14janeiro2010

OS GUARDIÕES DO TEMPO

Livro:Os Guardiões do tempo

Autor:Nelson Magrini

Lançamento:2009

Categoria:Literatura fantástica

Resenha do autor:

OS GUARDIÕES DO TEMPO Um tanto diferente dos outros trabalhos do autor, onde os elementos de medo e terror são intensos e angustiantes, chegando ao extremo em seu livro de 2006, Relâmpagos de Sangue, o novo trabalho de Nelson Magrini, Os Guardiões do Tempo, é uma fantasia de ficção, voltado a todas as idades, com muita aventura e humor, mas sem deixar de lado o mistério, suspense e, neste caso, uma pitada de terror, como disse, características sempre presentes nos trabalhos do autor. É impossível não se encantar com os personagens centrais, Duda, Ciça e Rogério, em uma aventura que tem por cenário a Via Láctea e planetas exóticos, 1600 anos no futuro. A trama se inicia de forma rápida, com viajantes do futuro fazendo contato e relatando uma história surpreendente, onde o destino do planeta Terra, da humanidade e do então Império Galáctico, depende dos três garotos. Eles têm de encontrar um cientista desaparecido, bem como sua principal invenção, e para isso, contam apenas com uma sequência de pistas deixadas ao longo da galáxia, cada qual levando à posterior. Inicia-se, então, uma corrida vertiginosa contra o tempo, em uma sequência de eventos de tirar o fôlego, rodeados por perigos, traidores e surpresas sem fim. Deve-se destacar, também, dois alienígenas, Dig e Dreg, com seu jeito peculiar de falar, além de um mercador, cujo nome, os garotos simplesmente não conseguem pronunciar de modo correto. Além dos personagens e do fascínio da trama, Os Guardiões do Tempo se destaca por uma linguagem fácil e ritmo alucinante. E em uma época em os governos dos principais países, assim como os meios de comunicação, tanto debatem sobre a sustentabilidade do planeta, o livro tem uma mensagem clara, além de proporcionar boas horas de diversão.

Minibiografia: Nelson Magrini é Engenheiro Mecânico, estudioso e pesquisador em Física, com ênfase em Mecânica Quântica e Cosmologia. Escritor, professor e consultor em Gestão Empresarial e Cadeira Logística, além de Agente Cultural e de Cidadania, com os projetos Novos Autores Literários e Mobilidade Automotiva para Deficientes Físicos. É autor de ANJO A Face do Mal (2004) e Relâmpagos de Sangue (2006), pela Editora Novo Século; do conto Isabella, na coletânea Amor Vampiro (2008) e Os Guardiões do Tempo (2009), pela Giz Editorial, além de elaborador e colaborador do Fontes da Ficção, onde foi publicada a minissérie, em dez partes, O Portador da Luz, e do blog NELSON MAGRINI – OFICIAL ®. http://fontesdaficcao.wordpress.com/category/nelson-magrini/ http://nmagrini.blogspot.com/

Categorias:Outros, Resenhas
Thaís Turesso

veja também os relacionados:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Dandra janeiro 14, 2010

    Já tinha visto esse livro, e amei a capa, mas o conteúdo é bem surpreendente.

    Quero ler *-*

    Bjs

  • Dri Viaro janeiro 15, 2010

    Bom dia, chegou fim de semana!!

    Por isso lhe desejo que vc fique com os seus, e aproveite totalmente estes 2 dias de folga.

    bjssss

  • Celsina janeiro 15, 2010

    Já tinha ouvido falar desse livro, mas não tinha idéia de como era. Parece interessante ^.^

    Bjoo!
    Cel.

  • ThayFreir janeiro 16, 2010

    Parece ser divertido.. ainda não tinha ouvido falar do livro.. sua resenha me deixou curiosa =)
    bjos

  • avitrinedesonhos janeiro 16, 2010

    Olá Thais
    Só de ler essa resenha do autor fiquei fantasiada com a história… Já coloquei na minha lista.
    Beijos e bom final de semana

  • Edilza Pinheiro janeiro 16, 2010

    Boa noite Thais!
    Estou passando para te desejar um excelente final de semana. E o livro aí parece-me ser dos bons. Incluirei na minha lista de desejos hehe. BjO.

  • Julianna Steffens janeiro 16, 2010

    Thais obrigado pelo carinho sempre querida =o**
    Adorei sua resenha =o*

  • delly novembro 4, 2010

    cara eu ia colocar o mesmo titulo no meu livro, mas o tema 'e um pouco diferente rsrs

    /meda/