28outubro2015

[Divulgação] Semana Proibido – Discutindo a Negligência Familiar

Tendo em vista o delicado tema abordado em “Proibido”, a Editora Valentina está com uma campanha espetacular e nessa semana, além de divulgar a obra a editora resolveu falar sobre Negligência Familiar. Segue o texto:

“As obrigações são muitas. Tiffin
precisa de uma calça nova, Willa de sapatos novos, as contas a pagar vão se
empilhando, mamãe perde de novo o talão de cheques. Maya limpa, ajuda com o
dever de casa, põe as crianças para dormir, eu faço as compras, cozinho, separo
as contas, busco Tiffin e Willa na escola. Ninguém consegue domar Kit.”


Talvez eu não deva colocar o abandono familiar como o exclusivo responsável
pela paixão entre Lochan e Maya, mas acredito que contribuiu de fato para que
tudo acontecesse de forma tão intensa. O pai deles abandonou a família,
deixando a mãe com cinco filhos. A mão por sua vez, tornou-se uma alcoólatra
que não cuida dos filhos, só lembra de deixar um cheque e vive perambulando
pelas ruas atrás de homem. Por consequência disso Maya e Lochan se tornam o pai
e a mãe de deus irmãos, eles tomam conta de tudo para que nada dê errado e para
evitar que o conselho tutelar pegue todos e os separe. Por isso acho de grande
relevância nós abordarmos um pouco o tema “negligencia familiar”

O que é negligência
familiar?
Podemos dizer que nada
mais é que uma situação de constante omissão dos pais e/ou familiares
responsáveis para com a criança ou adolescente, situação essa que coloque em
risco o seu desenvolvimento.
A negligência não é
caracterizada apenas pelo abandono material, mas também o afetivo, como no caso
de Proibido. A mãe de Lochan e Maya, sempre deixava um cheque ( ainda que o
valor não fosse suficiente) para as despesas básicas, mas nunca estava presente
para resolver problemas escolares, dar carinho ou para prestar auxilio no que
quer que fosse.
No Brasil, a negligência
familiar lidera o ranking de violações nos conselhos Tutelares. Dos casos de
problemas de convivência familiar levado aos conselhos tutelares, quase 47% se
refere a negligência dos pais.
A pratica da negligência
não é tipificada pelo código penal, logo quem a pratica não pode ser punido.
Mas esse é um caso serio a se pensar. A violência física, os maus tratos,
sempre começa de algum ponto e muitas vezes a origem de tudo, pode se encontrar
na negligência.
Então galera, vamos conscientizar
nossos familiares, vamos mostrar a importância e participar ativamente da vida
dos filhos, eu sei que muitas vezes é difícil encontrar um tempo para dar
atenção no meio de um dia a dia cheio de afazeres, muitos precisam do auxilio
de uma babá ou de creche, mas vamos lembrar que o responsável pela educação e
formação do seu filho é você. Ainda que você saia de casa cedo e chegue muito
tarde, arrume um tempo para brincar com seu filho no final de semana, leve-o ao
cinema, ao teatro, ajude com a lição de casa, vá aos eventos da escolinha, são
coisas tão pequenas, mas que no futuro terão um grande retorno. 

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • RUDYNALVA outubro 29, 2015

    Carol!
    Boa iniciativa da editora e blogs.
    O tema negligência familiar deve mesmo ser bem discutido.
    Temos ao nosso redor sempre algum caso e ficamos no dilema de denunciar ou não, afinal, Se meter na vida alheia é complicado, mas não dá para ficar calada diante de uma negligência.
    “Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.”(Friedrich Nietzsche)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

  • Mariana Ogawa outubro 31, 2015

    eu acho bem interessante essa ideia que a valentina está fazendo de trazer um livro e tentar trabalhar em cima do tema 😉 essa é uma moda que deveria pegar.
    eu já ouvi histórias de negligência familiar (e vi em reportagem) que eu gostaria que fosse de mentira, isso sim são histórias de terror… e não bruxas, vampiros…
    eu já tenho meus grilos por um relacionamento horrivel com meu pai, imagino ser abandonada de todo
    adorei a frase que vc escolheu, bem pesada mas é a verdade.