09julho2011

O Caçador de Ilusões – R. Freitas

“Talvez os portais estejam fechados, talvez seja tarde para purificar a alma, talvez não tenhamos permissão para prosseguir adiante, estamos morrendo com as drogas e já não percebemos que o coveiro, aos poucos vai construindo nossa casa mais solidamente que o pedreiro; não percebemos que aquela cova será nossa morada eterna até o juízo final.” (p.32)
Livro: O Caçador de Ilusões
Autor:  R. Freitas
Editora:  Lexia
Categoria:  Literatura Nacional / Romance-Reportagem
ISBN:  9788563557018
Páginas:  192
Lançado: 2010
Compre: AQUI

Romance-Reportagem nascido no centro do mundo das drogas.

Inspirado em Fatos Reais


Fiquei pensando em por onde começar a falar sobre este livro.
Um tema delicado? Um tema forte? Um tema que com certeza divide opiniões e rende grandes questionamentos.
Que tema é esse? AS DROGAS!
Em O Caçador de Ilusões, esse é o tema tratado pelo autor.
Um livro inspirado em fatos reais! Um romance-reportagem! Diálogos polêmicos, mas que sabemos estarem presentes cada vez mais na sociedade! Isso é apenas o inicio de uma narrativa forte, real e reflexiva.
O livro narra a história de uma turma de jovens em meio ao terrível mundo das drogas.

“Um ano depois, graças, antes de tudo, as amizades que conquistamos, depois de uma vitória sobre os adversários do bairro da Vila Nova Brasilândia, um jogo entre crianças que teve como troféu da vitoria um cigarro de maconha bem servido. Meu primeiro passo. Que provoca mudanças permanentes em meu cérebro, pois o usuário de maconha na maioria das vezes experimenta outras drogas.”

O livro, apesar de trazer um tema forte, ele é bem reflexivo e muito interessante.
No decorrer da narrativa você pode ver o começo de um usuário de droga até chegar aos extremos. O comportamento dos jovens que julgavam estarem saindo apenas para se divertirem com a ideia de que um simples baseado fosse lhes trazer apenas um momento de descontração. Também é visível que como em todo grupo de jovens, os relacionamentos em meio a tudo isso são mostrados e sua influência para o futuro de cada um é marcante.
Este é um livro que vale a pena ser lido e refletido, pois nele encontramos relatos do que nossa sociedade vem presenciando a cada dia mais.
Não dá pra falar muito, porque este é um livro onde cada detalhe, cada palavra, é de vital importância para os fatos que ocorrerão a seguir.
Eu, particularmente, achei um livro interessante que atinge o objetivo de trazer uma visão do mundo das drogas. Vale a pena conhecer!!!
Fiquei tão impressionada com o livro, que resolvi entrevistar o autor. Confiram:

Pri Beletato: É um prazer enorme para o Viaje na Leitura recebê-lo para esta entrevista.
Flávio: Eu é que agradeço esta oportunidade de estar com você e os seus leitores. 
Pri Beletato: Flávio, nos conte um pouquinho sobre a sua carreira como escritor. O caçador de ilusões é seu primeiro livro? O que te levou a escrever?
Flávio: O que posso dizer é que todo o começo é difícil, e ser escritor não poderia ser diferente, pois não sabemos quais os caminhos que devemos seguir para atingir um numero maior de leitores, para mim ainda é um grande desafio, O Caçador de Ilusões por ser o meu primeiro livro que teve os primeiros rascunhos e formato em de 1984, ou seja, aproximadamente 25 anos atrás, ou melhor, século passado (rsrsrs…), quando resolvi escrever sobre um grupo de amigos que no começo de sua adolescência experimentaram sua primeira droga.                  
Pri Beletato: Na capa diz que o livro foi inspirado em Fatos Reais. Pode nos contar um pouquinho como se deu isso?
Flávio: Quando se vive e cresce na periferia de uma cidade, não tem como não conviver de perto com alguns amigos e colegas que começam a se drogar e acompanhar a evolução dessas experiências até a doença do vicio e, como o caminho de cada um vai sendo desviado pelo mundo. Acompanhei de perto estas mudanças e o destino de muitos amigos que se enveredaram por estes caminhos, isso nos idos dos anos 70 (1977 a 1982) na época da ditadura militar quando tudo era feito as escondidas e hoje, mais de 25 anos depois, a doença das drogas se espalhou e esta virando uma epidemia, e a única coisa que nos resta é pelo menos controlar esta doença, porque acabar com ela e quase impossível. E dos anos do passado ao presente, do que vi na minha juventude e o que vejo hoje, a única coisa que mudou foram os personagens, mas as suas historias são as mesmas, famílias desestruturadas, preconceitos, vontade de conhecer e ter novas sensações, “amigos” que forçam a barra para que você experimente, a necessidade do jovem de ser inserido num grupo e por ai segue inúmeras explicações sem fim. Daqueles amigos e colegas do passado para os jovens de hoje, nada mudou com relação as drogas, ou pior dizendo, novas drogas foram surgindo, com um poder devastador de viciar, e fazendo este comparativo do presente com o passado, percebi que os meus manuscritos continuavam atuais e infelizmente sempre continuarão, assim resolvi editá-los como forma de alerta.            
Pri Beletato: Lendo eu percebi que a narrativa é um pouco tensa, não é um tema que estejamos acostumados a ver com muito destaque. Conte-nos um pouco como tem sido a repercussão do livro com os leitores.
Flávio: Pri, posso dizer que é tensa e intensa ao mesmo tempo. Alguns leitores se identificaram muito com o livro, por terem presenciado no passado ou nos dias de hoje amigos e colegas se perderem pelos caminhos das drogas, veja como é tudo isso, chegavam a se colocar na historia, pois dizem que as semelhanças são enormes, pois tudo se repete da mesma forma. Outros leitores se apavoram com o linguajar forte, mas é como tudo acontece, não poderia omitir a verdade, se não incorreria num erro fatal, e ser considerado um grande mentiroso. Posso dizer que é uma leitura que você gosta ou odeia, não tem meio termo.
Pri Beletato: A Alexandra, da Editora Lexia, comentou que você já está com um novo livro finalizado. Você pode adiantar um pouquinho sobre este novo livro?
Flávio: Este segundo livro tem o titulo de Serra-Acima (O Tempo e o Destino) e conta a historia de uma família gaucha, tem inicio em 1845 e caminha ate 1920. É um romance, onde esta família migra do Rio Grande do Sul para Santa Catarina, e participa de duas guerras; a Guerra Federalista e a Guerra do Contestado. Todo o contexto das batalhas é baseado em fatos reais e todo drama deste romance e seus personagens se desenvolve entre estas guerras de forma a prender os leitores em suas linhas e a querer saber qual vai ser o desfecho da historia. 
Jogo Rápido:
  • Em uma palavra defina a literatura: Prazer
  • Um livro que marcou sua vida: Dom Quixote
  • Uma influência na sua carreira: Minha esposa e filhas
  • Sonho: Continuar a escrever
  • Por que é tão difícil ser escritor no Brasil: Falta de incentivo das grandes editoras/distribuidoras em divulgar novos talentos.
  • Sua visão sobre a seguinte afirmação: “No Brasil, a média de leitura é de um livro por ano”: Os livros são caros para boa parte da população, alem da falta de investimentos significativos por parte dos governantes em Educação e Saneamento básico. 
Pri Beletato: Agradecemos muito a sua presença Flávio! Agora o espaço é seu para deixar um recado para os leitores do blog.
Flávio: Pri me desculpe, mais eu que devo agradecer esta oportunidade de estar aqui com você e seus leitores, e que não deixem de fazer seus comentários de forma justa e honesta no blog, pois somente assim poderemos saber se estamos no caminho certo. Um beijão no coração de todos e que Deus ilumine o caminho de cada um.

          
Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Talita Ribeiro julho 9, 2011

    Drogas é mesmo um tema muito forte, mas que deve ser abordado mais! Elas existem e estão do nosso lado, ali mesmo na nossa esquina! Amei a entrevista e espero em breve ter a oportunidade de ler o livro!
    Beijos

  • Márcia Paiva. julho 9, 2011

    Drogas é um tema forte. Gosto de livros assim, que conta a realidade, mostra a vida como ela é. Adorei sua resenha e espero ler o livro em breve. Bjs.

  • Jesimiel julho 9, 2011

    Parece ser de qualidade, além de ser um tema forte. Fiquei interessado em ler.

  • Fernanda Carvalho julho 9, 2011

    Drogas é um tema bem forte mesmo, e ainda é baseado em fatos reais, fiquei curiosa pra ler!

    Gostei de ler uma entrevista com o autor logo após a resenha.

    @nann_da

  • Nattacha julho 9, 2011

    Realmente esse é um tema muiito forte de ser tratado, sempre temos questionamentos sobre o assunto. Adorei ver que esse livro conta a vida real, tipo sem ficção, como ela realemnte é!
    Achei super bacana a entrevista Pri 😀
    E adooorei sua resenha, apesar do tipo de narrativa não ser das minhas favoritas, gostaria de ler esse livro apra conhecer mais o livro!
    Beijooos :*

  • Gabby julho 9, 2011

    Falar sobre drogas realmente causa sérios questionamentos em todos, afinal cada um tem sua opinião sobre o tema.
    Seria uma boa que a nossa sociedade lesse esse livro para se conscientizar um pouco sobre as drogas.

  • jenniferdlegal julho 9, 2011

    Realmente esse é um tema que com certeza faz os leitores refletirem ainda mais se o livro for realmente bom!

    @Jennifer13d

  • Érika Peixoto julho 10, 2011

    Um dos meus livros favoritos trata também sobre drogas (Vida de Drogas) e acho que deve ser uma leitura bem interessante.
    Mas esse é tema super delicado, principalmente pra mim porque perdi um amigo por esse motivo.

    Achei a capa um pouco assustadora, mas que retratou bem o livro. Também fiquei curiosa para ler a próxima obra desse autor.

    Bjs,
    Érika Peixoto.

  • Rosa maria julho 10, 2011

    Adorei a entrevista e me interessei muito pelo livro ansiosa para ler ,pois lido muito com adolescentes.
    @asorairammendes

  • Elidiane Ferreira julho 10, 2011

    Realmente as drogas estão cada vez presente na nossa sociedade, esse livro parece ser bastante forte! Uma leitura que vale a pena conferir!!

    Elidiane'

  • - LoolaB julho 10, 2011

    Ta aí uma resenha que me fez pensar agora: Será que mesmo na leitura devemos dosar nossas vontades e ler livros com temas polêmicos, fortes e reais?
    Acabei de perceber que eu digo que amo ler. Mas ao me deparar com livros com fatos históricos ou temas que considero fortes ou complicados, costumo torcer o nariz.
    OK. Acho que vou mudar minha mentalidade e começar a realmente agregar cultura lendo também livros que me proporcionem novas formas de entender assuntos e fatos que acontecem e muito hoje em dia.

    é.
    Lerei esse livro 😉

    Beijinhos.

    @pirulitolimao

  • Fabiana julho 10, 2011

    Realmente esse tema deveria ter mais enfoque , adorei a resenha e a entrevista com o autor, que parece ser bastante consciente de ser um formador de opinião!!!! Parabéns ao blog pela iniciativa!!!! Bjos Fabi!!
    http://www.roamancesdecoracao.blogspot.com

  • Gisele julho 10, 2011

    Nossa melhor resenha que eu vi ateh agora…principalmente por conter um assunto taum triste como as drogas que desolam a nossa sociedade…
    Entrevista perfeita da Pri com o autor!!!!!!!

    bjus

  • Diário de um estudante julho 10, 2011

    Drogas é um tema muito interessante, uma vez eu li um livro espirita que falava sobre drogas e nele eu obtive muitas informações e aquilo que já me parecia terrível só ficou pior!
    Eu acho que todos deviam ler livros sobre droga para se conscientizarem do perigo que elas trazem e este por ser um livro nacional baseado em fatos reais parece realmente um livro perfeito não só para lazer de quem gosta de ler como para leitura obrigatória no Ensino Médio de todas as escolas, assim aquelas pessoas que tem preguiça de ler podem ficar alertas sobre o assunto!

  • *Mi§§ §impatia* julho 10, 2011

    Pri mandou bem na entrevista, foi bem direta e perguntou tudo que nós leitores estavámos a fim de saber…. por exemplo, pq do autor escrever sobre um tema que ao mesmo tempo que é interessante é forte e tão polêmico. Parabenizo a escolha do autor por esse assunto; é assim uma forma de tentar coincientizar as pessoas a não irem pra esse lado. Ah e essa frase aqui é perfeita, eu amei: " ….não percebemos que o coveiro, aos poucos vai construindo nossa casa mais solidamente que o pedreiro…."
    Beijos.

  • Aline de Oliveira julho 10, 2011

    Lembro nos meus dias de escola nós íamos visitar uma casa onde havia homens em reabilitação, suas vidas tinham sidos destruídas pelas drogas.
    Quando perguntávamos como era (queríamos detalhes), eles diziam que éramos muito jovens pra saber a história em detalhes e só contavam aquilo que tinham perdido e tal…

    Vejo que o autor aborta aqueles pontos que essas pessoas não nos contou…
    vou recomendar para os meus amigos.

  • Suellen julho 10, 2011

    Bem… Sobre a postagem achei interessante e não vou dizer que o livro é bom porque não li. E estou curiosa para lê-lo ou ter a oportunidade para ler. Drogas é um assunto que deve ser, no meu ponto de vista, bem abortado, não só em casa com na rua ou nas escolas. Dizer que a droga é ruim quando se fuma ou a utiliza não vai trazer benefícios para juventude.
    Você relatou que a leitura é forte e eu acho que só sendo desse modo é que as pessoas entenderam que a droga mata. Além dos malefícios que ela traz. E não como aqueles filmes onde o mocinho fumava meia dúzia de cigarro e vivia feliz para sempre. A droga seja ela o cigarro de todo dia ou a mortal como o crack mata e destrói família. Você talvez não saiba, mas ver uma família morrendo ao poucos na sua frente e levando muitas vezes a destruição do lar não é uma boa coisa de se ver. Nem desejo isso ao meu pior inimigo.
    Adorei a entrevista do autor e fiquei pensando se ele viu os amigos deles irem ao mundo das drogas e hoje estão mortos, eu vejo os meus morrerem com balas na cabeça ou como um Zé ninguém. O livro deve ser bem impactante e mostrando uma realidade que queremos não ver. Pois a realidade deve ser mostrada e não fantasia. Muitos dizem que entraram nas drogas por inúmeros motivos e muita gente culpa o governo ou alguém por não dá assistência a essas pessoas. Mas será mesmo isso? A falta de informação ou a culpa é dos outros.
    Não sei se meu comentário fez sentido, mas as vezes fico com ódio das drogas que levam pessoas que amamos. Eu pedi uma pessoa importante por conta do cigarro e bebida e talvez sei o que é perde algum por drogas pesada. Tudo começa com uma tragada no cigarro comum quando você vê já esta injetando algo.
    Adorei o poste e até…

  • Evelyn Chen julho 10, 2011

    Nossa, o tema é forte mesmo.
    Sinceramente não é do tipo de livro que me atrai, mas tenho curiosidade em lê-lo porque não consigo entender como um pessoa entra nessa vida já sabendo o que isso traz, quero ler justamente pra ter essa visão do mundo das drogas. Imagina só os trechos desse livro, descrevendo as locuras que o pessoal comete pra conseguir suprir o vício, tem tanta porcaria por aí, e uma coisa que o autor disse é verdade, hoje em dia temos uma variedade cada vez maior de substâncias ilegais, isso é uma epidemia.
    Bjo!

  • Joelma Alves julho 10, 2011

    Na minha infância e adolescência morei em uma cidade do interior, e naquela época as drogas ainda não tinha chegado lá. Depois que vim fazer faculdde na capital, esse tema se torna comum, e a gente sempre fica sabendo de alguém que 'dá uns tapinhas' só pra escontrair…
    E a cada ano que passa as coisas pioram e as pessoas falam com mais naturalidade que fumam ou se drogam, triste!
    É muito importante que livros como esse sejam amplamente divulgados, pois as pessoas, principalmente as jovens, precisam saber as reais consequências do uso de drogas.

  • Renoá julho 10, 2011

    Infelizmente é isso o que acontece, mesma história e o que muda? Personagens…, é muito importante esse fato ser abordado de maneira verdadeira, como você disse Pri "trazer um tema forte", é a melhor maneira de parar e pensar o que realmente acontece e o que é esse mundo!

  • L.F.Matos julho 10, 2011

    Ixi, realmente o tema é forte! Mas é a realidade, né?
    Eu acho que é muito importante autores escreverem livros sobre esse tema, aliás, não só drogas, mas também, distúrbios alimentares e outros. Eu lembro de um paradidático que li do Walcyr Carrasco (Vida de Droga) e achei bem legal o livro! Adorei esse livro, de verdade. A resenha ficou perfeita!
    – Luiz Felipe Matos

  • Adriana julho 10, 2011

    Infelizmente a situação de jovens ( e adultos também), envolvidos com drogas é uma realidade dura no mundo, e só quem já se envolveu, ou conviveu com alguém viciado sabe o estrago que as drogas causam! Com certeza, o tema desse livro é forte, mas uma leitura quase que obrigatória já que narra fatos reais, pois assim, vamos tomando consciência do grande mal que elas nos causam!

  • Monikinhaflor julho 11, 2011

    excelente trabalho, acho que devemos falar desse assunto cada vez mais, quebrar o silencio mesmo.

    adorei conhecer um poquinho mais do autor
    bjos

  • Rodolfo Euflauzino julho 11, 2011

    O livro-reportagem tornou-se um instrumento interessante, nos faz embrenhar por caminhos que estão ocultos, coloca o dedo na ferida aberta. Drogas é tema espinhoso e o tratamento dado ao assunto é muitas vezes velado, raso, sem comprometimento com o desdobramento do uso: tráfico, prostituição, mendicância, desespero, solidão, morte – nem sempre nesta ordem. A coragem em tratar disso é louvável, ainda mais tratando-se de fatos reais, portanto vai aqui minhas congratulações pelo livro e pela entrevista. Parabéns ao Viaje na Leitura e muito sucesso a R.Freitas.

  • Ana Leticia julho 11, 2011

    Muito interessante a resenha por varios pontos. Primeiro q como vc disse é um tema delicado e com certeza cheio de ramificações a serem tratadas; Segundo que ainda n li um livro-reportagem entao me chamou muiito a atenção; Terceiro, parece hipocresia da minha parte mas nao tive nunhum contato com uma pessoa usuaria para acompanhar as fases vividas pelo vicio. É claro q vejo televisoes e tenho conhecidos q sei q sao usuarios, mas n tive um contato intimo e tbm confesso nao entender muito bem o que leva um ser humano a esse ato tão simplorio e ao mesmo tempo ameaçador ao bem maior que é a vida.
    Gostei muiito do livro e da entrevista com o autor.
    QUero parabenizar o R. Freitas pela ideia e desejar sucesso a obra.

  • Mey julho 11, 2011

    Gosto muito de historias baseadas em fatos reais. A capa me impressionou bastante, confesso que me angustia um pouco,até.Talves é essa crueza que faça o livro muito interessante.Gostaria mesmo de ler.Parece ser otimo.

  • Malu4u julho 11, 2011

    Sempre gostei de ver e ler historias que são baseadas em fatos reais; e principalmente com temas que nos fazem refletir. Drogas é um tema delicado, mas que tem que ser abordado pois cada vez mais cresce ao nosso lado. Não digo que seria um livro que compraria por espontaneidade; mas leria com certeza se estivesse ao meu alcance 😉

  • Elizandra julho 11, 2011

    è um trabalho diferente eu nunca li nada que tivesse a ver com drogas e ainda fatos reais, meu deu vontade de le-lo, mas confesso que quando olhei a capa imaginei outro tema algo com espiritos tema de terror.

  • Pablo Arcary julho 11, 2011

    Acho que precisamos de mais livros como esse, livros que desperte a atenção da sociedade para o problema que a droga está se tornando. Eu não considero que a droga seja um vicio, eu considero a droga como uma doença, e pode contar que e uma doença muito dificil de atingir a cura.

  • Mari julho 12, 2011

    O tema realmente é forte e polêmico, mas o livro parece ser bom ^^Visto que a história é real, deve ser mais interessante ainda.

    Beijo

  • ♣Guilherme Franco♣ julho 12, 2011

    É o tema é uma realidade dos dias de hoje, acho que se todas pessoas ajudassem e diminuissem seu preconceito as pessoas que usam ou usaram drogas, e houvesse uma aceitação desse usuário a sua entrada em uma clínica para tratamento e também fazer uma "reorganização" do espaço nacional, fazendo grupos de lazer para jovens e crianças, que quando não tem o que fazer, sem incentivo algum para a leitura e ao estudo vão para o crime e ás drogas….

  • Edson Rovina julho 12, 2011

    O tema central é uma realiadade assutadora, que infelizmente que cresce nos dias de hoje. A obra com linguagem real aborda o problema das dogras com clareza e simplicifidade. Expoe a situação humnana e a sua perplexidade. Deve ser lido.

  • Adriano julho 12, 2011

    Esse é um tema muito interessante, fiquei muito curioso para saber qual o conteudo do livro.

  • Vivianne Fair julho 12, 2011

    Nossa, que profundo esse tema! Que legal a visão do autor…gostei muito mesmo! Parece ser interessante e bem atual! =)

  • Vergonhosamente, eu ainda não conhecia o livro. Mas sendo de um autor nacional, mesmo que venha a não gostar do enredo, é importante que divulguemos porque necessitamos de autores mais atuantes no país. Me preocupa muito que a leitura tenha aumentado, mas principalmente d elivros estrangeiros. Incentivar os autores nacionais é uma forma de aumentar a nossa produção literária não só em quantidade, mas também em qualidade. O tema parece ser bastante envolvente, fiquei realmente curiosa para ler, vou procurar por aqui, caso não ganhe o sorteio. Parabéns pela resenha.

  • Anônimo julho 12, 2011

    É muito difícil fazer comentários quando se é íntimo de alguém, li o livro em 4 horas, logo nas primeiras páginas percebi que também fui espectador da obra ( embora sendo 10 anos mais novo q o autor)pq memórias de uma criança são para sempre, lendo o livro percebi que muitas memórias q não faziam sentido depois de 25 anos vieram à tona, no decorrer da minha vida estive presentes em vários eventos semelhantes, afinal lutar para sair de uma periferia violenta é ao mesmo tempo andar no fio da navalha, me senti muito à vontade com o texto, talvez para quem nunca experimentou da violência, do abondono social, da falta de expectativa, a demora da redemocratização do país, uma sociedade corrompida, o tema pode ser pesado ou inadequado,mas acreditem que ainda hoje quase nada mudou nas periferias das grandes cidades,o que mudou foi apenas o aumento indiscriminado do consumo de todas as drogas em todas as ciades do mundo!Não vou perder tempo em comentar sobre as legalizadas que estão inclusas nos costumes sociais, parabéns pela linguagem nua e crua, faça sempre o q vc realmente acredita, mentir para si mesmo é um erro fatal,imperdoável,irreverssível, o caminho mais rápido para o inferno.Na oportunidade em que morei em Santos presenciei o enterro de Plínio Marcos, meia dúzia de gatos pingados, isto importa?Claro q não, nós passamos e os feitos é q ficam! Boa sorte e siga em frente meu irmao!

  • Marcelo Caê julho 12, 2011

    Eu já tive oportunidade de ler outros textos desse autor e vejo nos trechos expostos aqui que se estilo foi mantido, uma leitura que flui bem, não cansa, que além do texto ter uma mensagem, tem uma bela estética, o que torna a leitura mais prazerosa. Sobre o tema do livro, é um problema que cresce no coletivo, e é a visão coletiva que aparece em estudos ou reportagens. A abordagem particular, os sentimentos daquelas pessoas, a sua realidade serão, além de tudo, estímulos para o resgate dos indivíduos! Em uma palvra: leia!

  • Lucas Martins julho 13, 2011

    Gostei demais da resenha. O tema é chocante! Drogas por mais que seja uma coisa que vemos diariamente, em noticiários, jornais e na internet, sempre é uma coisa delicada, e de certa forma interessante. Porque eu nunca li nada, diretamente relacionado à drogas, mas acho que seria muito interessante. Ainda mais sendo baseado em fatos reais. Adorei!

  • Lucia Marina julho 14, 2011

    Oi!

    Livro impressionante, resenha espetacular. Drogas é um assunto muito forte, e fiquei muito interessada no livro. É necessário ler sobre o assunto, juntar informações. Muita gente acha que um cigarro de maconha é só um traguinho, mas aquilo evolui para coisas mais pesadas. Quando se percebe, é tarde demais, e o poço só fica mais fundo.

  • Anônimo julho 14, 2011

    Vicente Resende:
    O livro transcende a mera descrição de fatos. Não apenas reproduz um universo paralelo ao universo “normal”, mas induz a uma reflexão sobre comportamento e pontos de vista, além de ser uma crítica social contundente. Perturbador seria a definição deste livro em uma palavra.

  • Patricia Modesto julho 14, 2011

    Parabéns Pri pela resenha e pela entrevista com o Flávio, o qual também dou os parabéns por seguir esta profissão que ainda é pouco reconhecida no nosso país e desejo todo sucesso do mundo!
    Me deixaste curiosa para saber como é tratado esse assunto em "O Caçador de Ilusões", já que realmente é delicadíssimo, que está desde há muito tempo em nosso dia-a-dia. Espero conseguir lê-lo! Assim como também espero esta nova história que estará a ser lançada com um tema que eu amo que é a guerra.

    Beijo.

  • André Luís Cardoso julho 15, 2011

    Não poderia deixar de relatar minha experiência ao ler este livro. Quando falamos de experiências nossas e as transformamos em recado para os demais, já merece uma visita. O livro é um recado aberto a todos nós, principalmente aqueles que possuem filhos. Vale a leitura e depois a reflexão em família.

  • Anônimo julho 15, 2011

    Marilene diz
    Prezado Flavinho

    Foi muita emoção e orgulho que li sua entrevista sobre o seu livro: Caçador de Ilusões.
    Pude observar em suas respostas o quanto é abrangente o conteúdo exposto na sua escrita.
    Para nós ,(tia Marilene, tio Paulo, Gisele,Grasiele e Cibele) estão muito gratificante saber que temos na família, um escritor contemporâneo, com tanta capacidade de expressão.
    Parabéns! Você é merecedor de aplausos.
    Beijos!

  • Francisco Pereira julho 16, 2011

    O livro aborda um tema real e de muita importância para reflexão. O autor nos ajuda a entender o universo do usuário de drogas, identificando e conhecendo as “razões” que o levam a pratica do ato errôneo. Abordagem sincera e emocionante. Recomendo o livro.

  • José Luiz Rolim julho 16, 2011

    Drogas.Este assunto deveria ser mais Explorado e divulgado em nossa Vida.Pois é uma realidade que esta presente em nossa Sociedade.
    Poucos tem coragem de expressar os caminhos percorridos e os resultados desta "viagem", geralmente com finais desastrosos;Agradeço ao autor pela abordagem do asunto;

  • Anônimo julho 17, 2011

    Olá Flavio,
    Quero parabenizar pelo excelente trabalho em escrever o livro "O caçador de ilusões", porque retrata fatos reais do mundo da droga que vem destruindo cada vez mais a vida dos cidadãos comuns (pais e filhos). Este livro, com certeza é uma grande contribuição que nos leva a refletir que muito se tem a fazer para o combate deste mal. Abraço – Degival.

  • Riza julho 17, 2011

    Gostei do autor, ele é corajoso em escrever um livro que, todo mundo sabe que existe mas continua ignorando.
    Nunca esqueci de um conhecido que conseguiu sair das drogas… ele sempre disse que nunca volta a ser "normal", tende sempre a ter recaídas e deve ser mto forte pra ñ voltar… que é triste, por qntos amigos se perderamm com, como ele diz, essa "brincadeirinha"…

  • Steh julho 18, 2011

    uma vez tive que ler um livro na escola sobre drogas
    dai no fim o cara encontrava jesus pa e era salvo
    sahiudhuihsdsda
    acho que não é bem assim, o buraco é mais embaixo

    e sim, apesar de triste, é verdade isso que o incentivo ´muito pouco, tanto pros novos escritores nacionais, quanto ao preço dos livros :(((

  • Steh julho 18, 2011

    ué? cade? acabei de comentar e sumiu 🙁

  • Elisandra julho 18, 2011

    Pri, gostei da resenha e fiquei aqui pensando em como deve ser esse livro, essa história. Depois de ler a entrevista fiquei ainda mais curiosa, para saber como tudo se desenrola. Pois afinal quem nos dias de hoje não conheceu, conhece ou vai conhecer uma pessoa que se envolve com drogas. Nos dias de hoje parece que a cada vez mais esse pesadelo chega próximo de nós, seja através da pessoa que for, todos acabamos ouvindo falar, vendo ou fazendo parte desse sonho ruim.

    Beijokas elis!!

    http://amagiareal.blogspot.com/

  • Anônimo julho 18, 2011

    Título muito interessante, fiquei curioso para saber qual o conteúdo deste livro.

  • Anônimo julho 18, 2011

    Otimo livro eu recomendo!

    Abraço.

    Emerson

  • KaahCullen_ julho 18, 2011

    a historia parece ser boa
    gostei da entrevista

  • Jean Carlos julho 19, 2011

    Eu nunca havia me interessado antes em ler algo relacionado a esse tema tão expressivo e inevitável, drogas. Deve ser uma narrativa e tanto que esse livro proporciona, uma imersão nesse mundo de um ângulo interessante.. criei expectativa já ;D

  • Dani Fuller julho 19, 2011

    Eu fico muito impressionada com esse tema.. é algo q ñ entra na minha cabeça… drogas.. na verdade vai além.. drogas, bebidas e cigarro….

    já li alguns livros sobre drogas e felizmente (ou infelizmente) eles não conseguem ser 'leves'.. mas é assim q precisa mesmo ser…. tem q mostrar até o fundoooo como funciona.. o q acontece e o q causa.. apesar de me impressionar fácil.. fiquei curiosa para ler sobre ele

    bjs

  • Anônimo julho 20, 2011

    Renato comenta.

    Li somente as primeiras páginas da obra e a impressão é de que o autor conhece de perto este universo paralelo que é o mundo da drogadição, pois fala com muita propriedade e sem qualquer preconceito a respeito das relações estranhas que se desenrolam em seus meandros.
    Penso que muito do que se ouve e lê por aí é falado e escrito por pessoas que pouco sabem ou conviveram naquele ambiente, o que acaba por dar uma sensação de falsidade e de falta de verdades, a mesma sensação de falar de futebol sem nunca ter entrado em campo para participar de uma partida decisiva. Algo semelhante a dar conselhos e orientações sexuais sendo celibatário.
    Espero que no desenrolar da narrativa este mesmo espírito se mantenha e que a realidade possa ser exposta de forma fiel, traçando o destino dos jovens envolvidos.

    Sucesso Flávio

    Para voce três abraços, porque um é muito pouco e com muita fraternidade.

  • Anônimo julho 21, 2011

    " Andrei Koerbel

    O livro é ótimo. Aborda um tema muito importante, que impacta de forma
    direta a vida de todos na nossa sociedade.
    Parabéns ao autor pela excelente obra!! "

  • Gessy julho 24, 2011

    Vejam que ironia, estou comentando neste post quase no mesmo dia em quem a morte da cantora Amy Winehouse é anunciada. Não que ela tenha morrido de overdose, pois ainda não fizeram autopsia e não divulgaram a causa da morte, mas todos sabem o que as drogas fizeram com ela. Acabaram com ela, uma pessoa tão talentosa. Enfim, não estou aqui para falar dela, mas não pude deixar de fazer esse breve comentário. Quantas e quantas pessoas não definham lentamente por causa desse vício, não é mesmo?
    Esse é um tema forte e muito tenso de ser tratado, e parece que o autor soube como fazer isso, pois foi baseado em fatos reais. E como ele mesmo disse, é uma história que não tem meio termo, e eu gostaria de ler esse livro.
    Parabéns ao autor pela obra, e que muitos leiam e reflitam sobre esse tema que a cada dia está sendo mais e mais banalizado.
    Eu também desejo que Deus ilumine o caminho de cada um.

  • adevalente julho 25, 2011

    Nossa esse livro e muito interessante. Primeiro porque se trata de um assunto muito comentado atualmente ou seja as DROGAS. Outro ponto importante no livro, são os jovem que são influenciáveis. E o + intrigante é que é Inspirado em Fatos Reais.

    Nossa que livro, esse eu quero ganhar.

  • Mariska julho 26, 2011

    Esse é um assunto mais do que delicado, as Drogas são um problema social sério, e qualquer literatura-portagem sobre o assunto é mais do que bem vindo. E a abordagem do livro parece ser muito séria e reflexiva.
    Bj

  • mara julho 26, 2011

    o assunto que o livro aborda, é realmente um assunto forte mas muito atual, na vida dos jovens e hoje em dia te dos adultos e criança, achei um assunto interessante pra ser ler e debater vale a pena…

  • Leila julho 27, 2011

    O tema do livro é impactante, mas atual. Na minha opinião, o problema das drogas deveria ser tratado onde começa: na fronteira, por meio do contrabando. O País deveria investir mais na proteção das fronteiras para impedir a entrada de drogas e armas. Assim, não precisaríamos conviver com tanta violência e não seria gasto tanto dinheiro público no combate às drogas.

    A resenha e a entrevista são muito boas.

  • Luciane Eleotéria julho 28, 2011

    Falar sobre drogas é difícil mas necessário. A busca por informação gera connhecimento que é fundamental para a autonomia de uma pessoa. Parabéns ao autor por aborda um tema tão importante para nossa sociedade. Gostei da capa do livro e da entrevista.

    @luci_eleoteria

  • Myl@ julho 30, 2011

    No meu caso é um tema super-delicado, pois conheço uma pessoa com esse problema, fiquei interessada em ler o livro para poder descobrir e tentar entender. Lendo a entrevista do autor, aonde ele diz que muitas pessoas se identificam com o livro, porque conhecem ou conheceram alguém nessa situação, como eu conheço alguém assim, tenho certeza que a leitura deste livro será muito importante. Parabéns ao Flávio por escrever sobre um tema tão delicado, mas que definitivamente deveria ser mais discutido, pois algumas pessoas ainda viram a cara quando se trata de conversar abertamente sobre drogas, e isso pode ser um erro muito grande.

  • esse livro é do babado e dos fortes… eu nao me atrevo a falar sinceramente do livro.. até pq se eu falar… vai ser um texto e nao um comment mas o que eu achei do autor..super realista.. preciso de mais escritores desses pra ler

  • Anônimo setembro 25, 2014

    Para os interessados o livro se encontra a venda na Editora Lexia Ltda, um tema que infelizmente nunca deixara de ser atual.

    abçs

    R. Freitas

    http://www.editoralexia.com/catalogsearch/result/?q=o+ca%C3%A7ador+de+ilusoes&x=0&y=0