09outubro2015

[Resenha] Ligeiramente Maliciosos & Ligeiramente Escandalosos – Os Bedwyn # 02 & # 03 – Mary Balogh

Sinopse – Após sofrer um acidente com a diligência em que viajava, Judith Law fica presa à beira da estrada no que parece ser o pior dia de sua vida. No entanto, sua sorte muda quando é resgatada por Ralf Bedard, um atraente cavaleiro de sorriso zombeteiro que se prontifica a levá-la até a estalagem mais próxima.
Filha de um rigoroso pastor, Judith vê no convite do Sr. Bedard a chance de experimentar uma aventura e se apresenta como Claire Campbell, uma atriz independente e confiante, a caminho de York para interpretar um novo papel. A atração entre o casal é instantânea e, num jogo de sedução e mentiras, a jovem dama se entrega a uma tórrida e inesquecível noite de amor.
Judith só não desconfia de que não é a única a usar uma identidade falsa. Ralf Bedard é ninguém menos do que lorde Rannulf Bedwyn, irmão do duque de Bewcastle, que partia para Grandmaison Park a fim de cortejar sua futura noiva: a Srta. Julianne Effingham, prima de Judith.
Quando os dois se reencontram e as máscaras caem, eles precisam tomar uma decisão: seguir com seus papéis de acordo com o que todos consideram socialmente aceitável ou se entregar a uma paixão avassaladora?
Neste segundo livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos conquista com mais um capítulo dessa família que, em meio ao deslumbramento da alta sociedade, busca sempre o amor verdadeiro.

A história é narrada em terceira pessoa e tem como protagonistas Judith Law e o Rannulf. Judith é uma jovem de 22 anos que passou sua vida inteira sob o jugo do seu pai, um pastor que minou sua confiança, dizendo que seus lindos cabelos vermelhos eram coisa do demônio. Seu irmão mais novo, Branwell, é o único filho homem do pastor. Por conta disso, a família sempre realizou sacrifícios para que ele pudesse estudar. Só que andar com pessoas com mais dinheiro do que o tornou uma pessoa que gasta com frivolidades e contrai inúmeras dívidas. O pastor, sem ter como sustentar a família, pede ajuda a sua irmã, que resolve acolher uma das jovens. E Judith, para salvar as irmãs de uma vida de trabalho “escravo” para a tia, se voluntaria.

No caminho para a casa da tia Effingham em Harewood, ela sofre um acidente em uma diligência e é socorrida por Rannulf, que está indo visitar sua avó em Grandmaison Park.
Judith não tem noção da sua beleza estonteante e de como desperta o interesse nesse teimoso Bedwyn, mas arrisca-se em uma aventura, pois sabe que nunca irá se casar ou formar família, pois está indo para a casa da tia para trabalhar.
Ela acaba criando uma persona para essa aventura. Uma atriz que está a caminho de um novo trabalho e que gosta de sua liberdade: Claire Campbell.
Rannulf, por sua vez, ressabiado pelo fato de que as mulheres que encontra geralmente demonstram um interesse excessivo no sobrenome da família, se apresenta como Ralf Bedard. 
A aventura é mágica e sensual, mas precisa chegar ao fim. O que Judith não imagina é que o caminho dos dois irá se cruzar mais uma vez.
A avó de Rannulf quer que ele se case e arranjou uma pretendente perfeita para ele: a jovem Julianne Effingham, prima de Judith.
Julianne e sua tia são personagens irritantes. Com 18 anos, a jovem é mimada e birrenta, mas sabe disfarçar muito bem na hora de conquistar o pretendente. A tia, por sua vez, além do interesse no casamento de Julianne com um Bedwyn, é propositalmente maldosa com Judith, pois não aguenta ver a beleza da filha ofuscada.
Como se isso não bastasse, temos Horace, primo de Judith. Ele se sente atraído por Judith e tenta forçar inúmeras situações com a jovem.
Judith é vivaz, inteligente e forte. Muitas mocinhas teriam tido o seu espírito quebrado na casa dos Effinghams. Ela procura sempre por algo positivo, mesmo que esteja cansada ou triste. É carismática, divertida e não tem a mínima noção de como é bela.
Rannulf é um Bedwyn. Dito isso, é de se esperar que seja um pouco cabeça-dura e ao mesmo tempo carismático e conquistador.
O relacionamento dos dois é bonito e sensual, mas também emocional. Os dois começam a falar de suas vidas, seus medos e sonhos e desenvolvem ainda mais seus sentimentos.
Para quem estava sentindo falta dessa grande família, lá pela página 227 temos a participação de Wulfric, o duque de Bewcastle, Alleyne, Freya e Morgan. A autora também deixa um desenrolar para a história de Freya, que é o terceiro livro da série.

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580413939
Ano: 2015
Páginas: 288
Tradutor: Ana Rodrigues
Skoob: Clique aqui
Avaliação: 4/5
Sinopse – Freyja Bedwyn é uma mulher diferente das outras damas da alta sociedade: impetuosa e decidida, ela preza a independência e a liberdade acima de qualquer coisa – até mesmo do amor.
Até que o destino lhe apresenta Joshua Moore, o marquês de Hallmare, um homem cheio de charme e mistério, dono de uma beleza estonteante e de uma reputação terrível. Quando ambos se encontram a caminho da pacata cidade de Bath, a química entre os dois é imediata.
Entre encontros e desencontros, conflitos e provocações, Joshua faz uma proposta inusitada: pede que Freyja finja ser sua noiva, para evitar que uma artimanha de sua tia o leve a se casar com a própria prima.
Para uma dupla que acha graça das convenções sociais, esta parece ser a oportunidade perfeita para se divertir. Mas a brincadeira acaba trazendo consequências inesperadas. Aos poucos, suas máscaras vão caindo e ambos se revelam pessoas bem diferentes do que aparentam.
Neste terceiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh se aprofunda ainda mais nos segredos e desejos dessa família incomum e extremamente sensual.

Freya desde o primeiro livro aparenta ser uma mulher a frente do seu tempo. Independente, geniosa e teimosa, muitas vezes age como um homem na sociedade e não tem medo das represálias. É inteligente, tem um temperamento forte e não hesita em socar um nariz sempre que necessário. Mas por trás dessa armadura, existe uma mulher de 25 anos insegura e machucada.
Ela sabe que não é propriamente bela, pois herdou o nariz aristocrático da família. E também já passou por um noivado dissolvido e um coração partido.
Nesse livro, Freya está indo de Grandmaison Park, em Leicestershire (local do livro dois) para The Circus em Bath, visitar Lady Hotl-Barron. Sua escapa tem motivo: ela precisa de um lugar onde ficar por algumas semanas para fugir do passado.
Joshua Moore é o Marquês de Hallmere. Apesar de ter o título, ele deixa sua tia e suas primas em Penhallow para viverem da forma como quiserem. Graças a sua infância sofrida, ele não faz questão nenhuma em retornar para aquela propriedade. Joshua leva a vida tranquilamente, se divertindo e fugindo de compromissos. E é em uma dessas fugas que ele esbarra em Freya em uma estalagem e dá início a vários encontros hilários entre os dois.
De todos os livros publicados até agora dessa série, sem dúvida esse é o mais engraçado. Os dois são teimosos demais e tentam aprontar um com o outro o tempo inteiro! Joshua adora tirar Freya do sério e mesmo já tendo levado uns sopapos da jovem, não resiste.
Freya se torna mais descontraída na presença de Joshua. Pode-se até dizer que ela fica mais feliz. Ele não a trata como uma mulher fraca e sonsa da sociedade e sim de igual para igual e isso a alegra.
Os dois também não negam a atração que sentem um pelo outro e se entregam a ela. Mas são conscientes, pois sabem separar bem atração de amor.
Algumas situações vão se desenrolando e Freya acaba aceitando se passar pela noiva de Joshua para salvá-lo de uma enrascada. Porém, como podem imaginar, sendo duas pessoas da alta sociedade, o noivado vai ganhando proporções tão grandes que os Bedwyn acabam envolvidos.
E vocês podem imaginar que, com toda a família reunida, mais confusões vão sendo criadas.
A história tem todos os elementos para um livro incrível: a família, o relacionamento se desenvolvendo, uma traição, perdão, laços de amizade e um passado emocionante dos dois protagonistas.
Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho. Foi encontrado um único errinho na página 28. A capa, apesar da modelo linda, não combina com a descrição da Freya.

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580414547
Ano: 2015
Páginas: 288
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Confiram a resenha do livro “Ligeiramente Casados”, primeiro livro da série Os Bedwyn clicando aqui

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fabrica dos Convites outubro 11, 2015

    Oi Carol, só li a resenha do volume 2, pois estou justamente lendo o livro 3 no momento. Judith é uma batalhadora, gostei muito dela, não se deixou abater apesar de todos os problemas. Estou adorando a série e recomendo.
    Bjs, Rose.

  • RUDYNALVA outubro 11, 2015

    Carol!
    Não li ainda nenhum dos livros da série, embora goste muito dos romances de época.
    Vou ver se consigo ler, porque demais do enredo dos dois livros e de suas protagonistas.
    “O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.”(Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

  • Camila outubro 11, 2015

    Oi, Carol.
    Estou me animando com os romances de época e vou colocar essa série na minha lista de desejados!
    Beijos
    Camis – Leitora Compulsiva

  • Maisanara F. outubro 11, 2015

    Já li várias resenhas desses livros e todos gostaram. Nunca li nenhum livro de romance de época e talvez comece por essa série, que parece ter personagens ótimos.

  • Mariana Ogawa outubro 24, 2015

    ainda não li nada da série e apesar de não ser muito fã de romances de épocas, todas as resenhas que eu li são que os livros são maravilhosos, acho q vou deixar meus preconceitos de lado e começar a ler essa série p ver se ela é tão boa quanto dizem e os personagens parecem ser muito bem construidos.
    precisa ler na ordem? ou pode ler cada livro independente ?