. Randolph é perigoso, mas revela um segredo improvável: Magnus é filho de um deus nórdico. As lendas vikings são reais. Os deuses de Asgard estão se preparando para a guerra. Trolls, gigantes e outros monstros horripilantes estão se unindo para o Ragnarök, o Juízo Final. Para impedir o fim do mundo Magnus deve ir em uma importante jornada até encontrar uma poderosa arma perdida há mais de mil anos. A espada do verão é o primeiro livro de Magnus Chase e os deuses de Asgard, a nova trilogia de Rick Riordan, agora sobre mitologia nórdica.


“A Espada do Verão” é o primeiro livro da nova série de Rick Riordan: Magnus Chase e os Deuses de Asgard.
Narrada em primeira pessoa, a história gira em torno de Magnus, um jovem que perdeu a sua mãe há dois anos atrás e está sobrevivendo nas ruas de Boston. Ele tem dois tios, Randolph e Frederick, mas sua mãe sempre o alertou para não confiar em Randolph e Magnus não tem contato com Frederick, então sua realidade é extremamente dura: um jovem vivendo sozinho nas ruas.
Magnus é um personagem desconfiado, que presenciou muita maldade nas ruas e sabe que ninguém oferece nada de graça. Ele tem um humor mais ácido, irônico e faz algumas piadas nada engraçadas. 
Em uma noite qualquer, ele está dormindo debaixo de uma ponte quando é alertado por outro garoto que alguém o está procurando. É o seu tio Frederick e sua prima Annabeth. Frederick não sabia da situação de Magnus e nem que a mãe dele havia falecido. Randolph só contou a ele recentemente…
Sem saber qual é o verdadeiro interesse de Randolph em compartilhar essa informação tardiamente, Magnus resolve ir até a sua mansão confrontá-lo. E a partir daí, sua vida ganha uma nova reviravolta.
Como a sinopse explica, é Randolph quem conta sobre a identidade do pai do protagonista e se oferece para ajudá-lo a entender seus poderes e herança.
A obra é cheia de aventuras, com personagens marcantes e situações elaboradas. Alguns fãs de Percy Jackson afirmam que as histórias são semelhantes, mas existem peculiaridades no mundo de Chase. O autor faz referências à série do Percy, inclusive com o aparecimento de personagens, deixando claro que não existem motivos para não interligar as duas.
Quem já teve a oportunidade de ler algo do Rick Riordan, sabe que ele tem uma escrita fluida e cativante. O ritmo do texto é viciante e em poucas horas o leitor termina a leitura.
Os deuses nórdicos retratados nesse livro tem características engraçadas ou agem de forma estabanada em alguns momentos, fornecendo uma leveza à trama.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um trabalho excepcional. A capa é linda é chama a atenção.
“- Espere ai. O que Sam quer dizer de novo? Você já perdeu esse martelo antes?
– Só uma vez – disse Thor. – Mentira, duas. Três se você contar essa, mas não devia, porque não estou admitindo que o martelo sumiu.
– Certo… – concordei. – E como você o perdeu?
– Não sei! – Thor começou a andar de um lado para outro de novo, com o cabelo ruivo e comprido soltando fagulhas e estalando. – Foi só… Puf! Eu tentei refazer meus passos. Tentei o aplicativo Encontre Meu Martelo, mas não funcionou!”

ISBN-13: 9788580577952
ISBN-10: 8580577950
Ano: 2015
Páginas: 448
Idioma: português 
Editora: Intrínseca
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *