21setembro2015

[Resenha] A Conspiração Umbrella/ O Incidente de Caliban Cove/ A Cidade dos Mortos – Série Resident Evil – Livros 01, 02 e 03 – S. D. Perry

SinopseUsando como pano de fundo a história do primeiro jogo da série, S.D. Perry reconta os acontecimentos registrados nas montanhas Arklay, onde ocorrências de canibalismo assustam a população. A autora vai além da narrativa original e acrescenta momentos anteriores à missão dos S.T.A.R.S., com novas situações para envolver os leitores na busca por respostas aos casos bizarros que, de alguma forma, estão relacionados à corporação Umbrella. Aventure-se nas descobertas de Chris Redfield e Jill Valentine, que lutam pelas suas vidas para não serem engolidos pela escuridão eterna. Surpreenda-se ao encarar o seu próprio medo das coisas que se escondem por trás de cada esquina. 
Primeiramente, preciso deixar claro que a minha intenção não é comparar a série de livros com os jogos. Nunca joguei Resident Evil e a opinião formada deve-se inteiramente ao livro.
O prólogo é datado de 2 de Junho de 1998 e narrado em terceira pessoa. Tudo começa com alguns relatos de canibalismo na floresta de Raccoon City.
“O Corpo mutilado de Anna Mitaki, 42 anos, foi descoberto ontem, no fim do dia, em um terreno abandonado perto de onde morava, na região noroeste de Raccon City, fazendo dela a quarta vítima dos supostos “assassinos canibais” a ser encontrada nos arredores do distrito de Lago Vitória no último mês.” (p. 09)
Tendo em vista esse cenário e com o fato de que a polícia não consegue encontrar os culpados, eles contatam uma equipe STARTS, a equipe Bravo,  para investigar. A primeira equipe começa a investigação, porém perde-se o contato.
“O transmissor do helicóptero era feito para funcionar sem parar; a única maneira de desligar era se algo grande acontecesse: o sistema inteiro tinha de falhar ou ser seriamente danificado.” (p. 31)
Seguindo as coordenadas da primeira equipe, a equipe alfa é enviada. Jill, Chris, Barry, Joseph, Brad e Wesker vão parar no epicentro da história do primeiro livro: A Casa do Spencer, ou como é mais conhecida: a velha mansão da Umbrella.
A mansão, de certa forma, é um personagem. Seus corredores são repletos de segredos e deixa o leitor sem fôlego.
Uma história de traições e muita ação, com direito a muitas charadas e reviravoltas. 
Wesker é o chefão das equipes STARTS. Ele é manipulador e tem seus próprios objetivos e não poupará a vida de ninguém para alcançá-los.
A equipe STARTS é de modo geral, f***! Sério, eles enfrentam várias situações desconhecidas, presenciam mortes e criaturas e ainda assim continuam arrasando. Alguns deles ganham um maior destaque, como a Jill (quero ser como ela quando crescer!!) e o Barry.
Em relação à revisão, diagramação e layout, o livro deixou a desejar, principalmente no quesito revisão. Foram encontrados inúmeros erros que vão desde pontuação à grafia.
“Tinha um ferimento escancarado e mordido no peito, pedaços de tecido parcialmente comido e vísceras espalhadas ao redor do buraco ensanguentado. Não tinha a mão esquerda, e a arma não estava por perto; deve ter sido a mão dele que Joseph tinha encontrado na mata….” (p. 63/64)
Edição: 1
Editora: Benvirá
ISBN: 9788582400760
Ano: 2013
Páginas: 232
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Sinopse – O segundo livro da série criada por S.D. Perry traz uma história inédita, não retratada no jogo. O incidente de Caliban Cove narra acontecimentos que correm entre os games Resident Evil e Resident Evil 2. Os membros sobreviventes do S.T.A.R.S. acreditavam que a conspiração terminaria após o incidente na mansão Spencer. O esquadrão reuniu evidências para alertar o mundo sobre as terríveis armas biológicas criadas pela corporação Umbrella, mas tudo foi em vão: a empresa farmacêutica saiu impune e os S.T.A.R.S. foram considerados criminosos foragidos. A história agora é protagonizada pela novata Rebecca Chambers, o único membro da equipe Bravo a sobreviver aos terrores da mansão. A médica passa a fazer parte de um novo esquadrão dos S.T.A.R.S. quando ouve de um misterioso informante rumores sobre uma nova instalação da Umbrella em Caliban Cove, no estado do Maine. Rebecca deverá reunir provas suficientes para finalmente incriminar a Umbrella, mas irá se deparar, mais uma vez, com um perigo inimaginável. 

Conforme a sinopse explica, o foco principal nessa continuação está na única sobrevivente da equipe bravo: Rebecca. Após os acontecimentos do livro anterior, o grupo percebeu que a STARTS e a Umbrella possuem muitos interesses em comum e Jill e os demais sobreviventes são agora foragidos, acusados injustamente, pois agora sabem da verdade. Fica por conta de Rebecca e de uma equipe de “rebeldes” investigar os acontecimentos em uma instalação da Umbrella que fica em uma ilha. 

Acontece que os personagens irão descobrir não apenas evidências contra a Umbrella, mas também tipos diferentes de “zumbis”. Vamos dizer que eles não agem sem sentido.

A impressão de que tive durante essa leitura foi de que faltava “algo”. Com exceção de Rebecca, os personagens não tem personalidades marcantes e o desenvolvimento da trama não foi bem sucedido. 

Depois de finalizar a leitura, questionei o expert da casa (meu irmão rs), que me informou que essa história é um extra e não é baseada no jogo e que apenas a Rebecca é um personagem.

“Estavam presos em Caliban Cove, e, nessa instalação, as criaturas tinham armas.” (p. 102)

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora fez um bom trabalho. Foram encontrados erros de revisão, porém uma quantidade bem menor do que no primeiro livro. A capa combina com a do primeiro livro. 

Edição: 1
Editora: Benvirá
ISBN: 9788582401071
Ano: 2014
Páginas: 210
Skoob: clique aqui
Avaliação: 3/5

SinopseA Cidade Dos Mortos” narra a trajetória de Leon S. Kennedy e Claire Redfield em Raccoon City. Os dois são alguns dos poucos sobreviventes que unem forças para escapar de criaturas terríveis produzidas sob influencia da corporação Umbrella, que domina a cidade até os mais altos escalões de poder. Esta obra de S. D. Perry leva o leitor diretamente para o centro de uma cidade em colapso, dominada por zumbis e outros perigos inimagináveis.

“A Cidade dos Mortos” traz uma perspectiva diferente da história. Até o momento o leitor acompanhou os agentes da STARTS e da Umbrella, agora veremos a perspectiva dos sobreviventes.

A história se passa em setembro de 1998, apenas alguns meses após o livro um. Claire Redfield é irmã de Chris (do livro 1) e está sem notícias dele há um bom tempo. Preocupada, ela decide ir para Raccoon City para obter informações sobre o irmão.

Leon S. Kennedy foi atribuído como policial para a cidade e esse é o seu primeiro dia. Animado com a nova função, ele não poderia imaginar que a cidade está infestada por criaturas que se alimentam  de outros seres humanos. 

Quando os dois se deparam com situações terríveis acabam tendo seus caminhos cruzados e decidem ir até o local que consideram seguro: a delegacia. Infelizmente, não existe local seguro em Raccoon City. 

O caos se estende na delegacia, onde alguns sobreviventes, inclusive Sherry, uma garotinha que foi deixada lá por sua mãe, que acreditava piamente que estaria em segurança. 

Em paralelo, temos a presença de Ada Wong, uma mercenária contratada pela Umbrella para recuperar uma prova que confirma a culpa da empresa. Ada tem uma missão e irá cumpri-la. A mulher é implacável. Apesar de não ser a boazinha do livro, ela é tão f*** quanto à Jill. Suas cenas são as que mais se destacam em termos de ação e atitude.

Claire é a representação da perseverança da humanidade, pois fará tudo o que puder para encontrar sua família.

Leon é a representação da justiça, que vem sendo distorcida até o momento na trama. Ele é correto e tudo quer resgatar o máximo de sobreviventes e encontrar uma saída.

Ainda temos personagens corruptos e gananciosos que irão dificultar a vida desses protagonistas.

Até o momento foi o livro que mais se destacou tanto na construção do enredo quanto nas cenas e personagens.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um bom trabalho. Existem alguns errinhos, mas não tão graves quanto nos livros anteriores. A capa combina com a trama e com as capas dos demais livros.


Edição: 1
Editora: Benvirá
ISBN: 9788582401323
Ano: 2014
Páginas: 307
Skoob: clique aqui
Avaliação: 4/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Paloma Viricio setembro 21, 2015

    Não sei se leria esse livros, mas quem sabe um dia. Essa falha na revisão do primeiro seria algo que me irritaria. kkkk Por incrível que possa parecer, fiquei com vontade de ler o último e não os dois primeiros. kkk
    Ficaria muito feliz em receber sua visita também. Te espero lá no meu blog.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    • Carolina Durães outubro 2, 2015

      Oi Paloma, tudo bem?
      Eu também fico muito irritada com excessos de erros na revisão, mas no geral, é uma série que vale a pena conferir 😉
      Bjkas

  • Any setembro 21, 2015

    Oi, Carol!
    Também nunca joguei o jogo e só tomei conhecimento da existência dele depois que assisti aos filmes, aliás, sou fã dos filmes!!
    Quanto aos livros, gostei da idéia central, e o que mais me agradou foi o primeiro livro: gosto de história com muita ação e charadas; a equipe STARTS parece mesmo de arrasar!! Só acho chato os erros de revisão que cada vez mais encontro nos livros que leio…
    Ps: amei as capas, principalmente a do livro 2.
    Bjos!

    • Carolina Durães outubro 2, 2015

      Oi Any, tudo bem?
      Olha só, eu estou na mesma situação que você. Só havia assistido aos filmes e claro, me apaixonei.
      Os livros são totalmente diferentes das adaptações cinematográficas, mas mesmo assim, bem legais!
      Fui perguntando pro meu irmão durante a leitura se era assim no jogo também rs
      Bjkas

  • Dany setembro 21, 2015

    Só assisti ao filmes mesmo e amo. Mas ainda não tinha dado uma olhada nos livros e pela suas resenhas os livros não chegam a serem tão incríveis mais são legais.,Gosto de zumbis e só por isso já fiquei tentada a ler ele.
    Beijos.

    • Carolina Durães outubro 2, 2015

      Oi Dany, tudo bem?
      Eu também havia assistido apenas aos filmes, por isso resolvi arriscar. Os livros são bem diferentes, mas também prendem a atenção 😉
      Bjkas