16fevereiro2013

Abaixo das Nuvens – Lucas M. Carvalho

Classificação

 Sinopse:  
Estamos no ano de 2064. O mundo já não é o mesmo, nem o governo, nem a geografia. Mas a sociedade, essa sim talvez ainda seja igual à de hoje. As pessoas agora vivem isoladas em seus apartamentos, dentro de torres enormes; ninguém sai do seu, pois não precisa, nem quer, nem pode. A vida se passa no plano virtual: cada usuário pode assumir a forma de diversos avatares, então trabalhar, estudar, se divertir, interagir, produzir, consumir, tudo dentro de um gigantesco e complexo simulador eletrônico. Não há mais relações entre pessoas, apenas entre imagens. Mas os usuários estão bem felizes com sua vida, afinal, fazem tudo o que querem; mesmo sem se conhecerem de verdade, sem saber quem é quem, ou quem é o dono do quê. Aqui serão registradas memórias de um homem que conhece de perto o funcionamento do sistema. Não só isso. Nunca só isso… 


Usuário nº 097033. É por essa identificação que conhecemos o personagem que através de suas experiências, nos conta o que aconteceu no futuro. Toda humanidade conectada, vivendo e se satisfazendo de todas as maneiras que quer, ou melhor, de todas as maneiras que seus créditos permitem. Você trabalha, namora, casa-se, têm filhos e tudo o que se faz, ou fazia na vida real, pois o criador dos avatares na realidade se encontra clausulado em um pequeno apartamento, um cubículo, mas especificamente. Não há nenhum tipo de contato humano fora do mundo virtual, nenhum tipo de relação, ou mesmo família. Uma grande corporação controla tudo e todos e a partir do momento em que você não é mais necessário, não dá lucro a ela, é descartado. E é nessa situação que o usuário se encontra quando percebe que nada do acreditava era real e que ele ainda não conhecia nada do mundo. Todos só mostram um lado, mas há a pobreza, miséria, falta de saneamento e de qualquer estrutura. Um lugar onde ninguém está a salvo e seguro, não há leis, apenas a da sobrevivência do mais forte, ou do mais esperto.

“Nossa covardia é que queremos distância de tudo o que nos é estranho, pois mais cômodo é não vermos para não ter que nos importunar.”

Lembro-me da primeira vez que li um livro distópico, foi o “1989”, de George Orwell.  Fiquei muito chocada com tudo o que autor escreveu, pois ele te leva a pensar e questionar o que antes não percebia que acontecia. Muitas vezes nem damos conta das imposições que nos são colocadas, apenas nos adaptamos conforme mandado. A sutil manipulação que sofremos no dia-a-dia é constante e pode vir de muitos lados. 

“Abaixo das Nuvens” foi uma feliz surpresa, pois conseguiu atender e superar minhas expectativas. Eu tinha acabado de ler a trilogia de “Jogos Vorazes” e quis emendar a leitura, já que eu estava nesse clima.  O livro consegue te prender do inicio ao fim, pois você quer respostas, quer saber como tudo vai terminar. Ele é em primeira pessoa e com isso, acompanhamos todo o desenvolvimento do personagem. Suas ideias, reflexões e revoltas nos tornam muito mais próximo dele, fazendo com que cada problema, dor e falta de perspectiva nos leve a sofrer junto. Deu para perceber que a leitura realmente é intensa.

Quando eu recebi o livro, pensei que as 200 páginas seriam poucas pela proposta da sinopse, que não daria “tempo” para explicar tudo, sem deixar pontas soltas, deixando perguntas sem respostas. Mas isso não ocorreu. A capa também é incrível. Parece um pôster de filme de ação, com todos os elementos dela casando com a estória, combinou bastante. Recomendo.

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Carolina Durães fevereiro 16, 2013

    Bom dia Dessa, tudo bem?
    Primeiramente, parabéns pela resenha!
    Achei o livro bem interessante e já o coloquei na minha listinha de desejados!
    Beijos

  • Márcia Desirée fevereiro 16, 2013

    Oi Dessa,

    Quando eu leio este tipo de literatura confesso que me dá uma agonia. Pensar em uma possível não existência, no caos, na extinção da humanidade é desolador, mas penso que também é uma forma de se repensar as atitudes.
    Beijos!
    Márcia Desirée
    http://www.tesouroliterario.com/

  • Camila fevereiro 17, 2013

    Olá, Dessa!!
    Parabéns pela resenha.
    Achei a história bem interessante e fiquei curiosa.
    Será o que o livro é vendido em e-book?!
    Beijos
    Camis – Leitora Compulsiva

  • Anônimo fevereiro 28, 2013

    Sucesso ao autor, espero que ele não seja parte disso: http://litfanbr.blogspot.com.br/2013/02/editora-sob-demanda-maldicao-literaria.html