11Janeiro2015

[Resenha] Doctor Who – 12 Doutores, 12 Histórias

Sinopse“Não é qualquer universo que pode receber 12 visitantes tão ilustres e acolher 12 interpretações tão radicalmente diferentes do mesmo herói. Doctor Who, o fenômeno cultural britânico que conquistou o mundo, a série de ficção científica mais antiga da televisão, conta as aventuras do Doutor, um alienígena de aparência humana que trafega livremente pelo tempo e o espaço. Fascinado pelo planeta Terra e a humanidade, o Doutor está sempre acompanhado de um terráqueo enquanto viaja na sua nave, a TARDIS, por todos os cantos do universo e da história. Para celebrar os 50 anos da série, completados em 2013, 12 dos maiores nomes da literatura fantástica da atualidade entre eles Eoin Colfer, Marcus Sedgwick, Philip Reeve, Richelle Mead, Neil Gaiman e Holly Black homenageiam o personagem com histórias inéditas na aguardada coletânea Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias.Em 51 anos de TV, o Doutor foi interpretado por 12 atores diferentes, cada um deles uma encarnação diferente do personagem, com personalidades e trejeitos diferentes. As muitas faces do Doutor e suas jornadas infinitas ofereceram aos criadores da série a liberdade de explorar não só as galáxias e profundezas do tempo, mas também temas que vão do lírico ao terror, numa verdadeira investigação do coração e da mente do ser humano. É essa mesma liberdade de imaginação que agora vemos nas mãos de 12 dos autores de ficção mais queridos da atualidade, que foram conquistados pelas peripécias do Doutor, alguns desde que eram crianças, e que agora compartilham com os fãs dele e seus próprios leitores 12 visões muito particulares do personagem mais cativante deste lado da galáxia. Lançada pela BBC britânica em 1963 e exibida em mais de 60 países, a série Doctor Who segue arrebatando novos fãs a cada dia e inspirando autores de fantasia e ficção científica de todo o mundo. As histórias reunidas na coletânea Doctor Who: 12 doutores, 12 histórias também estão disponíveis individualmente em e-book.”

Minha opinião – “12 Doutores, 12 histórias” é um livro para os fãs de Doctor Who, mas também é uma ótima indicação para aqueles leitores que não conhecem nada sobre a série. Com 12 histórias curtinhas, que podem ser lidas de forma aleatórias (são todas independentes umas das outras) e contadas por 12 autores consagrados, torna-se impossível não se apaixonar por esses doutores que viajam no tempo e na maionese.

* O Primeiro Doutor: uma mãozinha para o Doutor por Eoin Coffer – o título dessa história é bem explicativo. Enquanto o Doutor está tentando arranjar uma nova mão com Aldridge, um cirurgião xing bem espertinho, ele precisa resgatar sua neta Susan dos Piratas de Almas e lutar novamente com Igby, um pirata realmente insistente.

“Os Piratas de Almas eram criaturas abomináveis: uma mistura de escória das espécies humanoides do universo, com apenas duas coisas em comum. Uma, como mencionado, era que eles tinham aparência quase humana; a outra era que eles não se importavam nem um pouco com a vida dos outros”. (p. 16)

Apesar de não ser a minha história favorita no livro, temos todas as características que rodeiam as histórias do Doctor Who: os diálogos confusos, o bom humor e um final estratégico.

* O Segundo Doutor: A cidade sem nome por Michael Scott – A história começa em Londres, no ano de 1968, onde o jovem escocês Jamie McCrimmon heroicamente salva o professor Thascalos de um assalto. Jamie, o Doutor e Polly (a companheira do Doutor) acabam tendo problemas na TARDIS e acabam indo parar em um lugar chamado Grande Desolação.
Uma história com direito a muitas aventuras, criaturas e muito humor!

“…. Parece ser bem antigo, pelo que me contaram.- Um pouco como eu – disse o Doutor, sorrindo. – Envelhecido, como um bom vinho.- Ou um queijo mofado….” (p. 52)


* O Terceiro Doutor: A lança do destino por Marcus Sedwick – A história começa em Londres no ano de 1973 e o Doutor encontra-se exilado na Terra pelo Alto Conselho dos Senhores do Tempo. Graças a um nexo físico -temporal somos transportados juntos com o Doutor e a Jo Grant para a época dos vikings e iremos descobrir que não são apenas humanos que estão em uma grande batalha…

* O Quarto Doutor: As raízes do Mal por Philip Reeve – Nessa história, o Doutor e a Leila (uma amazona de Sevattem) vão parar em uma Estrutura Heligan, uma árvore que serve de moradia para o povo da Terra no século XXIV. Com a ajuda de Veen, um garoto de 15 anos de idade, os dois terão que descobrir porque a árvore quer se vingar do Doutor!

* O Quinto Doutor: Na ponta da língua por Patrick Ness – O Doutor e Nyssa vão para o Maine no ano de 1945. Com Hitler em plena atividade na Europa, nessa pacata cidadezinha existe um dispositivo que está fazendo muito sucesso: o contador da verdade. E com sucesso, quero dizer caos.
Jonny e Nettie, dois jovens de 14 anos de idade irão nos mostrar que as vezes a verdade não é a melhor opção!

“O homem conduzia o que aparentava ser duas ovelhas que andavam eretas e eram bastante altas. Mas eram ovelhas com rostos de uma espécie de peixe gigante. Mas também misturados com um esquilo. E uma abóbora” . (p. 189)


* O Sexto Doutor: Algo emprestado por Richelle Mead – Diferentemente das histórias contadas até o momento, essa é narrada em primeira pessoa pela perspectiva da companheira do Doutor, Peri Brown.
Os dois vão investigar um ataque de pterodátilos em miniaturas que está acontecendo entre a população de Koturianos, ao mesmo tempo em que vão presenciar o casamento d filho do Lorde Makshi, Jonos. Muita confusão e o ressurgimento de um arqui-inimigo irão marcar a história de Richelle Mead.


* O Sétimo Doutor: O efeito de propagação por Malorie Blackman – Presos em um Plexo Temporal no espaço há mais de uma semana, o Doutor e Ace irão tomar uma atitude que mudará completamente a realidade existente. Nessa história, iremos até a Academia em Skaro, e veremos que os Daleks não estão agindo da forma esperada.

* O Oitavo Doutor: Esporo por Alex Scarrow – O Fort Casey localizado no deserto de Nevada nos EUA foi contaminado e cabe ao Doutor e a capitã Evelyn Chan encontrar uma maneira de evitar que o Esporo se propague por toda a Terra.

* O Nono Doutor: A Besta da Babilônia por Charlie Higson – O Doutor e Ali, uma adolescente do planeta Karkino tem um terrível encontro com Starman. A história tem a participação especial de Zábia, o sumo sacerdote de Marduk, o rei Hammurabi e o capitão da guarda real Gurgurum. A lição dessa história? Não se meta com Ali!

* O Décimo Doutor: O mistério da cabana assombrada por Derek Landy – O Doutor e sua companheira Martha Jones encontram-se presos em uma história contada em livros. Como será que eles conseguirão escapar?

“Os Encrenqueiros – repetiu o Doutor – Uma série de 32 livros infantis escritos por Annete Billingsley ao longo de quinze anos, começando em 1951. Não, nunca li. Eram horríveis. Cópias malfeitas do Grupo dos Cinco e da Turma dos Sete. Ah, Enid Blyton. Eu a conheci, sabia? Mulher estranha, com orelhas esquisitas.” (p. 361)


* O Décimo Primeiro Doutor: Hora Nenhuma por Neil Gaiman – Essa foi a história que eu mais gostei do livro. O ano é 1984 e o esperto Kin consegue dar um golpe surpreendente para conquistar a Terra. Cabe ao Doutor e a Amy Pound impedi-lo. 

“Ele conseguia sentir as linhas do tempo se emaranhando e reemaranhando. O tempo é algo complexo: nem tudo o que aconteceu, de fato aconteceu. Só os Senhores do Tempo entendiam isso e, mesmo assim, consideravam esse conceito impossível de descrever.” (p. 441)


* O Décimo Segundo Doutor: Luzes apagadas por Holly Black – essa é a segunda história narrada em primeira pessoa e também minha segunda história favorita. A perspectiva da história é dada pelo personagem 78351 na Estação Espacial, onde um crime ocorre. Cabe ao Doutor descobrir o culpado. Apesar do clima investigativo da história, ela também tem um lado triste e emocional que acaba despertando a atenção do leitor.

“- Gosto de alguma coisa em você. Além disso, você me conheceu antes,  o que com certeza diz muito a respeito das companhias com quem anda. Então tem que ser meu companheiro até resolvermos este mistério”. (p. 452)

Doze histórias fantásticas que merecem ser lidas e relidas. O trabalho gráfico da editora está incrível, assim como a sua revisão.
Internamente temos uma página com doze silhuetas de doze Doutores diferentes. Cada história tem uma capa onde uma dessas silhuetas é estampada. A capa é espetacular: a cor, a TARDIS e o material com que foi confeccionado combinam perfeitamente.

Fonte: clique aqui

Edição: 1
Editora: Rocco
ISBN: 9788568263044
Ano: 2014
Páginas: 480
Tradutor: Vários Tradutores
Skoob: clique aqui
Avaliação: 5/5

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ana Paula Barreto Janeiro 11, 2015

    Não vi nadinha da série, mas realmente tenho vontade. Então esse livro seria uma boa "introdução" e uma prévia do que terei pela frente. rs
    Dica anotadíssima.
    bjs

    • carolinaduraes Janeiro 12, 2015

      Oi Ana Paula, tudo bem?
      Realmente esse livro é uma ótima indicação. Além de ser uma prévia também nos dá a oportunidade de conhecer o estilo de diversos autores 😉
      Bjkas

  • Camila - Leitora Compulsiva Janeiro 12, 2015

    Oi Carol,
    Tenho a maior vontade de ler sobre Doctor Who e acho que esse é um ótimo livro para começar!
    Vou procurar por ele e ver se encontro uma boa promoção!
    Beijos
    Camis

    • carolinaduraes Janeiro 12, 2015

      Oi Camila, tudo bem?
      Acredito que você irá gostar bastante desse livro. Ele tem a essência do Doctor Who, mas cada história é tem uma escrita diferente.
      Obrigada pelo comentário.
      Bjkas

  • Larissa Santos Janeiro 15, 2015

    Oi Carol,
    Até hoje não li nenhum livro sobre Doctor Who O.o mas como apaixonada por boas histórias, quero me encantar com esse livro, achei simplesmente incrível e sendo histórias independentes dá para ler em qualquer lugar e qualquer hora.
    Beijocas ^^

    • Carolina Duraes Fevereiro 1, 2015

      Oi Larissa, tudo bem?
      Acho que é uma ótima pedida principalmente se você ainda não leu nada da série.
      Bjkas

  • Joιѕ Duarte Janeiro 22, 2015

    Eu sou aquele leitor que não conhece nadinha da série. Mas sou aquela que sempre dá prioridade ao seriado qdo ele é uma adaptação.

    • Carolina Duraes Fevereiro 1, 2015

      Oi Jois, tudo bem?
      Esse livro é bom por ter histórias curtinhas. Então se você se interessar em ler algo sobre o assunto, comece por ele.
      Bjkas

  • BRUNO VALERIO Janeiro 24, 2015

    Oi Carol, não vejo a série mais este livro me deixou bastante animado (sei que disse que não vai ser tão bom para quem não vê a série) já até vi o preço na saraiva.

    • Carolina Duraes Fevereiro 1, 2015

      OI Bruno, tudo bem?
      Espero que leia e venha nos contar o que achou. Sou um pouco suspeita para comentar, por sou apaixonada por Doctor Who rs, mas espero que goste das histórias.
      Bjkas

  • Karolyne K. Janeiro 31, 2015

    Ahhhh esse livro é tão caprichado! Uma fofura.
    E os fãs estão elogiando bastante, então fiquei interessada! Mas quero assistir toda a série primeiro.