31janeiro2015

[Resenha] O Anjo de Hitler – William Osborne

Sinopse: Verão de 1941. A Segunda Guerra Mundial está em curso. Otto e Leni achavam que estavam a salvo na Inglaterra, mas agora o governo britânico os convoca para uma missão ultrassecreta. Enviados além das linhas inimigas, eles devem resgatar uma garota de nove anos que vive em um convento na Alemanha e pode ser a peça-chave para a derrocada de Hitler. Eles embarcarão na maior jornada de suas vidas, repleta de tensão, perigo e aventuras.

Otto e Leni são adolescentes
que fugiram para Inglaterra a fim de ficarem a salvos da guerra, já que ele é
filho de comunistas e ela de uma família judia, alvos da perseguição do partido
nazista. Eles tentam se adaptar ao novo país e a nova língua e um dia são
convocados para uma missão secreta do governo britânico: ir até a Alemanha
resgatar uma garotinha que pode ser o trunfo para que o país e seus aliados
vençam a guerra.
Após passarem por um rápido
treinamento, eles embarcam rumo ao país que eles deixaram para trás. Há muitos
perigos os aguardando e apenas alguns dias para cumprir a missão.
“Leni não ousaria gritar o nome de Otto. Não havia como saber quem poderia estar ali na escuridão. Talvez Otto estivesse morto. Por favor, não esteja morto, ela pensou” p.44

Acho que todo mundo conhece
pelo menos um pouquinho sobre a Segunda Guerra Mundial e seus personagens, entre
eles Hitler, o ditador alemão. E é nesse cenário que a história ocorre,
envolvendo ficção mesclada a acontecimentos reais, uma verdadeira aventura ao
leitor.
É claro que é necessário
relevar algumas coisas, como o fato de duas crianças serem usadas como espiãs
da maneira como Otto e Leni são e até mesmo elementos místicos presentes no
livro, mas nada que atrapalhe a leitura. Inclusive no final, o autor dispõe
algumas notas históricas esclarecendo o que realmente existiu nessa época.
Os capítulos são curtinhos e
empolgantes. Ficamos torcendo para que nada grave aconteça com eles e meu coração ficou na mão em diversas partes. Você
se apega aos personagens, porém não há garantia de um final feliz. O livro possui
muita ação, e tudo é descrito de uma maneira que você consegue construir com
muita clareza a cena na sua cabeça, quase como um filme.
Eu fiquei um pouco
decepcionada com algumas coisas que ficaram em aberto, questões que o autor
colocou durante o livro e até mesmo no final que ficaram sem respostas. Fica a
cargo do leitor imaginar o que pode ter acontecido, o que me incomodou um
pouco.
A capa é muito linda, meu
único problema é o material com que ela é feita, um tipo emborrachado que suja
muito fácil. Então na hora que você vai ler e segura na capa, suas digitais
ficam imediatamente marcadas.

Recomendo o livro para quem gosta do gênero e aos interessados na Segunda Guerra Mundial.
Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ana Paula Barreto janeiro 31, 2015

    Apesar de ter achado meio estranho o fato dos adolescentes serem usados para uma missão tão série, fiquei com a impressão de que a história é bacana. Gosto muito de tramas que envolvem a 2ªGM, mas nunca li nada nesse estilo.
    bjs

  • BRUNO VALERIO janeiro 31, 2015

    Gostei muito da história, e me interessei bastante. Nossa a capa é de emborrachado, deve ser muito bonita, é uma pena que fique a marca dos dedos. Gostei do livro e não entendo bem as 3 estrelas.

  • Larissa Santos janeiro 31, 2015

    Oi Dessa,
    Amo livros que contam histórias de ocorridos na Segunda Guerra, acho que é uma forma de aprendizado. É uma pena que alguns pontos ficaram em aberto, mas as emoções que o livro proporciona, por si só são suficientes para me fazer querer lê-lo.
    Beijocas ^^

  • Karolyne K. janeiro 31, 2015

    Eu gosto bastante de livros que sejam relacionados a segunda guerra, etc.
    Li alguns comentários negativos desse livro, mas ainda tenho muito interesse em lê-lo.

  • Joιѕ Duarte janeiro 31, 2015

    Não entendi essa de usarem dois adolescentes, crianças, como espiões num cenário como o da Segunda Guerra Mundial. Mas até acho que isso deu um tom de leveza na narrativa, temas pesados como Hitler e Segunda Guerra Mundial contados pelos olhos de uma criança.