31outubro2011

Viaje Entrevista – Roque Neto

Olá viajantes!
Hoje trago um bate papo especial com Roque Neto, autor do livro “Porque eu amei” lançado pela Editora Dracaena. Confira na íntegra:

Entrevista com Roque Neto

    Há três anos ele mora fora na Califórnia, onde passa a maior parte do tempo dividido entre laboratórios e salas de aula. Mesmo assim, um ano depois de lançar “Narciso: Tédio e Fúria”, Roque Neto está de volta com PORQUE EU AMEI. O livro, lançado pela Editora Dracaena, já se encontra nas livrarias.
    Confira a entrevista com Roque Neto.

VnL: Os lugares onde se passam as histórias que você escreve parecem ser essenciais nos seus livros. Primeiro você usou sua cidade natal como cenário de “Narciso: Tédio e Fúria”, agora parte de PORQUE EU AMEI se passa no interior de Pernambuco. Existe algum motivo especial para estas escolhas? 
RN: Em “Narciso: Tédio e Fúria” fiz uma homenagem a Esperantina/PI. Nasci e morei lá até os 13 anos. Mesmo depois de tanto tempo, é para Esperantina que volto todos os anos para descansar, recarregar minhas energias e partilhar um pouco do que tenho e sou. Já Condado/PE, que é a cidade natal do protagonista de PORQUE QUE AMEI, é um lugar onde nunca estive. Foi um desafio!
Ao incluir cidades do interior, quero posicionar a literatura brasileira em outro roteiro que não seja o das capitais apenas. Há tantos lugares fantásticos no Brasil que ainda não conhecemos.

VnL: Em PORQUE EU AMEI, mais uma vez você presenteia o leitor com temas polêmicos: homofobia, corrupção, infidelidade… Qual sua intenção? 
RN: Meu primeiro objetivo é prender a atenção de meus leitores. A partir deste momento, quero que percebam que aquilo que está no livro pode estar acontecendo ao redor deles. E assim, levá-los à reflexão. Desta vez quis apresentar algumas das situações pelas quais um homossexual passa: a pressão da família, a necessidade de se esconder e também uma situação romântica que desestabiliza as crenças e atitudes do protagonista, o padre José Lucas.

VnL: Falando nisto, por que situar pela segunda vez sua história em um ambiente religioso da Igreja Católica? 
RN: Porque sou católico e o conhecimento que tenho da Igreja me permite criar situações críveis. Além disto, a Igreja Católica está tão presente no imaginário brasileiro que qualquer pessoa, mesmo que seja de outra religião ou ateia, consegue facilmente entender os símbolos da Igreja, o que facilita a compreensão da história.

VnL: E como surgiu a história de José Lucas? De onde veio a inspiração? 
RN: Geralmente minha inspiração para escrever vem de músicas. No caso específico de PORQUE EU AMEI, o que me inspirou foi um trabalho para a faculdade. Tive que entrevistar alguns casais homossexuais sobre o modo como lidam com a violência e o preconceito.
Entrevistei cinco casais masculinos e três casais femininos, e fiquei impressionado com a quantidade de barreiras que estas pessoas enfrentam todos os dias. Talvez o mais pesado seja a rejeição da família. Algumas famílias são acolhedoras, outras apenas se desligam, como se aquela pessoa deixasse de existir.
Um dos casais femininos levantou o problema da religião, já que ambas foram criadas católicas e durante muito tempo participaram ativamente da vida da paróquia. Conciliar a orientação sexual com a religião na qual foram educadas tem sido um desafio para elas, ainda mais agora que adotaram uma criança e desejam batizá-la.

VnL: O prefácio de PORQUE EU AMEI foi escrito pelo autor Lev Raphael, que é bem conhecido em vários países. Como surgiu a parceria com ele? 
RN: A parceria com Lev Raphael foi possível graças à simplicidade e abertura dele. Enquanto eu morava no Brasil, li dois dos livros dele. Depois que fui morar nos Estados Unidos, procurei me conectar com escritores.
Apesar de não saber exatamente quem eu era, Lev teve a gentileza de me convidar para almoçar. Pensava que nos encontraríamos em um restaurante, mas fiquei surpreso quando ele me disse que seria na casa dele. Tremi nos primeiros instantes. Naquela ocasião, contei sobre o livro que estava revisando. Um tempo depois, surgiu a ideia e ao fazer o convite, ele aceitou imediatamente.
Lev Raphael é um dos meus escritores favoritos. Espero poder trabalhar com ele em outro projeto.

VnL:
Até agora falamos de sua obra, agora me fale de você. 
Um sonho: queria que todas as pessoas pudessem sentir o prazer de ler. Muitos adultos ainda são analfabetos. 
Um ídolo: Erico Veríssimo. 
Um lugar: a casa da minha avó. 
Se você não fosse escritor, seria: animador de trio elétrico. Juro! Se tivesse talento musical em fevereiro estaria em Salvador. 
Quando escrevo, eu: preciso de um lugar silencioso. 
E para terminar, uma pessoa: Bom, são três. Meus sobrinhos. Faço qualquer coisa por eles.

Agradecemos grandemente ao autor, pela generosidade e amabilidade de sempre. Essa entrevista foi muito especial e destacou as potencialidades e as peculariedades do autor. Confira a capa do seu mais novo lançamento e adquira já o seu nas melhores livrarias ou lojas on-line do país:

Visite: http://www.roqueneto.com.br/
Categorias:Outros
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Talita Silva novembro 1, 2011

    Não tinha ouvido falar do autor, e nem nos livros, no entanto. Adorei a entrevista, nada como conhecer autores e livros novos. Amei a capa do livro Porque eu amei. Os temas polêmicos, são sempre polêmico, e isso é legal em livros. Me interessei a ler.

  • Denize * novembro 1, 2011

    A Editora Dracaena está com novos e maravilhosos livros, de autores nacionais maravilhosos! Primeira vez que eu ouço falar desse autor e fiquei morrendo de vontade de ler Porque eu amei e descobrir como o autor trata dos temas polêmicos dentro da igreja. Na minha opinião a capa do livro é bem estilo Dan Brown, hehe
    Adorei a entrevista, beijos!

  • Stephanie Munford novembro 1, 2011

    Já li a sinopse desse livro e achei muito legal, mas não sabia que o autor é brasileiro.

  • Bruna Rodrigues novembro 2, 2011

    Adorei a entrevista.Acho que voce encara o livro de outra forma quando conhece mais do autor e das inspirações.

  • Márcia Novaes novembro 11, 2011

    Ah como sempre o Roque é tão gentil, o que deu muitissimo bem pra perceber nessa entrevista né?!
    é interessante agente conhecer mais sobre os autores pq atraves disso dá acesso pra conhecermos a fundo a obra e tal.. e eu num vejo a hora de ler os dois livros do Roque…
    *-*
    amei a entrevista.

    xerus

  • Mari Sampaio dezembro 3, 2011

    Não sei muito sobre essa obra dele, mas li umas resenhas de Narciso: Tédio e Fúria e achei brilhante a ideia! Adoro quando os autores escrevem sobre o que veem na sociedade! Quando se une a realidade e o imaginário, o resultado costuma ser bom!

    Beijos,

    Mariana Sampaio
    Blog Tijolinhos de Papel