29setembro2014

[Resenha]: “Uma Razão Para Respirar” – Trilogia Breathing – Livro 01 – Rebecca Donovan

Sinopse – “Na cidade de Weslyn, Connecticut, onde a maioria das pessoas se preocupa em ver e ser vista, Emma Thomas preferia não ser percebida de forma alguma. Ela está mais preocupada em fingir perfeição enquanto puxa as mangas da blusa para baixo para esconder as marcas roxas, não querendo que ninguém perceba quão longe da perfeição ela realmente está. Sem esperar, ela encontra o amor. O amor a desafia a reconhecer seu valor, mas correndo o risco de revelar o terrível segredo que esconde. O livro “Uma razão para respirar” é eletrizante da primeira à última página; uma história ímpar sobre mudança, crueldade inesperada e uma garota se agarrando à frágil esperança. Uma Razão para respirar não é só um romance é um livro que aborda a violência doméstica e todos os dilemas que as crianças e adolescentes que passam por isso precisam enfrentar. A personagem principal vive esta realidade e tenta tornar-se invisível para que as pessoas a sua volta não a percebam. E por meio da amizade e amor ela tenta superar cada dia doloroso até que consiga escapar desta rotina. Uma história forte, emocionante, dura, real, meiga, triste e doce ao mesmo tempo, que vai mexer com os sentimentos do leitor. Uma leitura envolvente do inicio ao fim”.
Minha opinião – A trilogia Breathing aborda um tema muito complexo e difícil de expor: a violência doméstica. Diariamente somos testemunhas de inúmeros casos denunciados, mas na maior parte das vezes esquecemos que para cada pessoa que denuncia, existem centenas que permanecem anônimas, sofrendo em silêncio. E é exatamente isso o que acontece com a protagonista de “Uma razão para respirar”. Emma é uma adolescente que vive com os tios. Seu pai faleceu e a sua mãe a abandonou e a jovem não tem escolha a não ser morar com o irmão de seu pai, sua esposa e seus dois filhos pequenos. 
O que na superfície parece ser uma vida normal e até mesmo alegre, não passa de um pesadelo sem fim. Carol, a esposa de seu tio, é uma mulher extremamente desequilibrada que a agride constantemente, tanto fisicamente quanto verbalmente.
O livro não é uma leitura fácil. Existem inúmeras descrições da violência, como também do medo em que Emma vive. Ela está sempre alerta dentro de casa, com medo de fazer algum barulho, falar algo ou simplesmente respirar. Qualquer coisa pode desencadear um ataque horrível.
A única saída de Emma é a escola. Ela não faz amizades e nem ao menos conversa com os outros. Tirar boas notas e conseguir uma bolsa de estudos para a Universidade é sua única saída. Ela tem apenas uma amiga, Sara, que realmente é um amor e tenta ajudá-la, mesmo diante de suas recusas. 
A vida de Emma começa a mudar quando um novo aluno, Evan, insiste em conversar com ela e a protagonista deixa as suas muralhas emocionais enfraquecidas.
Emma é uma personagem forte mas ao mesmo tempo frágil. Sua preocupação não é com a sua própria segurança, mas sim com o futuro de seus dois priminhos e no impacto que uma denúncia teria na vida deles. 
Evan é fofo. Não existe uma palavra melhor para descrevê-lo. A sua preocupação com Emma, a maneira como ele vai conquistando não apenas a confiança dela, mas também da Sara (que é extremamente protetora), o jeito como ele consegue arrancar sorrisos. Um personagem maravilhoso.
A escrita da Rebecca Donovan é arrebatadora. As descrições são muito bem elaboradas e existem momentos em que a carga emocional da cena é tão forte que é necessário realizar uma pausa.
A história é triste e emocionante, principalmente se formos refletir sobre quantas pessoas não passam pela mesma situação. O final do livro é simplesmente chocante e desesperador.
“A culpa abriu a porta naquela noite e eu nunca seria o suficiente para merecer seu perdão pelo que eles nunca desejaram. Então, aprendi a arte da evasão e da superocupação. Não tão habilmente como eu gostaria, já que Carol estava sempre à espreita para me lembrar da minha falta de  valor a toda oportunidade”. (pág.47)
Faço uma pequena observação, parabenizando a Editora Pandorga pela campanha realizada nas redes sociais. Deixo algumas das imagens que foram utilizadas e reforço a necessidade de denunciarmos a violência 😉

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Estante Diagonal setembro 30, 2014

    Uau, primeiramente que capa linda! eu adoro o gênero, ainda mais quando carrega uma carga emocional densa! Fiquei bem interessada, não conhecia o livro, e ao ler sua resenha já adorei! Vou ir atrás!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

  • Bianca Martins setembro 30, 2014

    Realmente o tema é mto forte! Mas acredito q esses temas devem msmo ser abordados p qm sofre com este tipo de violência saber q há uma forma de se defender.
    Gostei da campanha.
    Não gostei mto da capa, talvez ela tenha a ver com o enredo mas ainda n sei…=/

  • Dilza Sousa setembro 30, 2014

    Carol, que bom que li sua resenha!!! Jurava que essa série era só mais um new-adult clichê, pois pela capa essa é a impressão.
    Muito interessante tratar da violência doméstica nesse livro, gosto desse tipo de tema.
    Ansiosa pra conferir essa escrita arrebatadora!
    Parece ser mesmo bem triste, pois ficamos pensando que muitos passam por essa situação.
    Amei a resenha! Bjs <3

  • Lissandro Lima setembro 30, 2014

    O livro já me ganhou com a sinopse! E a resenha me convenceu de vez! A capa está linda.
    Entrou na meta de leitura e lista de desejados!

  • Neny setembro 30, 2014

    A sinopse do livro ja é arrebatadora e depois dessa resenha minha ansiedade para poder le lo é grande.
    Realmente é um tema complicado o tratado no livro, pois muiiiitas pessoas passam ou passaram por ele, fora que capa mais linda.
    pretendo ler logo, beijos.

  • Maria Clara Bruno outubro 1, 2014

    Adorei sua resenha! 😀

    Um beijo,
    @wordsbymacaia
    http://www.coffeesandbooks.com