27outubro2010

Viciado Carioca – Claúdio Formiga

Livro: Viciado Carioca – Amor e Rock and Roll
Autor: Claúdio Formiga
Editora:  Parêntese
Categoria:  Literatura Nacional/Romance
ISBN:   9788560507078
Páginas:  128
Lançamento : 2010

Idade : 18+ (Recomendado pela Editora)

“O Viciado Carioca é uma dessas ovelhas desgarradas que não acreditam no destino, no amor e muito menos no destino do amor(…)”

Este livro que resenho hoje na minha opinião é bastante polêmico, ao mesmo tempo que ele tem um caráter de humor único, o fato que realmente me incomodou no livro é a alusão às drogas. Mas que foi necessário para a construção do personagem principal o Viciado carioca, melhor conhecido como Vic, para os íntimos. 

         Viciado carioca vive se metendo em encrencas, e o amor está longe dele, ao menos pensava assim, até conhecer Nicole, a namorada de um quarentão podereso no casarão que frequentam.
         Vic tem dezoito anos e em uma viagem para Minas Gerais experimenta maconha pela primeira vez e lá em Minas apronta todas e recebe este apelido de viciado, e como mora no Rio de Janeiro, os mineiros o apelidam: Viciado carioca.
        Ele conhecerá Kid um japonês que estava subindo o morro na hora em que a polícia fazia “inspeção” por lá, e avisando-o,  o japonês fica eternamente grato, por salvar sua vida. Kid leva ele então á uma locadora que vende o que procuram “a droga”. Lucas o dono da locadora se torna amigo deles, e os leva na festa que tem no casarão, onde ele conhecerá seu amor Nicole, namorada de Luther, o chefão.
      Daí pra frente vocês poderão imaginar a encrenca que se mete o rapaz. O livro retrata a realidade das drogas, um pouco do cotidiano deles, especificamente do protagonista. Não consegui classificar o livro devidamente, talvez um garoto faria melhor, visto que o livro fala através da visão de um rapaz de dezoito anos e sua entrada ao mundo das drogas. Então não consigo dar uma opinião definida, só vocês lendo para entender o que quero dizer, o livro é engraçado demais, o humor é notável, mas meu incômodo realmente foi à alusão referente as drogas mesmo que indiretamente. Leiam e me contem depois o que acharam!


Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • delly outubro 27, 2010

    Eu acho que não faz bem o tipo de leitura que eu goste…

  • Beli outubro 27, 2010

    Apesar de ser polêmico e um tema para discussão, tb acho que não faz meu tipo… Mas é sempre bom ler algo mais forte…

  • iluj outubro 27, 2010

    ñ faz o meu tipo d leitura mas quem sabe ñ dou uma chance…:)

  • Taty Books outubro 27, 2010

    É bom algo forte e real, mas depois que li Vitimas do Silencio(e adorei) mesmo o tema sendo polemico é interessante para estar meio que abrindo nossos olhos… Se fizer apenas uma alusão a drogas e seus males, estou dentro! Agora incentivo não.

    Beijão linda =D

  • Viviane Freitas outubro 27, 2010

    Olá!
    Não é o tipo de leitura que me atrai neste momento. Talvez não seja um incentivo indiretamente ao uso de drogas, mas uma necessidade do autor que fazer o uso de drogas ter sentido sob o ponto de vista do protagonista. É difícil tratar de um tema polêmico, o cara que experimenta e volta a usar tem que ser seduzido por alguma coisa boa que a droga oferece, talvez isso tenha dado essa ideia de incentivo.
    Bom, só lendo pra saber…
    Beijo*

  • Tássita outubro 27, 2010

    Nunca ouvi falar desse livro, confesso que fiquei curiosa para conhecer a história completa. Tenho minhas duvidas se é o tipo de livro que vá prender minha atenção.
    Espero um dia ter a oportunidade de ler e descobrir se gosto ou não deste tipo de história
    ;*

  • Lara outubro 27, 2010

    Como disse a Viviane, tmb não acredito que o autor buscou incentivar o uso das drogas e sim que ele quis apenas relatar esse assunto tão polêmico no mundo que é o uso das drogas. Enfim, me deu vontade de ler só pra saber o que o autor realmente desejou passar para o leitor.

  • Universo Literário outubro 27, 2010

    Oi Thaís!
    Sabe que eu já vi esse livro pra comprar e achei bonita a capa, tem ums verniz na frente! Um amigo meu leu e diz que os "caras" colegas dele adoraram, detalhe : Uns usuários e outros não de drogas, mas sei o que vc quis dizer, não faz seu tipo, mas cai como peixe em rede para estes rapazes que curtem algazarras e prazeres momentaneos né?
    Não suporto livros que falem de usuários ou retratem a vida deles, mas com bom humor e notavel?
    Vou comprar amanhã aqui na livraria!
    haushashuahsuhaushsuashua

  • Juh Oliveto outubro 28, 2010

    Tenho curiosidade em ler o livro por causa das opiniões que ouvi a respeito.
    Já ouvi coisas boas, ruins e indefinidas. Então bateu aquela vontade de julgar eu mesma 😉

    Beijocas!
    Juh Oliveto
    Livros & Bolinhos ~

  • deiare outubro 28, 2010

    Oi Thaís!
    Eu li e gostei muito do livro, mas acho que me foquei mas no rock and roll que eu amo e acabei vendo as drogas como mais um componente do personagem.
    Eu acho que não tenho humor, mas com esse livro eu ri muito…
    Bjos!!!

  • Raquel Pereira outubro 28, 2010

    Essa questão de drogas sempre é um tema polêmico, aind mais na idade do protagonista do livro, como vc disse… 18 anos… ainda a fase da descoberta… e a literatura q aborda esse tema, tende a ser cativante, ou então a espantar todo mundo msm. Quero mt ler o livro p ter a minha opinião.

  • KaahCullen_ outubro 28, 2010

    eu ouvi bastante gente falando desse livro
    quero ler eeele =D
    bjokas, adoorei a resenha

  • Naniedias outubro 28, 2010

    Parece um bom livro! Ainda não tinha ouvido falar dele.. vou procurar saber um pouco mais =)

  • MoniqueMar outubro 28, 2010

    Apesar da resenha descrever momentos comédia e divertidos aindanão faz meu estilo. Esse eu passo!

  • EricaMarts outubro 30, 2010

    Primeira vez que ouço falar desse livro.
    Mas não tenho vontade de ler ele não.

    O assunto drogas é sempre polêmico, mas legal a tentativa do autor de mostrar essa realidade de muitos "viciados cariocas" pra quem não conhece.

    Bye