09fevereiro2013

Barba ensopada de sangue – Daniel Galera

Classificação
 Sinopse:
Um professor de educação física busca refúgio em Garopaba, um pequeno
balneário de Santa Catarina, após a morte do pai. O protagonista (cujo
nome não se conhece) se afasta da relação conturbada com os outros
membros da família e mergulha em um isolamento geográfico e psicológico.
Ao mesmo tempo, ele empreende a busca pela verdade no caso da morte do
avô, Gaudério, que teria sido assassinado décadas antes na mesma
Garopaba, na época apenas uma vila de pescadores. Sempre acompanhado por
Beta, cadela do falecido pai, o professor mergulha na investigação
sobre o misterioso Gaudério, esquadrinhando as lacunas do pouco que lhe é
revelado, a contragosto, pelos moradores mais antigos da cidade.
Portador de uma condição neurológica congênita que o obriga a interagir
com as outras pessoas de um modo peculiar, o professor estabelece
relações com alguns moradores – uma garçonete e seu filho pequeno, os
alunos da natação, um budista histriônico, a secretária de uma agência
turística de passeios. Aos poucos, ele vai reunindo as peças que talvez
lhe permitirão entender melhor a própria história. É também com lacunas e
peças aparentemente díspares que Galera constrói sua narrativa
alternando descrições sutis e detalhamento com diálogos ágeis e de rara
verossimilhança, que dão vida a um elenco de personagens. ‘Barba
Ensopada de Sangue’ se propõe a resgatar e levar às últimas
consequências temas e conflitos das obras anteriores do autor tais como –
a construção da identidade e, nesse processo, as dificuldades que se
enfrenta para entender e reconhecer os outros; a necessidade inconfessa
de uma reparação talvez inviável; a busca pela unidade entre mente e
corpo; o consolo afetivo que o contato com a natureza e os animais é
capaz de proporcionar; os diversos tipos de violência que podem irromper
em meio a uma existência domesticada.

 Sei que não irei fazer uma resenha adequada a este livro, pois foi uma
leitura diferente. Não esperava tamanho impacto que a história fosse me
causar. Confesso que fui um pouco ignorante em pensar que pelo título, o
livro se tratava de um assasino, ou de assasinatos. A verdade é que ele
trata de um jovem que ouve uma história curiosa e cheia de fatos não
esclarecidos de como seu avó morreu.

Com a morte do pai, o
protagonista vai até Garopaba tentar saber como o avô morrera. E é lá
que se passa a história. A chegada de nosso personagem, as dificuldades em
se adaptar naquela cidade e como ganhar a confiança daquelas pessoas de
que não são apenas mais turistas que resolveram prolongar as férias.

O
desenrolar da história acontece de uma maneira calma, a narrativa não se apressou e
isso torna a leitura prazerosa. A maneira que o autor retratou a
história é diferente. O linguajar, as descrições… tudo isso me
fascinou muito na narrativa do Galera.

Cada fato narrado não
pôde passar despercebido, pois todos giram em torno da trama, temos que
pegar os fios soltos e junta-los para realmente compreender a
grandiosidade do livro. A natureza humana não é tão simples quanto
parece, e sim perigosa.

Este foi o primeiro livro que leio do
Daniel Galera e espero ler outros deste autor. Apesar da história ser
muito profunda e a trama ser original, não gostei do final. Eu o
entendi, fiquei com um sorriso após ler o livro, mas senti que o final
não foi adequado e poderia ter sido mais elaborado.

 

 

Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Aline T.K.M. fevereiro 9, 2013

    Eu simplesmente pirei com a escrita do Galera, achei o livro excelente não apenas pelo enredo, mas principalmente pela forma como foi contado e pela maneira profunda de nos mostrar o protagonista. Sabe que eu gostei bastante do final. Em algum momento eu confesso que esperei uma grande reviravolta, mas ao chegar no fim, de fato, concluí que o final foi bastante adequado. Gostei muito.

    Bjs
    Livro Lab

  • Danielle CGA Souza fevereiro 10, 2013

    Não conheço o autor mas o livro anterior dele me interessou por conta de resenhas. Este o título instigou, mas não tanto qt. Percebi q é um tipo de leitura singular, ou agrada mesmo ou desgosta.
    Gostei da resenha.

  • José Almeida Júnior fevereiro 12, 2013

    Parabéns pela resenha. Em breve, pretendo lê-lo. Abs

  • Carolina Durães fevereiro 13, 2013

    Oi Lipe, tudo bem com você?
    Não conhecia o livro nem o autor e achei a sua resenha muito interessante.
    Anotei já o nome na minha listinha rs
    Beijos