31agosto2011

O Mala: Manual de Identificação e Uso – Mario Kostzer

“Mulher! Olha o que saiu no jornal… Vão baixar nosso salário… Mas é certo que vão baixar também os preços, né?! E vão criar um novo imposto. Bom, daí o governo vai ter mais recursos para fazer as coisas… Eu sou otimista, você vai ver, dê tempo ao tempo.” (p.28 – O mala otimista) 

Livro: O Mala – Manual de Identificação e Uso
Autor:  Mario Kostzer
Editora:  Belas Letras
Categoria: Humor
ISBN:  9788560174751
Páginas:  80
Lançado: 2011

O enredo do livro tem tudo a ver com o título, é um Manual de Identificação de “pessoas malas”.

O livro é pequeno, cheio de ilustrações e cada capítulo se destina a traçar o perfil de um tipo de “Mala”.
É uma leitura bem divertida, apesar de rápida. Em muitos momentos me vi rindo sozinha e comparando os diversos tipos de “malas” com as diversas pessoas que conheço. É impressionante como existem os mais variados tipos de “malas” no nosso dia-a-dia.
Entre os diversos tipos de malas citados no livro encontramos “O mala da internet”. Será que alguém aí conhece aquele “tipinho” que vive mandando correntes no seu e-mail?
Outro “mala” que me chamou muito a atenção durante a leitura foi “O mala que faz alarde de seus títulos”. Só nessa parte me lembrei de pelo menos uns três professores de faculdade no primeiro dia de aula.
Além dos diversos tipos de “malas” o autor Mario Kostzer ainda nos apresenta uma lista de “Desculpas que todo mala emprega” e os “Contratempos malas”.
Em síntese é uma leitura bem divertida para aqueles momentos corriqueiros do dia-a-dia em que não dá pra ler um livro muito grande.

PESQUISADORES
estão experimentando uma nova droga que,
asseguram, servirá para acordar as crianças para
irem à escola. O experimento, testado com êxito 
por um técnico mecânico dos subúrbios de
Londres, instiga o interesse do mundo cientifico.”
(p. 26 – A notícia mala)

Entrevista com o autor
(A editora realizou uma entrevista com o autor e eu escolhi algumas das perguntas para postar por aqui.)
Qual o pior tipo de mala?
Autor: Acho que o pior mala é aquele com poder. Às vezes com um poder efêmero, mas que produz prejuízos importantes.
Os malas do livro surgiram de suas observações ou são fictícios?
Autor: São composições armadas a partir da vida real. Inclusive acredito que são facilmente identificáveis pelas pessoas. São aqueles que em alguns casos nos amargam a vida, ou talvez, se você aprende a conviver com eles, nos arrancam um sorriso.
Você imaginava que seu livro faria tanto sucesso na Argentina? Como você acha que ele será recebido no Brasil?
Autor: Sempre escrevemos com certa expectativa. Até aquele náufrago que lança no mar uma garrafa com uma mensagem quer que a leiam. Obviamente que a resposta que recebi superou essa expectativa e obviamente foi bem-vinda. No Brasil, imagino que os leitores reconhecerão muitos dos personagens descritos no meu livro, já que a maioria deles é universal.

Twitter | Facebook | Blog  | Site | Orkut
Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Andressa Leite setembro 2, 2011

    kkk, amei o livro, conheço vários tipos, impossível escapar deles =D.