28maio2015

[Resenha] Piratas – Karen Alvares (Organizadora)

SinopseVocê já sonhou em navegar pelos sete mares, enfrentando sereias e saqueando tesouros? Ou, quem sabe, você prefira uma dose de rum e um voo em um dirigível? Ou então viajar por mares antigos e misteriosos, vingando seu amor perdido, enfrentando abutres sanguinários, vendendo relíquias não tão preciosas assim? 

Ahoy, leitor, então seja bem-vindo a bordo de Piratas, um navio onde dez grandes autores se reúnem para contar as histórias mais incríveis de todos os mares sobre… piratas, é claro! Içar velas, marujos! Vamos partir rumo à aventura!


“Piratas” é uma antologia com 10 histórias , cada uma escrita por um autor nacional diferente, publicada pela Editora Cata-Vento em 2015. Organizada pela autora Karen Alvares, essa antologia é divertida, dramática, triste, alegre, histórica e moderna. Sim, ela é totalmente contraditória, pois em cada página, mergulhamos em diferentes mares, conhecemos tripulações diferentes e nos apaixonamos perdidamente!
Segue um breve resumo e a impressão que tive com cada uma das histórias:
(1) O tesouro de Nossa Senhora dos Condenados – Claudia Durgim – narrado em terceira pessoa, conhecemos Ogumé e Timbo, dois piratas “aposentados” que passam o dia na Taberna do Capitão Destroços, contando histórias sobre seus dias de glória em troca de alguns trocados. Situada na Cidade do Porto, a taberna se torna o foco central de inúmeros locais e viajantes, que ficam atentos as aventuras apresentadas. Certo dia, essa dupla conta a história de um grande saque, liderado pela pirata Eyre Austen. Uma história deliciosa, repleta de bom humor e aventura!
A autora sobre criar nessas poucas páginas uma história completa, com direito à uma reflexão também sobre a condição humana, representada nos contadores de história. 
(2) Os pilares de Melkart – Ana Lúcia Merege – Narrado em terceira pessoa, temos o capitão Balthazar da Fenícia e seu fiel escravo Lísius embarcando com a tripulação em uma missão para um sacerdote egípcio. Apesar do perigo claro que essa missão representa, Balthazar não hesita em realizá-la, pois irá prejudicar alguém que ele detesta profundamente. Durante a missão, vemos que nem tudo saiu como o planejado e que pode ser dada uma segunda chance a alguns personagens. Será que um recomeço será o suficiente?
Uma história criativa, com um enredo cativante e uma escrita que prende a atenção do leitor.
(3) Vingadora – Paola Siviero – narrado em primeira pessoa pelo Capitão De Merda (Sim, vocês leram corretamente!), conta a história desse capitão, que passou por tantas coisas até chegar em Dunas, a cidade real para saquear. Mas saquear é apenas a ponta do iceberg, pois existem um objetivo bem diferente por trás das intenções desse Capitão.
A autora soube dosar bem a tragédia com a comédia nessa história. Se o nome do protagonista sugere bom humor, sua história de vida desperta simpatia dos leitores e seus objetivos, ainda que errados, geram compreensão. 

(4) Barracuda Negra e a Máquina misteriosa – J. M. Beraldo – narrado em terceira pessoa, acompanhamos a capitã Karyan e seu imediato Uba em um de seus dias “normais” de trabalho, quando se deparam com uma máquina misteriosa. A partir daí, eles recuperam um de seus cativos para embarcar em uma aventura que desvende a função da máquina. O que mais se destacou nessa história foram os peixes. Sim, isso mesmo. Os peixes desse história não são normais, são criaturas/entidades com um papel fundamental a ser desempenhado no enredo. Uma história diferente que desperta o interesse durante a leitura.

(5) #BonnyRead – Fabiana Madruga – narrada em terceira pessoa e com o Rio de Janeiro como cenário, essa história é moderna e fala de três pessoas, unidas pelo esquema de falsificação de bolsas de grife. Laura, Cecília e Jack tem suas vidas misturadas, apesar de origens e intenções diferentes quando ultrapassam a linha de negócios. Uma história interativa, que convida o leitor a conhecer as inúmeras facetas que os personagens mantêm. Moderno, intrigante e com um final incrível. Fabiana Madruga consegue prender o leitor com a sua escrita e com a forma com que desenrola o enredo. A construção das personalidades dos protagonistas é complexa e ao mesmo tempo bem delineada. 

(6) Mais pesado que o ar – Melissa de Sá – narrado em terceira pessoa, acompanhamos a trajetória de Amélia Harship, filha de um milionário, mas que se vê como fugitiva com a morte do pai, pois por não ser casada não tem direito a herança. Em sua fuga ela embarca no dirigível Rainha Vitória, que acaba sendo invadido e saqueado pelos piratas da Irmandade das Agulhas Negras. Fugir ou lutar acaba sendo a escolha de Amélia, que se vê diante de uma escolha que mudará sua vida. A escrita da Melissa de Sá é cativante e a construção da personagem feminina, tão forte e tão frágil ao mesmo tempo, demonstra a habilidade da autora em criar personagens com os quais nos identificamos. 

(7) O tamanho dos sonhos – Sabrina Mota Marcondes – narrado em primeira pessoa, a história fala de Dot, uma jovem (um pouquinho sarcástica), que perdeu sua irmã mais nova Lucy. Tal perda foi tão grande que o seu mundo perdeu o sentido e de alguma forma, ela conseguiu adentrar em um mundo onde é a capitã de um navio, mas o melhor de tudo é que existem forças mágicas que permitem um curto contato com a irmã amada. A história é repleta de aventura, onde temos algumas figuras ilustres, mas também fala de segundas chances e das pequenas alegrias.

(8) Porto Vermelho – Luana Tsuki – narrado em terceira pessoa, acompanhamos a longa jornada de Miguel Ávila como cozinheiro em um navio a caminho das Índias. Tudo o que Miguel quer é estar em uma grande aventura, mas ele não esperava que seu desejo se realizasse quando o navio é saqueado pela Capitã Dulce e sua tripulação. Dizem que a vingança é um prato que se come frio…. Miguel é a prova desse ditado!
Existe alguns elementos sobrenaturais na história que ganham força conforme a trama se desenvolve. Miguel consegue surpreender o leitor com suas inúmeras facetas e transformar a história completamente.

(9) Sinos do Inferno – Albarus Andreos – narrado em primeira pessoa a história deixa claro que nem sempre as boas intenções são recompensadas. Acompanhamos os tripulantes do navio Seláquio e o resgate de seis jovens marujos. Um resgate que mudará tudo!
A criatividade do autor foi o grande destaque na história. A abordagem sobre o tema de pirataria de dados e proteção de informações foi bem trabalhada e original, deixando a história moderna, mas também intrigante, pois trouxe inúmeras reviravoltas. 

(10) Piratas não conhecem o perdão – Karen Alvares –  narrado em primeira pessoa pelo Capitão Thomas Cavendish, a história conta a trajetória amorosa do Capitão, desde o momento em que conheceu a jovem e teimosa Mafalda até o dia em que foi traído. Repleto de magia e aventura, o conto tem todos os elementos para agradar o leitor. Como se isso não bastasse, a autora ainda colocou nomes de personagens e locais apaixonantes, como o imediato, o Sr. Salvatore a o reino de Austengard. “Piratas não conhecem o perdão” é uma história de amor, mas também a história de um Capitão que viveu sem o seu coração!

Em relação à revisão, diagramação e layout a organizadora Karen Alvares realizou um excelente trabalho. Revisão impecável que realmente ressalta o trabalho incrível dessa tripulação!

Vale a pena comentar que estamos participando do Booktour promovido pela autora Karen Alvares!

Edição: 1
Editora: Cata-vento
ISBN: 9788566725643
Ano: 2015
Páginas: 230
Skoob: aqui
Avaliação: 5/5 S2

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Luis Carlos maio 29, 2015

    Gostei bastante do livro, principalmente por conta dos personagens que, por ser diferenciado do que costumamos ver, dão um ar melhor para a leitura! Gostei muito da capa *-*

  • Any maio 29, 2015

    Oi, Carol!
    Curto livros que são formados por várias histórias, nelas você pode encontrar vários estilos em um único livro.
    Das 10 histórias gostei de Mais pesado que o ar e de O tamanho dos sonhos, as histórias parecem bem interessantes, mas de todas a que capiturou minha curiosidade foi Piratas não conhecem o perdão.
    Ps: Bastante inusitado o nome do capitão na história 3, não?!
    Bjos!

  • Joιѕ Duarte maio 29, 2015

    Gostei da resenha, mas não curto histórias curtinhas… sempre tenho a impressão de que faltou algo. Gostei muito de Vingadora e ri com o nome Capitão de Merda hahahahahahaha

  • Ana maio 29, 2015

    Obrigada pela resenha supercompleta! Fico feliz que tenha gostado e deixo meu convite para todo mundo viajar com Lísias e Balthazar!

  • Emanoelle Souza maio 29, 2015

    gostei da resenha, nunca li nada sobre piratas, eles pra mim só no cinema mesmo rsrs, fiquei interessada em ler.

  • Melissa maio 29, 2015

    Obrigada pela resenha. Fico feliz que tenha gostado do meu conto. 🙂

  • BRUNO VALERIO maio 30, 2015

    Gostei muito desta resenha/divulgação. Gostei do livro, vou procurar conhecer mais sobre ele. A ideia do book tour é legal, mas vc não sente vontade de ficar abraçada com o livro e dá um aperto no coração ao levar ele pelo correio não? hehe

  • Suzzy Chiu maio 31, 2015

    Hello!
    Nossa, 10 livros é muita coisa, parabéns para a editora que abraçou a ideia!
    Nao sei se faz meu estilo esse livros, mas fiquei curiosa para saber como seria a escrita de cada autor e se haveria diferenças grandes entre os livros!
    Gostei da resenha, fez um ótimo resumo para o leitor conhecer melhor.
    Bjus

  • Ana maio 31, 2015

    Não são dez livros, é um livro com dez contos! Nossos estilos são muito diferentes, mas todas as histórias estão legais.

  • RUDYNALVA junho 1, 2015

    Carol!
    Gosto de livros de contos e pelo visto foi bem elaborado, com temas diversificados e opiniões bem pessoais.
    “Os homens não desejam aquilo que fazem, mas os objetivos que os levam a fazer aquilo que fazem.”(Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

  • Carol K junho 1, 2015

    Esse livro parece ser ótimo, adorei a dica!! Fiquei impressionada porque ele tem poucas páginas e várias histórias, isso me deixou ainda mais curiosa para ler! haha
    beijinhos :*

  • Karen Alvares junho 1, 2015

    Carol, nem sei o que dizer de uma resenha tão maravilhosa! Não tem como te agradecer por uma leitura tão atenciosa, por comentários tão carinhosos para comigo e com todos os autores da antologia.
    Fiquei muito, muito feliz que curtiu todos os contos e a edição da obra! Suas palavras e sua opinião são sempre muito importantes para mim!
    Muito obrigada, lindona!!!
    Beijos! 😉

  • Camila junho 1, 2015

    Carol,
    Depois de ler sua resenha, estou desejando muito esse livro!
    Adoro livros de contos com um tema único!
    beijos
    Camis – Leitora Compulsiva