06Abril2014

[Resenha] 12 Anos de Escravidão – Solomon Northup

Sinopse – “O livro que deu origem ao filme vencedor do 71º Globo de Ouro e indicado para o Oscar 2014 em 9 categorias, publicado pela editora Seoman. 12 Anos de Escravidão é um livro de memórias angustiantes sobre um dos períodos mais sombrios da história norte-americana. Ele relata como Solomon Northup, nascido um homem livre em Nova York, foi atraído para Washington, D.C., em 1841, com a promessa de um emprego, e então drogado, espancado e vendido como escravo. Ele passou os doze anos seguintes de sua vida em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão em Louisiana. Após seu resgate, Northup escreveu este registro excepcionalmente vívido e detalhado da vida escrava. Tornou-se um sucesso imediato e, hoje, é reconhecido por sua visão incomum e eloquência, como um dos poucos retratos realmente fiéis da escravidão americana, redigido por alguém tão culto quanto Solomon Northup — uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo. Nas telinhas do Cinema, Solomon Northup foi interpretado pelo ator Chiwetel Ejiofor e Brad Pitt interpretou o abolicionista canadense que ajudou Solomon a reconquistar sua liberdade, além de ser o produtor do filme. Um relato surpreendente de um importante período, que conta em detalhes históricos, os perigos, os horrores e humanidade da vida de um grande número de escravos. Uma peça inestimável da História: as memórias de Solomon Northup”.

Minha opinião – Livros que são biografias são difíceis de avaliar pois não se trata de um faz de conta que podemos guardar na memória quando terminamos a leitura. São histórias de pessoas que passaram por situações, em sua maioria das vezes, difíceis e nem sempre tem o desejado “final feliz”, pois a vida não termina de um modo justo para todos. “12 anos de escravidão” é um relato extremamente doloroso e ao mesmo tempo emocionante. Por um lado mostra o pior lado da humanidade, as crueldades, os maus tratos, a dor, a perda, mas também mostra a esperança, a fé que ainda mantemos pois conhecemos pessoas que possuem uma luz própria e se esforçam ao máximo para propagá-la.

O livro é dividido em 22 capítulos e narrado em primeira pessoa pelo próprio Solomon e suas memórias de sua vida antes, durante e depois desses 12 anos terríveis. Solomon era uma homem livre até os seus 30 anos de idade. Seu pai, Minuts Northup era um bom homem, justo e tentava ao máximo fornecer tudo o que os filhos precisavam. Solomon quando jovem tocava violino e gostava de ler. Tinha uma vida repleta de trabalho árduo, mas honesta. Aos 21 anos, no dia de natal de 1829, casou-se com Anne Hampton e mudaram-se alguns anos depois para Saratoga Springs para tentar uma vida melhor. Já no ano de 1841 era pai de três crianças: Elizabeth, a mais velha com 10 anos de idade, Margareth, com 8 e Alonzo com cinco anos de idade.

A necessidade de procurar dar uma vida melhor aos filhos acabou levando Solomon ao encontro de Merril Brown e Abram Hamilton e partir desse instante a sua vida nunca mais seria a mesma.

O livro é emocionante. Existem momentos que é doloroso apenas ler as descrições de Solomon sobre determinados acontecimentos. Em outros, o leitor recebe um pequeno facho de esperança.

“Ai de mim! Até então, eu ainda não conhecera a medida da “desumanidade do homem para com os seres humanos”; nem tampouco, a ilimitada extensão da maldade de que ele é capaz, por amor ao lucro”. (p. 32)

Uma obra que mostra um homem forte, cujo espírito não foi quebrado não importando quantas vezes algumas pessoas tentassem.

Em relação à revisão, diagramação e layout a editora realizou um ótimo trabalho.

“Mais uma vez, assegurei-o de que eu era um homem livre, e insisti para que ele me livrasse daquelas correntes imediatamente. Ele tentou calar-me, como se temesse que minha voz pudesse ser entreouvida”. (p. 29)

Seguem algumas ilustrações presentes no livro:

Edição: 1
Editora: Seoman
ISBN: 98798903682
Ano: 2014
Páginas: 232
Tradutor: Drago
Minha avaliação: 5/5
Skoob: Clique aqui

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Danielle Casquet Abril 8, 2014

    Oi Carol, logo que li o titulo já senti o peso que a leitura desse livro tem, ainda mais biográfico que conta a realidade, eu tenho certa dificuldade para ler esse gênero até por que ela é em primeira pessoa, sem ajuda do narrador, e para entender o pensamento é mais lento para mim. Mas é um livro que leria sim!
    bjkas
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

    • carolinaduraes Abril 11, 2014

      Oi Dani, tudo bem?
      É um livro extremamente emocionante. Em certos instantes eu simplesmente não consegui parar de chorar…
      Bjkas

  • Camila Abril 24, 2014

    Oi, Carol.
    Eu tenho muita dificuldade de ler livros biográficos.
    Não sei porque, mas sempre sofro mais quando sei que as coisas realmente aconteceram. Consigo lidar muito melhor com os dramas ficcionais! rs…
    Beijos
    Camis – Leitora Compulsiva